Temas de Capa

VOXPOP

Os líderes e as democracias

VOXPOP-toronto-mileniostadium
DR.

Um especialista político escreveu esta semana no New York Times que Donald Trump prometeu que ia fazer com que o mundo respeitasse e temesse os EUA, mas que no final Trump não conseguiu nenhum porque ridicularizou a América e a sua democracia.  As cenas que chocaram o mundo pareciam tratar-se de um golpe de Estado ou da queda de uma ditadura e agora há até quem antecipe uma guerra civil nos EUA.  Os especialistas dizem que o rastilho da invasão foi o discurso de Donald Trump que tem transmitido ódio e medo ao longo dos últimos meses e que em novembro se recusou a admitir que tinha sido derrotado nas eleições.  

A invasão do Capitólio e a hipótese de um segundo impeachment ser aprovado correspondem às últimas horas de Donald Trump no poder e passam para o resto do mundo a ideia de que a democracia americana vive uma grande crise. É a primeira vez na história que um Presidente americano é alvo de dois impeachments.  Trump defende-se e diz que o processo de destituição que lhe está a ser preparado se trata da “continuação da maior caça às bruxas da História”. Se Biden vai conseguir devolver a democracia aos americanos essa é outra história, mas o assunto promete fazer muitas manchetes nos próximos meses.

O tema desta edição do Milénio Stadium é a liderança política e o abismo provocado pelo desrespeito das leis. Fomos perceber o que pensam alguns luso-canadianos sobre as características que são fundamentais para ter um bom líder no poder e o que acham que acontece se não cumprirmos as regras como sociedade.  A maioria defendeu que os políticos têm de ser um modelo a seguir, uma inspiração, e por isso funcionam como um modelo para o resto dos cidadãos.  Recentemente no Canadá fomos surpreendidos com vários políticos que fizeram viagens para o estrangeiro quando a recomendação do Governo federal é para não viajar. A maioria das pessoas que o Milénio Stadium ouviu condenam os políticos que viajaram e lamentam que tenham ido contra as ordens de Otava.

Ricardo, 75 anos, reformado

Que características é que um bom líder político deve ter?

Um bom líder impõe respeito sem ser autoritário. Em Portugal vimos o que aconteceu com o salazarismo, o medo traz ignorância e miséria e isso tem um preço muito elevado para as futuras gerações.  Uma sociedade esclarecida onde as pessoas têm espírito crítico e estão devidamente informadas é uma sociedade melhor e o papel de um líder é ajudar a construir este caminho. A invasão do Capitólio fez lembrar uma tentativa de golpe de Estado, um cenário que é comum quando acabamos com ditaduras. Nos EUA nada justifica o que aconteceu, aquelas pessoas são bárbaros sem qualquer tipo de educação e de respeito pela história coletiva de um povo. Um líder deve ser uma inspiração e não uma desilusão como o que aconteceu com Trump. 

É importante seguir as regras dentro de uma sociedade?

Acho que a pandemia nos tem recordado a importância de seguir as recomendações de quem sabe mais do que nós. Não sou especialista em virologia, mas é importante que as pessoas confiem nas suas instituições e organizações e que sigam as suas recomendações. Temos de praticar distância social, usar máscara e reduzir a nossa mobilidade ao essencial. Nem sempre gostamos das regras, mas elas existem para um objetivo comum, neste caso travar uma pandemia. Julgo que ninguém gosta de pagar impostos, mas todos nós queremos um bom hospital quando estamos doentes ou uma boa universidade para os nossos filhos estudarem. Os impostos são um pequeno preço a pagar para que tenhamos serviços de qualidade quando precisamos de recorrer a eles. 

Vários políticos passaram férias no estrangeiro durante a pandemia. Quem governa tem de dar o exemplo?

Eu também gostava de ter ido a Portugal, mas não fui porque optei por seguir as recomendações do Governo federal. Confesso que fiquei desapontado e revoltado quando soube que um dos responsáveis de uma rede hospitalar de Ontário tinha ido passar férias ao estrangeiro. Nem digo os políticos, porque infelizmente já sabemos que eles nem sempre são os melhores exemplos a seguir, mas um médico que ajuda a província a tomar decisões relacionadas com a COVID-19 é muito triste. Mas os políticos são como os médicos, nem sempre seguem aquilo que dizem (risos). Mas cabe aos canadianos mostrar nas urnas o seu descontentamento com os políticos, é uma das melhores coisas da democracia.   


Mário, 53 anos, funcionário público

Que características é que um bom líder político deve ter?

Políticos são eleitos para trabalhar para os cidadãos, no mínimo têm que ser honestos e estar dispostos a trabalhar para uma comunidade. Além disso, qualquer bom líder tem que ter conhecimentos sólidos sobre política e ter a capacidade de ouvir as pessoas sem voz ativa na sociedade. Um líder é uma pessoa que apela à união e que condena a violência, não é o que vimos nos EUA com Donald Trump e que infelizmente teve um desfecho muito feio. Os EUA são agora um mau exemplo para o mundo e Biden vai ter de restaurar a democracia americana. Quanto tempo demora, isso não sabemos.

É importante seguir as regras dentro de uma sociedade?

Claro que sim, vivemos numa democracia e socialmente é importante seguir certas regras para que tudo funcione corretamente na sociedade. O descontrole em certas regras torna-se um caos, um recente exemplo foi o que aconteceu no Capitólio, na semana passada, nos EUA. 

Vários políticos passaram férias no estrangeiro durante a pandemia. Quem governa tem de dar o exemplo?

Sim, claro, estes políticos estão diariamente nas nossas televisões a transmitirem-nos o que devemos ou não fazer para travar o contágio e alertar-nos quando os casos estão elevados e os hospitais estão sem capacidade para receber mais pacientes nos cuidados intensivos. Acho inconcebível e muito revoltante que eles próprios contrariem as regras e esperem que nada lhes aconteça. 


Sofia, 20 anos, estudante

Que características é que um bom líder político deve ter?

Eu ainda sou muito jovem e confesso que não me interesso muito por política. Os discursos parecem sempre ensaiados e os debates são aborrecidos de assistir. Mas numa altura destas, com uma pandemia, onde muitas pessoas perderam o emprego, acho que um líder político tem de devolver a esperança às pessoas e a jovens como eu que depois de concluírem os estudos vão precisar de emprego. Um bom político é como um bom professor, uma pessoa que cativa a nossa atenção e que graças aos seus conhecimentos nos apresenta uma solução. Espero que os políticos sejam capazes de criar empregos e uma economia mais limpa onde possamos viver com alguma estabilidade depois deste período negro da nossa vida. 

É importante seguir as regras dentro de uma sociedade?

Julgo que sim, eu também nem sempre compreendo as regras que os meus pais me pedem para seguir, mas eles dizem sempre que é para o meu próprio interesse e garantem que um dia mais tarde lhes vou agradecer (risos). É como na escola, se não estudamos não aprendemos e se não aprendemos quando formos mais velhos vamos arrepender-nos de não ter aproveitado as oportunidades. Imagine-se se todos colocassem máscaras no chão e se ninguém parasse num sinal vermelho? As regras tornam a nossa vida mais fácil em sociedade. Se os carros se movimentassem todos ao mesmo tempo num cruzamento íamos provocar o caos e todos teriam perdido horas do seu dia enquanto aguardavam que a polícia e os paramédicos chegassem. 

Vários políticos passaram férias no estrangeiro durante a pandemia. Quem governa tem de dar o exemplo?

Na minha opinião sim, se os meus pais me dizem para aguardar na fila pela minha vez e os vejo a passarem à frente dos outros vou questionar a regra e muito provavelmente também não a vou seguir. Se os políticos decidem depois de ouvir as autoridades médicas que é melhor evitar passar férias no estrangeiro, fica feio se eles próprios não seguem as regras que criaram e a partir daí também é pouco provável que as pessoas cumpram com as regras. Para além disso como estamos todos cansados de restrições a nossa tolerância e paciência com erros se calhar é menor. Talvez se fosse noutro tipo de regras as pessoas teriam mais tendência para ignorar ou esquecer, mas como as restrições ainda podem piorar acredito que as pessoas não perdoem os políticos.


Rita, 47 anos, administrativa

Que características é que um bom líder político deve ter?

Um líder na política e em qualquer outro lugar deve ser visionário e deve saber apontar-nos as coordenadas certas para termos sucesso como sociedade. Recentemente nos EUA assistimos a um exemplo de uma má liderança política. Donald Trump recusou-se a admitir que tinha perdido e um líder tem que estar preparado para assumir tanto uma vitória, como uma derrota. Em vez de assegurar uma transição pacífica para Joe Biden, Trump passou as últimas semanas a alimentar o ódio e a desconfiança dos americanos. Trump atacou os media e usou as redes sociais para destilar as suas ideias e os resultados estão à vista de todos. A América há-de reconstruir-se, como sempre, mas foi protagonista de um momento muito triste para a sua democracia.

É importante seguir as regras dentro de uma sociedade?

Qualquer sociedade precisa de regras para ser organizada, caso contrário vivíamos numa completa anarquia e pouco nos distinguiria dos animais. Em eleições políticas as pessoas têm as suas preferências por um determinado candidato, mas como num jogo de futebol ou de hóquei nem sempre vence a nossa equipa preferida ou quem joga melhor. Temos o direito a expressar o nosso descontentamento, mas nunca através de violência. 

O rasto de destruição do Capitólio em Washington deve envergonhar todos nós, é um exemplo da barbaridade e da destruição que o ser humano é capaz de fazer. Mas as redes sociais também têm que assumir responsabilidades porque segundo o que li foi tudo organizado online. As grandes empresas como o Facebook e o Twitter deviam pagar mais impostos e ser mais fiscalizadas para evitar que situações destas se repitam.

Vários políticos passaram férias no estrangeiro durante a pandemia. Quem governa tem de dar o exemplo?

Tecnicamente a resposta é sim, mas num mundo perfeito nenhum de nós deveria errar. Se por um lado os políticos erraram ao ir passar férias para o Havai ou para as Caraíbas, como foi o caso do antigo ministro das Finanças de Ontário, a verdade é que sei de muitas pessoas que não estão envolvidas na política e que elas próprias também não cumpriram as regras. As regras são para todos, independentemente de serem políticos ou não e independentemente do mediatismo da nossa profissão. 

Mas se repararmos bem a maioria dos políticos só veio pedir desculpa publicamente porque os jornalistas descobriram que tinham viajado, o que nos faz pensar que sem escrutínio teria ficado tudo igual. Todos nós temos o dever de seguir as regras para que dessa forma os casos de COVID-19 diminuam e os internamentos nos hospitais diminuam, que libertem espaço para que as pessoas que precisem de ser hospitalizadas possam receber os devidos cuidados de saúde.

Joana Leal/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Não perca também
Close
Back to top button

DONATE NOW

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER