Ambiente

Terra Viva – Mãe Gaia

A Terra é o único planeta conhecido que teve e tem vida, sendo que todos os seres vivos que existiram e que existem são de uma imensa quantidade e diversidade sobre as quais ainda não temos uma noção precisa e provavelmente nunca teremos.

James Lovelock, em 1972, avançou com uma teoria que considera que a própria Terra é um complexo e gigantesco ser vivo único, “Teoria de Gaia”, considerando que todos os componentes, desde os seres vivos, minerais, fluidos, atmosfera, e tudo o que existe na Terra, são interativos, permitindo e condicionando essa mesma vida, funcionando como um superorganismo. Lovelock e outros cientistas veiculam que este admirável sistema tende a moldar as condições atmosféricas e climáticas, para que estas sejam estáveis e favoráveis à vida. Como qualquer organismo vivo, a Terra pode desfrutar de boa saúde, mas também pode adoecer. Como qualquer organismo vivo, reage a agentes nocivos e tenta defender-se de forma a manter a sua própria saúde. 

Estima-se que a Terra se tenha formado há 4,56 mil milhões de anos e que ao fim de mil milhões tenham aparecido nela os primeiros seres vivos. Julga-se que estes primeiros seres eram anaeróbios, ou seja, que não necessitavam de oxigénio para viverem, no entanto a sua atividade promoveu o aumento de oxigénio contribuindo para a alteração da atmosfera, permitindo ao fim de vários milhões de anos a existência de seres aeróbios. Durante 3,5 mil milhões de anos, os cenários e ambiente no planeta foram bastante diversos – por várias vezes houve extinções em massa. A vida, porém, foi resiliente e resistente, recuperando e diversificando-se. A Mãe Gaia acabou por gerar sempre mais filhos, todos eles diferentes e que foram tentando adaptar-se em cada momento às condições existentes. Poucos tiveram sucesso que perdurasse, abrindo no entanto caminho a outros. A vida foi-se regenerando e diversificando. Houve muitos momentos e condições diferentes, havendo períodos de alguma estabilidade e outros de mudanças abruptas – esses períodos tiverem sempre durações diferentes e a velocidade de acontecimentos foi também muito variável. Para um ser vivo como o Homem, em que os indivíduos têm uma vida breve, a noção de tempo e a perceção das mudanças é muito limitada. No entanto nos dias que correm, parece que as mudanças estão a acontecer numa maior velocidade, e o mais irónico é que essas mudanças parecem ser provocadas pelo próprio Homem.

O planeta azul é algo único e extraordinário, e os seres que nele habitam não se apercebem que existem protegidos do espaço exterior, como que dentro do ventre de uma mãe, desconhecendo o funcionamento do berço onde se aconchegam. Verificar que a Terra viaja a 107.200Km por hora em torno do Sol e que roda sobre si a 1.674Km por hora, parece algo de impossível, isto porque não o sentimos.

Independentemente das teorias, é certo que não conhecemos outro planeta com vida, assim como é certo que desconhecemos a magnitude e complexidade do seu funcionamento – é por isso importante que as ações e decisões que tomamos, que podem influenciar o funcionamento de um organismo sobre o qual desconhecemos as reações que poderá ter, sejam bastante ponderadas. Se não o fizermos podemos comprometer a nossa própria existência.

O importante mesmo será desfrutar da natureza com respeito e admiração.

Paulo Gil Cardoso

Redes Sociais - Comentários

Mostrar mais

Artigos relacionados

Back to top button

DONATE NOW

Close
Close