Ambiente

Terra Viva – Pegada Ecológica

O que é a Pegada Ecológica?

Resumidamente é o impacto que um produto ou atividade humana tem no ambiente e na natureza, essencialmente, relativo à quantidade de água e terra necessárias para sustentar as gerações atuais.
O termo surge em 1992 pela primeira vez em inglês como “ecological footprint” usado pelo ecologista canadiano William Rees, professor na Universidade de Columbia Britânica, e pelo seu aluno Mathis Wackernagel.

Atualmente, o conceito é bastante alargado e é usado como indicador de sustentabilidade ambiental, considerando todas as vertentes da atividade humana enquanto indivíduos isolados e/ou coletivos, como cidades, regiões ou países. A componente a que se dá mais destaque atualmente está relacionada com produtos de grande consumo uma vez que as produções em larga escala e a pressão de transporte e distribuição são gigantescos.

Criar uma fórmula que permita calcular e medir a Pegada Ecológica não é fácil. Dependendo das diversas fórmulas que existem são considerados essencialmente os seguintes componentes: água utilizada, energia fóssil utilizada, produção de dióxido de carbono, floresta, área urbanizada, terreno arável e pastagens.

A título de exemplo consideremos o que é necessário para produzir leite. Necessitamos de áreas de pastagem e/ou rações, todo o esforço de maquinaria e energia para a produção da alimentação dos animais, necessitamos de maquinaria na recolha e diversos processos para a conservação, produção de embalagens, todas as estruturas de edifícios relacionados com os diversos processos, combustível e maquinaria de transporte e distribuição, de seguida a recolha e tratamento das embalagens vazias, e em toda a cadeia do processo o consumo de água. Claro que o que aqui se refere é apenas um exemplo genérico e onde faltarão elementos, mas serve para dar uma ideia… Procurando na web encontrarão várias fórmulas possíveis.

Ao criar forma de medir o impacto ambiental, o objetivo é com certeza verificar que tipo de atividades e produtos são de maior esforço para a Terra e desta forma tentar reduzir a utilização de recursos e emissão de poluentes.
Os consumidores poderão fazer uma grande diferença na pegada global mediante os produtos que adquirem. Comprando fruta da época ou produtos de produção local estarão a minimizar a pegada, isto não significa que não se adquiram produtos vindos de outros pontos do globo desde que haja alguma atenção relativamente à forma como são processados e transportados. Por exemplo, se um produto é transportado em pequenas quantidades e de avião, a sua Pegada Ecológica será muito maior do que se for transportado por navio e em grandes quantidades, desta forma o dispêndio de energia por unidade será muito mais reduzida.

A Global Footprint Network é uma organização não-governamental, sendo atualmente a entidade mais credenciada no que se refere a estudos e acompanhamento da Pegada Ecológica. Alguns estudos desta organização indicam que a alimentação humana é o fator com maior peso na Pegada Ecológica. Claro que a superpopulação humana contribui em muito para isto, no entanto, verifica-se também muito desperdício e desequilibrada produção e distribuição.

Numa perspetiva de impacto global, neste momento, calcula-se que para haver equilíbrio e preservação de recursos, necessitaríamos de quase mais uma Terra – o equivalente a mais 1,7.

Se não reduzirmos a pressão sobre os recursos naturais e não encontrarmos outras soluções para o desenvolvimento da nossa civilização, comprometeremos o nosso próprio futuro e de toda a vida na Terra.
Reduzindo a Pegada Ecológica estaremos a garantir que as gerações vindouras possam também elas desfrutar da natureza com respeito e admiração.

Paulo Gil


Autor(a):
Fonte:

Redes Sociais - Comentários

Tags
Mostrar mais

Artigos relacionados

Back to top button

Close
Close