Ambiente

Terra Viva – Óleo de Cozinha

Cada litro de óleo de cozinha pode contaminar até 1 milhão de litros de água potável. O óleo de cozinha não é assimilado pela natureza nem é facilmente biodegradável e resulta numa fonte de contaminação ambiental.
Os óleos de cozinha não são solúveis em água. A maior parte dos óleos usados nos nossos lares são despejados nas bancas de cozinha, lavatórios e sanitas ou misturados com o lixo comum. Calcula-se que 25% dos óleos despejados nos esgotos são de origem doméstica e 70% resultantes da indústria de restauração.

O óleo cria uma fina película à superfície da água impedindo a oxigenação e dando origem à asfixia da fauna e flora aquáticas – a base da cadeia alimentar aquática fica assim comprometida. Estes resíduos comportam também uma série de substâncias potencialmente cancerígenas e prejudiciais às plantas e animais que uma vez inseridos na cadeia alimentar serão posteriormente ingeridos pelos humanos.

O impacto nas tubagens domésticas, de esgotos e estações de tratamento de águas residuais, é também um grande problema, provocando entupimentos e avarias nos sistemas de esgotos e mecanismos de tratamento. A introdução destas gorduras no sistema de esgotos pode provocar também graves problemas de higiene e maus cheiros e para desentupir e remover estas acumulações acabam por ser utilizados produtos químicos que são altamente nocivos e poluentes.

Os óleos, quando infiltrados nos solos, provocam a sua impermeabilização impedindo a infiltração das águas das chuvas e comprometendo a alimentação de aquíferos subterrâneos. Por outro lado, quando arrastados pelas águas pluviais, acabam por contaminar os lençóis freáticos, lagos, rios e oceanos.
A decomposição dos óleos de cozinha origina gás metano que é um dos gases responsáveis pelo efeito de estufa.
A reutilização, reciclagem e tratamento é um imperativo. Atualmente é perfeitamente possível o tratamento e valorização deste resíduo. Os óleos alimentares podem servir para produção de biodiesel ou sabonetes. Mil litros de óleo permitem produzir entre 920 litros a 980 litros de biodiesel. De acrescentar que o biodiesel quando utilizado como combustível apresenta índices de emissão de dióxido de carbono até 80% inferiores ao diesel petrolífero.

Restaurantes e estabelecimentos comerciais assim como empresas ou cantinas estão legalmente obrigadas a dar um destino correto a estes resíduos e existem diversas empresas a operar no Canadá.
Na cidade de Toronto existem 7 “drop-off depots” onde poderá entregar o seu óleo de cozinha usado – deve, no entanto, ter atenção a que deve fazê-lo numa embalagem devidamente selada e identificada como “cooking-oil” e será também aconselhável fazer a entrega mínima de 10 litros. Pode consultar os locais e condições em www.toronto.ca/services-payments/recycling-organics-garbage/drop-off-depots/.

Em Portugal, uma distribuidora de combustíveis tem um sistema de recolha nas estações de serviço, onde disponibilizam embalagens próprias para recolher os óleos de cozinha usados e quando se entrega uma embalagem cheia no ponto de recolha, este, automaticamente, disponibiliza uma embalagem vazia- assim, sempre que se abastece pode levar-se uma embalagem cheia e recolher uma vazia. A empresa distribuidora de combustível processa o óleo usado para produzir biodiesel que depois é reintroduzido nos abastecimentos.

Além de reduzirmos o impacto na natureza reciclando os óleos alimentares podemos também desenvolver novos negócios lucrativos. Havendo vontade, sem grande esforço, e apenas com algum bom senso, podemos com pequenos gestos fazer toda a diferença na forma como respeitamos e admiramos a natureza.

Paulo Gil

Redes Sociais - Comentários

Tags
Mostrar mais

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER

Close
Close