Saúde & Bem-estar

Os perigos do calor

Nem tudo são maravilhas nesta época de calor.
Todos os dias o nosso corpo trabalha no sentido de manter uma temperatura interna constante de 37ºC. Quando está muito calor, o nosso corpo produz suor – à medida que este se evapora, o corpo também arrefece. No entanto, quando a humidade do ar aumenta o nosso suor perde a capacidade de se evaporar tão depressa como seria ideal – quando a humidade relativa atinge os 90% a evaporação do suor deixa, simplesmente, de existir. É nestas situações que a temperatura do corpo aumenta e a grande produção de suor pode levar a uma forte desidratação, podendo tal resultar, em casos extremos, em danos irreversíveis no cérebro ou noutros órgãos e até mesmo levar à morte.

Hoje falo-vos de três situações que podem acontecer a qualquer um de nós se não seguirmos os conselhos próprios desta estação e que, estando devidamente informados, podemos enfrentar e abordar de uma mais correta ou até mesmo (e idealmente) evitá-las.

Golpe de calor

O golpe de calor acontece quando o nosso corpo não é capaz de controlar a temperatura, deixando de produzir suor e, consequentemente, não consegue arrefecer.
Nesta situação, a temperatura corporal pode rapidamente atingir os 39ºC – se não for socorrido rapidamente, o indivíduo pode ficar com deficiências cerebrais ou até mesmo morrer.
Pele vermelha, quente e seca, inexistência de transpiração, pulso rápido e forte, dores de cabeça, febre alta, má disposição, confusão, tonturas e perda parcial ou total de consciência são alguns dos sintomas associados a esta condição.
Se suspeitarem que alguém junto de vós está a sofrer um golpe de calor deverão, de imediato, ligar para o número de emergência. No entretanto, é aconselhável colocar a pessoa num local fresco, refrescá-la (com um ventilador, com toalhas húmidas ou aplicando água fria no corpo) e não dar líquidos caso não esteja consciente.

Esgotamento (devido ao calor)

Esta situação dá-se quando temos uma perda excessiva de água e de eletrólitos, através da transpiração, o que resulta numa alteração do metabolismo hidro-eletrolítico.
Este esgotamento pode ser especialmente grave em idosos e em pessoas com hipertensão arterial.
Poderão surgir sintomas como intensa sudação, muita sede, palidez, cãibras musculares, cansaço, fraqueza, sensação de ou desmaio efetivo, dores de cabeça, má disposição e vómitos.
Se um esgotamento devido ao calor acontecer devem, mais uma vez, chamar a emergência, deitar a pessoa num local fresco e levantar-lhe as pernas e, no caso de estar consciente, dar a beber sumo de fruta natural sem adição de açúcares e/ou bebidas desportivas, que contêm eletrólitos.

Cãibras por calor

Embora esta seja uma situação bem menos grave do que as que anteriormente vos falei, pode também requerer assistência médica, já que as cãibras são particularmente perigosas para pessoas que sofrem do coração ou que estejam em dietas pobres em sal.
Estas podem acontecer depois da exposição a calor intenso, quando transpiramos muito (após exercício físico exigente, por exemplo) e também devido a uma hidratação inadequada – é importante que, para além da água, façamos a substituição dos electrólitos perdidos na transpiração. São sentidos espasmos musculares dolorosos no abdómen, pernas e braços.
Se tal acontecer durante a prática de exercício, devem parar e descansar num local fresco. Bebam sumo de fruta natural sem adição de açúcar ou uma bebida energética, alonguem bem e massagem os músculos suavemente.
Se as cãibras continuarem, o aconselhado será procurar ajuda médica.

Inês Barbosa

Redes Sociais - Comentários

Tags
Mostrar mais

Artigos relacionados

Não perca também

Close
Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER

Close
Close