Saúde & Bem-estar

Pinturas faciais: doçuras ou travessuras?

Sim, eu sei que o dia de Halloween já passou mas se por acaso tiverem marcado alguma festa para assinalar esta data nestes dias ou até se, no futuro, forem a um evento onde decidam fazer uma pintura facial tenham em consideração que nem todos os produtos são de confiança.

De facto, existem alguns que podem mesmo conter ingredientes prejudiciais à nossa saúde: irritações na pele e reações alérgicas são apenas dois exemplos.

A DECO – Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor – publicou recentemente um artigo em que refere que as pinturas faciais apenas devem ser aplicadas em crianças com mais de três anos de idade e, idealmente, apenas em ocasiões especiais ou festivas. Para além disso, refere ainda que devemos dar preferência a pinturas de base aquosa, já que são “menos propensas a reações adversas e aplicam-se facilmente, com um pincel apropriado ou uma esponja molhada”. E se acham que é difícil encontrar este tipo de produtos desenganem-se: eles estão disponíveis em lojas de brinquedos, de bijuterias ou até em supermercados. Se quem utilizar as pinturas tiver pele sensível ou tendência para alergias deverá optar por produtos sem perfume.

“Em caso de reação, como vermelhidão ou borbulhas, remova de imediato a maquilhagem, lave muito bem com água e não torne a aplicar. (…) Se a situação persistir, vá ao médico. Leve o produto consigo”, acrescenta a DECO.

Frequentemente encontramos as palavras “hipoalergénico” ou “dermatologicamente testado” em produtos cosméticos ou de beleza – acontece que tal não é garantia de que o produto é mais seguro ou que existe uma completa ausência de risco de uma reação alérgica.

É ainda importante não esquecer o prazo de validade ou o prazo após abertura (PAO): este é um símbolo presente nas embalagens de produtos cosméticos que indica o número de meses durante as quais a indústria considera que o produto deve ser utilizado. Normalmente apresenta-se como um desenho de um boião aberto e o prazo pode estar dentro ou fora desse boião. Uma dica: assim que abrirem o produto, escrevam a data na tampa!

Outros conselhos dados pela DECO passam por deitar fora pinturas já usadas e com mau cheiro, manter os acessórios (pincéis e esponjas, por exemplo) que entram em contacto com as mesmas bem limpos, seguir as instruções de uso e, no final da festa, remover todo e qualquer vestígio de maquilhagem.

A associação publicou ainda uma lista de ingredientes a que devemos estar atentos, evitando produtos que os contenham na sua composição, relembrando que a lista de ingredientes é obrigatória, não aconselhando, portanto, a compra de produtos sem lista.

Inês Barbosa

Redes Sociais - Comentários

Mostrar mais

Artigos relacionados

Back to top button

Close
Close