AmbienteBlog

Pressão sobre a Vida

Pressão sobre a Vida-mundo-mileniostadium
Foto: DR

 

 

Qual a pressão ideal à existência de vida? Eis uma pergunta que não tem uma resposta simples. A resposta dependerá sempre de outra questão: Que tipo de vida?

Ao longo dos 4,5 mil milhões de anos de existência da Terra, acredita-se que a pressão atmosférica não terá sido sempre a mesma. A dinâmica de vários fatores com certeza que levou a pressão a variar ao longo do tempo. A composição da atmosfera, a temperatura, a gravidade, a radiação solar, a rotação e translação do planeta, a influência do comportamento de astros vizinhos, etc., etc., etc.

A cada descoberta fóssil surgem-nos enigmas sobre o passado da Terra, um deles prende-se com a capacidade de voar que alguns animais tinham. Tomando o exemplo do Pterodáctilo, que com a sua dimensão e peso põe em causa as leis da aerodinâmica. Para poder voar, este gigante teria de ter mais 3,7bar a 5bar de pressão atmosférica, teria de ter existido uma atmosfera mais densa. Então, os investigadores, atiram-se à tarefa de descobrir a composição que a atmosfera tinha entre 65 e 100 milhões de anos atrás. Através do estudo de bolhas de ar aprisionadas nos gelos da Antártida ou aprisionadas em rochas e âmbar fossilizado.

Mas se na era dos dinossauros a atmosfera era mais densa, existem indícios que milhares de milhões de anos antes seria muito menos densa. Estudo publicado em 2016, por Roger Buick da Universidade de Washington, Seattle, indica que a atmosfera de há 2,7 mil milhões de anos teria metade da densidade dos dias de hoje. A sua investigação suportou-se essencialmente na análise de bolhas resultantes do contacto da lava quente com a superfície dos oceanos nesse passado remoto. Sendo que a composição atmosférica foi sendo diferente ao longo de milhares de milhões de anos, também a sua pressão foi variando.

Assim como nos dias de hoje a pressão atmosférica varia, devido a diferenças de temperatura, humidade relativa, quantidades de dióxido de carbono, oxigénio, hidrogénio, etc., fazendo mudar o estado do tempo, criando tempestades ou tempo seco, também ao longo da história da Terra a pressão foi variando.

Os seres vivos foram-se adaptando às diversas condições e humores do planeta, sendo a pressão uma dessas condições que não deve ser negligenciada. Se à superfície a pressão condicionou a vida e esta se foi adaptando, no imenso manto de água que são os oceanos, rios e lagos, os seres vivos venceram e continuam a vencer pressões muito mais extremas.

A cada 10 metros que se mergulhe na água a pressão aumenta uma atmosfera (1,031bar) – isto significa que apenas a 50 metros de profundidade a pressão já é de cinco atmosferas. As pressões a que alguns seres vivos resistem é impressionante. Um cachalote consegue mergulhar, para caçar lulas gigantes, a 3000 metros – a pressão a esta profundidade é de quase 300 atmosferas, ou seja aproximadamente 308 Kgf/Cm2 (quilogramas força por centímetro quadrado). Mais impressionante ainda, é que este mamífero consegue viver e deslocar-se em pressões tão díspares como uma atmosfera ou 300 atmosferas.

Com o evoluir da tecnologia temos vencido as nossas limitações físicas, conseguimos conhecer seres vivos em profundezas abissais, com pressões absurdamente altas, onde pensávamos, até há poucas décadas, que não poderia existir vida. Também em pressões extremamente baixas, na alta atmosfera, encontramos seres vivos – à medida que vamos transpondo fronteiras vamos encontrando a vida adaptada a condições extremas. Quanto mais conhecemos mais surpresos ficamos, porém também ficamos mais gananciosos. Na nossa senda de poder e busca de recursos, temos rompido por todos os ecossistemas e ambientes, provocando desestabilização neste imenso e complexo puzzle.

Será a admiração e o conhecimento que nos devem guiar e não a conquista com vista ao saque.
Não queiramos ser nós fator de pressão que condicione as conquistas que a vida levou milhões de anos a realizar.

Paulo Gil Cardoso/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Não perca também
Close
Back to top button

DONATE NOW

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER