FYI

Mito ou realidade?

A vossa infância foi provavelmente marcada por alguns alertas tenebrosos que os vossos pais faziam na tentativa de vos deixarem livres de qualquer perigo.

Os pais contam histórias mirabolantes para que os filhos prestem atenção e não corram perigo, mas algumas dessas narrativas acabam por passar de geração para geração e tornam-se uma espécie de lenda urbana, na qual muita gente acredita sem de facto questionar a veracidade das coisas.

E é por isso que é provável que tanto nós quanto as nossas mães tenhamos a certeza de que ir para a praia ou para a piscina logo depois do almoço faz mal, porque podemos ter cãibras que podem fazer com que nos afoguemos ou porque há a possibilidade de acontecer uma séria paragem de digestão. E aí a ideia de que esperar pelo menos uma hora (em Portugal diz-se três) entre uma refeição e um mergulho acabou por se propagar por gerações e culturas diferentes.

Nada a ver com a comida

Essa crença de que nadar depois do almoço faz mal não é assim tão sem fundamento. A questão é que o nosso estômago exige mais sangue quando está a fazer a digestão e, por isso, acreditava-se que os músculos iam ficar pouco irrigados e pudessem ter cãibras. A boa notícia é que o corpo humano tem sangue suficiente para manter os músculos a funcionar e dar conta da digestão.

A questão é que, quando estamos a nadar, se não tivermos feito os alongamentos recomendados antes dos exercícios, podemos estar a esforçar demais e, como acontece em qualquer outra atividade física, as cãibras podem acontecer — o que é relativamente comum, na verdade. E isso não tem nada a ver com a comida ou a falta dela no nosso estômago.

O importante nessas situações é manter a calma, porque afinal as cãibras podem acontecer enquanto nadamos, mas vão durar pouco tempo e, além disso, o corpo tende a flutuar: por isso, nada de pânico.

Explicações

Muitas dessas crenças surgem porque as pessoas tendem a levar como base alguma situação menos boa, na tentativa de evitar que isso ocorra novamente. Por exemplo: se uma pessoa ficou mal disposta uma determinada vez depois de comer gelatina, é bem provável que comece a relacionar a gelatina com o facto de ter ficado naquele estado e que fique anos sem comer qualquer coisa com gelatina, ainda que a gelatina não tenha tido nenhuma relação com o mal-estar.

No caso de nadar depois de comer, é bem provável que haja alguma associação parecida. Mas, a partir de hoje posso deixar-vos mais tranquilos: comer e nadar logo a seguir é permitido e não vos vai fazer mal.

Redes Sociais - Comentários

Tags
Mostrar mais

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER

Close
Close