Temas de Capa

Por onde passará o futuro?

Por onde passará o futuro-canada-mileniostadiumQuando se fala em futuro e de que forma o podemos construir, é imperativo ouvir quem dele fará parte. A Luso-Can Tuna tem tido um papel muito relevante na preservação e divulgação da cultura portuguesa por terras canadianas, e por isso, nesta edição do jornal Milénio Stadium, procurámos a opinião de Kelly Alves, membro deste grupo, para percebermos qual é a perspetiva dos jovens luso-canadianos sobre o futuro da comunidade e da salvaguarda dos valores e cultura que nos ligam enquanto povo.

Milénio Stadium: Que significado tem para um/a jovem lusodescendente a preservação da cultura portuguesa no Canadá?

Kelly Alves: Para muitos é importante saber de onde vêm os seus pais e avós. Conhecer e visitar um país lindo que é Portugal, é sem dúvida uma das melhores experiências para um lusodescendente. Se eu não tivesse sido introduzida à cultura portuguesa eu não saberia, por exemplo, o quão boa é a cozinha portuguesa ou o quão divertido é dançar ao som das músicas portuguesas.

MS: As associações e clubes, que têm desenvolvido trabalho de divulgação de Portugal no Canadá, estão neste momento a passar por dificuldades e o seu futuro, em grande medida, encontra-se ameaçado devido à pandemia. Na sua opinião, de que forma esta situação poderá contornada e resolvida, de forma a que a cultura portuguesa não morra neste país?

KA: A única coisa que eu consigo pensar neste momento é investir o máximo possível nas redes sociais, partilhar histórias, fotografias e vídeos de eventos passados, para que as pessoas não se esqueçam dos bons momentos que já passaram. Para que as pessoas possam mostrar e partilhar com os seus familiares e lusodescendentes que estão nas fotos, que estiveram presentes naqueles eventos.

MS: O que acha da possibilidade de se concentrarem todos os clubes e associações numa só Casa de Portugal?

KA: Acho uma excelente ideia desde que seja depois da Covid-19 estar controlada, neste momento estamos a ser atacados com a segunda onda da pandemia e seria muito arriscado juntar pessoas. No entanto, ter todos juntos num só sítio é, por acaso, algo que eu sempre quis ver, mas não sei se cabemos todos numa só casa, talvez no exterior, todos os portugueses gostam de um bom BBQ e um palco.

Catarina Balça/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

DONATE NOW