Saúde & Bem-estar

O poder de um abraço

Um abraço é capaz, muitas vezes, de dizer o que não conseguimos através da palavras. Muitas são as vezes em que sentimos necessidade deste gesto no fim de um dia mais difícil ou quando nos sentimos mais em baixo. Esta demonstração de afeto é capaz de nos dar uma sensação de conforto emocional que, provavelmente, não conseguiríamos alcançar de outra forma.

Se já tiver por hábito dar abraços bem apertados vai ter ainda mais razões (ou desculpas!) para o fazer.
Se, por outro lado, é daqueles que não gosta de contacto físico fique sabendo que já existem explicações científicas que provam a importância e influência que os abraços podem ter. Vale a pena o “esforço”, acredite! Ora veja:

Redução do stress e da pressão arterial

Parece que o contacto físico, no geral, tem a capacidade de diminuir os nossos níveis de stress. Uma pesquisa levada a cabo pelo professor Sheldon Cohen, do departamento de psicologia da Universidade Carnegie Mellon, nos Estados Unidos, provou que um abraço é sinónimo de múltiplos benefícios. Tal como os beijos, os abraços libertam uma substância chamada oxitocina – ou, se preferirem, a hormona do amor e da sociabilidade. O aumento dos níveis de oxitocina pode contribuir para a diminuição da pressão arterial, o que resultará num menor risco de doenças cardíacas e na diminuição (ou quem sabe eliminação) do stress e da ansiedade!

Diminuição do risco de infeções

Ainda através do estudo do professor Sheldon Cohen, que foi publicado em 2014 na revista científica Psychological Science, foi possível concluir-se que, em pessoas intencionalmente expostas a um vírus comum da gripe e colocados em quarentena, quem recebeu mais abraços teve um risco de infeção mais reduzido e também reagiu melhor aos conflitos que surgiram: “chegamos à conclusão de que quem recebe um abraço de uma pessoa em quem confia transmite mais apoio e aumenta a própria frequência de abraços. Percebemos também que o abraço reduziu os efeitos nocivos do stress”, afirmou o professor.

Fórmula para a felicidade

A oxitocina, que falámos anteriormente, também é responsável por promover e aumentar a felicidade do ser humano.
Mas, para além disso, durante um abraço podem ser libertadas endorfinas – a mesma substância que é produzida depois de um bom treino no ginásio ou até mesmo quando comemos um delicioso chocolate – é ou não é uma boa sensação? E, neste caso, não vem com calorias extra associadas!

Melhora a comunicação

A dificuldade em comunicar é uma queixa frequente entre os casais.Quando as palavras parecem não surtir o efeito pretendido ou quando o ponto de vista de uma das partes não é compreendido pela outra o abraço parece surgir como uma alternativa e/ou solução para todos os problemas: é uma forma de transmitir compreensão e empatia, reduzindo o stress e evitando discussões, muitas vezes, desnecessárias.

Um pouco de “pimenta” na relação

Ainda dentro dos relacionamentos: sabia que os abraços também podem interferir no desejo sexual? Durante o contacto físico o corpo liberta uma outra substância chamada dopamina que desempenha vários papéis importantes tanto no cérebro como no corpo – não é por acaso que é conhecida como o neurotransmissor do prazer! Bem sabemos, também, que a atividade sexual tem múltiplos benefícios… Juntamos um mais um e o resultado é: saúde, relaxamento, boa disposição e bem-estar!
Cinco motivos mais do que suficientes para “distribuirmos” abraços sempre que possível!

Inês Barbosa

Redes Sociais - Comentários

Tags
Mostrar mais

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER

Close
Close