Saúde & Bem-estar

Corram, pela vossa saúde!

Ainda na edição passada do nosso jornal Milénio Stadium vos falávamos de modas e esta parece que é mais uma daquelas que veio para ficar… e ainda bem!

A corrida tem ganho cada vez mais adeptos em todo o mundo – o emagrecimento ou manutenção da forma física, a tonificação e desenvolvimento dos músculos das pernas ou até o desafio de trabalhar a resistência muscular são algumas das razões mais frequentemente apontadas como “porquês” da crescente fama desta forma de exercício físico.

Mas os benefícios da corrida não se ficam pelo físico: o humor, a aprendizagem e a memória também podem retirar grandes proveitos desta prática desportiva.

Stress nível zero

Bastam 30 minutos para dizer “bye bye” a toda a tensão que acumulamos durante o nosso dia-a-dia. Quando corremos, seja na passadeira ou ao ar livre, substâncias químicas como a serotonina, dopamina e norepinefrina são estimuladas e os seus níveis aumentados.

A melhor medicação contra a ansiedade e a depressão

Parece que correr também é sinónimo de felicidade. A sua prática, cerca de três vezes por semana, consegue ter efeitos semelhantes (ou até mais eficazes) que a medicação.

Para além disso, dá-se também o crescimento e regeneração de neurónios afetados/danificados por estas doenças.

Amor próprio

Acredita-se que, ao começarmos a descobrir diferenças no nosso corpo e na nossa aptidão percebemos também que somos capazes do que, muitas vezes, julgávamos impossível. O espírito de superação, muito presente neste tipo de atividade física, levam a um aumento da confiança e, consequentemente, da nossa autoestima. E é tão bom quando acreditamos em nós, não concordam?

Runners high

A intensidade de um treino de corrida (e a tal sensação de superação de que vos falava aliada a excitação ou relaxamento) pode gerar, no final da atividade, um sentimento de pura euforia – esta sensação tem vindo a ser descrita como a “runners high”.

Já alguma vez sentiram esta “runners high”? Não? Existem algumas dicas que vos podem ajudar a atingir este estado:

Consistência e desafio

Não é só o nosso corpo que dá sinais quando nos desleixamos nos treinos: também o cérebro tem a necessidade de ser constantemente estimulado. Corridas regulares aliadas a pequenos desafios ou novas metas como, por exemplo, o aumento da velocidade, reforçam os sistemas cerebrais responsáveis pela ativação da “runners high”.

Foco

Muita gente gosta de correr ao som da sua música preferida e não há nada de errado nisso! A música consegue ser um poderoso estimulante! No entanto, experimentem também permanecer em silêncio, atentos à vossa respiração e ao movimento do corpo. Esta atenção redobrada pode ter inúmeros benefícios tais como a perceção de pequenos “erros” que possam estar a ocorrer ao longo do percurso e que podem prejudicar o vosso desempenho.

Tempo para pensar

Os alongamentos – parte integrante e de extrema importância em qualquer tipo de treino – são o momento ideal para tirarmos um tempo para nós e para os nossos pensamentos. Sabiam que as substâncias libertadas durante a corrida também o são durante a meditação? Com a prática da mesma podemos modificar estruturas do nosso cérebro, inclusive as ligadas ao stress! Lembrem-se: quanto mais stress sentirem mais dificilmente atingirão a “runners high”!

Cuidar do corpo

Não há máquina que trabalhe corretamente sem energia e sem a preparação necessária, certo? Com o nosso corpo acontece exatamente o mesmo! Não descurem do aquecimento – que deve ser feito durante 15 a 20 minutos -, mantenham-se hidratados e comam adequadamente (o ideal é consumir alimentos ricos em carboidratos com baixo índice glicémico como a aveia e o pão integral). Simples!

Inês Barbosa

Redes Sociais - Comentários

Tags
Mostrar mais

Artigos relacionados

Back to top button

Close
Close