Entretenimento

Uma cantora brasileira que deu certo no Canadá

Ziko Pereira

Não é novidade que o Canadá é um país altamente receptivo a estrangeiros. Por isso, há grandes comunidades, como portuguesa, italiana e brasileira, e elas apoiam muitos artistas. Como é o caso da cantora brasileira Juliana Flores, de 28 anos. Morando no Canadá há nove anos, Flores abandonou o curso de jornalismo que fazia em Belo Horizonte e veio tentar uma vida nova em outro país. Detalhe: o repertório dela tem os mais diferentes estilos.
A cantora ressaltou que os canadianos dão muito mais oportunidades que os brasileiros. “Aqui (no Canadá), eu consigo ter muito mais espaço para divulgar o meu trabalho. Tenho recebido bastante apoio das comunidades brasileira, canadiana e portuguesa”, afirmou. “No Brasil, eu não teria a oportunidade de contestar com outras tantas culturas, como aqui. E, além disso, a quantidade de eventos e shows é muito maior aqui do que se eu estivesse no meu país de origem”, completou.  A música vem de berço para Juliana, e muito por influência da avó.

“A música sempre esteve muito presente na minha vida. Por exemplo, uma das lembranças mais fortes da minha infância é da minha avó sentada em frente à vitrola escutando boleros e cantando. Ela cantava muito bem. Ali, eu senti o desejo de cantar, também”, explicou.

Ela estudou música no Royal Conservatory of Music e na Humber College Music.
Para Juliana, não há barreiras na música. “Não existe fronteiras na música. Ela não te impõe limites, mas abre fronteiras”, declarou. “Tanto que, no meu repertório, eu canto vários estilos: Bossa Nova, Jazz, MPB (Música Popular Brasileira) e Sertanejo. Agora, estou a estudar música clássica”, completou.
Não é a toa que as suas inspirações são de diferentes estilos. “Gosto muito da Bossa Nova. Uma pessoa que me influenciou bastante foi o Tom Jobim pela poesia e pela maneira romântica de cantar. Elis Regina foi por ser uma intérprete fortíssima e Ivete Sangalo por seu vozeirão e energia em cima do palco. No jazz, sou fã da rainha do Jazz, Ella Fitzgerald. E há muitos outros talentos que me inspiram”, dissertou.
Flores é dona da gravadora Gladiator Records, juntamente com os irmãos Adrian e Lucas Rezza, e é parceira da Nova Music Group. Pela Gladiator Records, ela lançou recentemente o seu primeiro álbum: Sunset. Ela revelou os seus planos para o futuro. “No momento, estamos divulgando o álbum e esperamos ter a oportunidade fazer shows no Brasil e na Europa. No ano que vem, começaremos a gravar o meu próximo disco e queremos que o público se identifique com o projeto. Além Além disso, esperamos ter a oportunidade de sermos nomeados para alguns prémios”, contou.

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

DONATE NOW

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER