Temas de CapaBlog

Ser mulher é …

Ser mulher é-mundo-mileniostadium
Crédito: Direitos reservados

Ser mulher é ter sorriso de borboleta, têmporas de papoila, pálpebras de violeta, e asas de colibri para ser livre. E saber rir, chorar, lutar sem nunca baixar os braços.  Ser mulher é maravilhoso 🙂

Caros leitores, muito bom dia. Feliz sexta-feira.

Cá estamos na primeira semana de março. Onde as manhãs são de inverno e as tardes de verão… 🙂

Este fim de semana com algo mais a celebrar. Não é que não se possa celebrar diariamente, mas temos mais incentivos. Celebramos o Dia Internacional Da Mulher. Dessa criatura que luta, sofre e chora, sempre com garra. Sendo eu filha, irmã e mãe de duas mulheres também, não poderia deixar passar esta data em branco.

Quero partilhar com alguns de vós alguns factos muito importantes para o caso de já os ter esquecido.

O Dia Internacional da Mulher é celebrado anualmente em 08 de março. A data comemorativa foi instituída pela ONU – Organização das Nações Unidas, em 1975.

Muitas histórias marcaram a luta das mulheres para obterem o seu espaço de destaque na nossa sociedade ainda hoje na sua grande parte regulada pelo sexo oposto. Espero que este não seja apenas um dia de homenagens, mas a recordação do esforço feminino, que resultou em conquistas sociais, económicas e políticas.

Se não sabe por que essa data foi escolhida e o que ela representa, continue a leitura e ficará a par de situações que contribuíram para a criação do Dia Internacional da Mulher.

Numa época em que mulheres trabalhavam 16 horas por dia e ganhavam um terço do que os homens recebiam, iniciou-se uma luta para redução da carga de trabalho e a procura de melhores salários.

Na sequência de uma confusão feita em jornais alemães e franceses, criou-se um mito acerca de um incêndio que teria acontecido no dia 08 de março de 1857 na cidade de Nova York. Nessa ocasião, as mulheres teriam sido presas, outras esmagadas pela multidão que fugia, e 129 operárias teriam sido mortas por um incêndio na fábrica que elas ocupavam.

Em memória dessa data, muitas pessoas atribuíram-lhe a origem do Dia internacional da Mulher.

Em 1908, em Manhattan, em Nova Iorque, houve uma manifestação onde duas mil mulheres reivindicaram o direito ao voto. Ainda com muito caminho a percorrer.

Com a industrialização por volta dos séculos XIX e XX, as condições de trabalho e as instalações onde trabalhavam eram muito precárias. Então a 22 de novembro de 1909 aconteceu uma greve geral do setor têxtil, que durou até fevereiro de 1910. A desigualdade e opressão vivida na época levaram 15 mil mulheres às ruas para protestar por melhores condições de trabalho, salários dignos e diminuição da carga horária. 

Em 1910, a Segunda Conferência Internacional das Mulheres Trabalhadoras realizou-se em Copenhaga, na Dinamarca, onde surgiu a proposta da alemã Clara Zetkin para escolher uma data que anualmente seria o Dia da Mulher para assim pressionar o governo pelas demandas da luta feminina. Essa iniciativa teve o apoio unânime das mais de 100 mulheres participantes de 17 nacionalidades.

Como resultado da reunião, comícios com mais de um milhão de pessoas ocorreram nos países da Áustria, Alemanha, Dinamarca e Suíça. Esses atos foram marcados pela busca do direito de votar, frequentar formações profissionais, ocupar cargos públicos e pelo fim da discriminação da mulher no ambiente de trabalho.

Assim, aparecia o primeiro Dia Internacional das Mulheres que ocorreu em 19 de março de 1911 na Suécia, Alemanha, Dinamarca e Áustria, como resultado da conferência realizada no ano anterior. 

Neste mesmo ano, um incêndio ocorrido em 25 de março de 1911 na Triangle Shirtwaist Company em Nova Iorque fortaleceu ainda mais a escolha de um dia para lutar pelos seus direitos.

Instalações elétricas precárias, piso de madeira e uma enorme quantidade de tecido no local contribuíram para que o fogo se espalhasse rapidamente pela fábrica. Neste dia, 125 mulheres e 21 homens morreram, a maioria imigrantes judeus.

Em 05 de abril foi realizado um funeral coletivo acompanhado por 100 mil pessoas. As manifestações tornaram -se muito mais intensas desde que a tragédia ocorreu, principalmente para reivindicar segurança mais adiante, em 1917 o ano ficou marcado por uma marcha com mais de 90 mil mulheres. Os direitos reivindicados eram principalmente por melhores condições de trabalho, já que naquela época era comum as mulheres trabalharem até 16 horas diárias, 6 dias por semana.

Em 08 de março de 1917, as mulheres russas protestaram ao grito de “Pão e Paz”. O feito resultou na renúncia do czar e concessão do direito ao voto para as mulheres pelo governo provisório que havia sido instituído.

A Organização das Nações Unidas declarou o ano de 1975 como o Ano Internacional da Mulher. Como a partir da década de 60 a data que mais se utilizava como Dia da Mulher era o 08 de março, a ONU instituiu essa data para a celebração anual.

Para a ONU, a luta pela igualdade é um esforço coletivo e a organização procura promover estratégias, acordos e programas ao redor do mundo para elevar o status da mulher na sociedade.

Ficou com mais alguma informação sobre esta luta que já vem de há muitas décadas e que continua, não obstante, nos dias de hoje. Com algum caminho ainda a percorrer e com muitas igualdades a serem destinadas. Um dia de cada vez neste indo nosso que cada vez mais tem voz Feminina. Só que é o que é e vale o que vale.

Cuidem -se. Muita saúde e até para a semana se os homens quiserem e as mulheres deixarem .  

Cristina da Costa/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER