Saúde & Bem-estar

Tirando as mágoas debaixo do tapete

Um dia desses aconteceu um fato em que, numa tentativa de debater com uma pessoa algo que tinha me chateado, uma terceira pessoa – que presenciou todo o momento – me aconselhou a não me importar com esse sentimento e que era melhor não discutir sobre o assunto. O que ela me sinalizava era: gerencie essa sensação sozinha, evite o stress. Estou relatando algo pessoal apenas para ilustrar uma situação que muitos passam quando tentam mostrar para alguém que algo o magoou.

Tenho a mania de dizer o que penso porque acredito que expor os sentimentos é uma forma de resolver situações que causam ressentimentos.  Sinceramente, não sei se é a maneira mais correta a se adotar porque fazer isso nos provoca um imenso  desgaste, essa é a realidade. Mas sigo o instinto de que é a melhor forma de exorcizar a mágoa.

Tenho a sensação de que para manter um relacionamento com as pessoas que gostamos e com as quais nos sentimos ligadas intimamente, é necessário que haja o enfrentamento dos problemas  que surgem no decorrer dessa relação, porque é certo que todo relacionamento humano, vez ou outra, enfrentará momentos de rusgas e decepções.  E é aí que temos que ter maturidade o suficiente para encarar essas rusgas e resolvê-las. No meu entendimento, sufocar um sentimento, uma dor, uma mágoa, é acumular motivos para uma doença ou, no mínimo, a construção de uma ruptura neste relacionamento.

Que tal aprendermos a gerenciar juntos esses conflitos? Mesmo que, ao fazer isso, possam emergir certos monstros? Será que solucionarmos juntos esse problema  não trará benefícios para todos que estão envolvidos nesse entrave?

Até quando teremos que jogar para debaixo do tapete esses sentimentos negativos? Não nos resumimos a uma imagem de pessoa boazinha, equilibrada, auto suficiente, um guru indiano  o tempo todo. Isso é impossível!

Até onde eu sei, o ser humano é, também, uma mescla de sentimentos positivos e negativos e são eles que geram essa beleza e complexidade de sermos quem somos. Temos um verdadeiro pavor de encarar nossos defeitos, medos e lado negativo. Mas esse lado também está integrado em nossa essência. Por que não percebê-lo, acolhê-lo e transmutá-lo?

Sou a favor de explorarmos todos esses sentimentos, claro, com a civilidade e respeito que todos merecem.

Um detalhe que para a minha vida tem grande valor é observar com quem vale a pena ter esses embates. Não dá para, por exemplo, nos envolvermos em discussões com quem nem queremos manter um relacionamento. É apenas perda de energia. Muitas vezes, é mais saudável evitarmos esse tipo de contato. Por isso a inteligência emocional é tão necessária. Ela nos ajuda a ponderar onde e quanto de energia devemos colocar em cada situação.

A minha reflexão de hoje é  que, por mais cansativo e desconfortável que seja, precisamos trazer à tona sentimentos de tristeza, mágoa ou chateações sinalizando para aqueles que foram responsáveis por causar isso em nós, talvez assim, seja uma forma de exorcizar esses sentimentos que, se permanecerem somente conosco, podem provocar buracos profundos na alma.

Não nos sintamos mal por explorar esses sentimentos e convidar o outro para um diálogo sincero; pelo contrário, tem que haver  muita  coragem para desconstruir uma imagem ilusória que as pessoas possam ter de nós.

E, lembrando,todos estamos aqui nesse planeta para aprender a viver melhor, e,  solitariamente, fica difícil ser um bom aprendiz. Vamos superar tudo isso, juntos.

Adriana Marques/MS

Redes Sociais - Comentários

Tags
Mostrar mais

Artigos relacionados

Não perca também
Close
Back to top button

DONATE NOW

Close
Close