Temas de Capa

Reflexão neste Dia do Canadá

Para aqueles de nós que vivem no Canadá, brevemente vamos celebrar outro Dia do Canadá – este muito diferente daqueles que lembramos do nosso passado.

É uma boa oportunidade para os nossos leitores refletirem sobre a realidade de hoje e as nossas experiências com a COVID-19 que, em parte, dependem de quem você é e de onde mora.

À medida que ultrapassamos o centésimo dia desde que a Organização Mundial da Saúde declarou, a 11 de março de 2020, a Covid-19 uma pandemia, vários relatórios têm vindo a examinar como a vida nas cidades do Canadá está a mudar, especificamente, na forma como vivemos, movemos, trabalhamos, cuidamos e prosperamos.

Nas palavras do diretor-geral da OMS, Dr. Tedros Adhanom Ghebreyesus, “esta não é apenas uma crise de saúde pública. É uma crise que afetará todos os setores”. Ele estava certo.

Nos últimos 100 dias, mais de 100.000 canadianos contraíram Covid-19 e milhares morreram. A maioria desses casos e mortes ocorreu nas cidades do Canadá. Como resultado, a vida urbana mudou fundamentalmente. Os serviços de emergência, incluindo assistência médica, trânsito, abrigo e apoio às empresas, foram severamente comprometidos ou até mesmo restringidos. As pessoas distanciaram-se fisicamente, ficando em casa – saindo do trabalho, da escola e do lazer. Famílias e colegas pararam de se reunir, conectando-se por vídeo e telefone. As empresas fecharam ou mudaram dramaticamente as operações. Os serviços públicos foram alterados ou descontinuados e a demanda por novas formas de apoio público explodiu. A maneira como percorremos as nossas cidades sofreu a mudança mais significativa desde a introdução do automóvel.

Como cidadãos, sugiro que exortemos os governos de todos os níveis a fazer disso uma prioridade nos próximos 100 dias para informar melhor a tomada de decisões. Também exige um papel maior para os líderes locais, cuja experiência no terreno, na resposta à Covid-19, é crucial para o desenvolvimento de planos de recuperação e reconstrução regionais, provinciais e federais. Os Governos Federal e Provincial devem abordar, imediatamente, a aguda crise financeira que os grandes municípios estão a enfrentar por causa da Covid-19.

Há muita coisa que não sabemos. O que sabemos é que nossas experiências com a Covid-19 dependem amplamente de quem somos e onde vivemos – e que a Covid-19 está a aprofundar as desigualdades existentes nas nossas cidades. Qual o impacto potencial da pandemia na introdução de mudanças fundamentais na maneira como planeamos e projetamos as cidades e como organizamos a entrega e o financiamento de serviços públicos essenciais daqui para frente? Viver com Covid-19 está a provar ser mais uma maratona do que um sprint.

A Covid-19 provocou um reexame notavelmente sincero das realidades da vida urbana no Canadá. Ao cruzarmos a marca dos 100 dias, começamos coletivamente a ver como será uma tarefa hercúlea reconstruída – e reconstruída novamente. Este continuará a ser um “momento prático”, porque as nossas cidades, para trabalhar para todos, precisam do envolvimento total de todos.

Em crise, há oportunidade. A nossa é examinar cuidadosamente o que está a acontecer ao nosso redor, identificar onde perdemos o rumo e ajudar as cidades do Canadá a encontrar uma maneira melhor, mais equitativa e mais resiliente.

Feliz Dia do Canadá para todos.

Peter Ferreira/MS

Redes Sociais - Comentários

Tags
Mostrar mais

Artigos relacionados

Back to top button

DONATE NOW

Close
Close