Temas de CapaBlog

Ontário: Maioria dos alunos regressa às aulas tradicionais a tempo inteiro

A maioria dos alunos de Ontário vai regressar às salas de aula tradicionais a tempo inteiro em setembro. Os alunos do ensino básico e de escolas de maior dimensão vão ter aulas cinco dias por semana, enquanto os alunos do ensino secundário vão assistir às aulas apenas metade do tempo para reduzir possibilidade de transmissão da COVID-19. Os alunos de escolas maiores vão ter turmas de 15 alunos no máximo e quando não estiverem na escola vão produzir trabalho independente que vai fazer parte do currículo. O plano dá aos pais a opção de manter os filhos fora da sala de aula e diz que as escolas devem permitir que os alunos aprendam à distância. Os alunos do 4.º ao 12.º vão usar máscara e os mais novos são aconselhados a usar máscara em áreas comuns dentro da escola.

 

Ontário Maioria dos alunos-BART-capa-mileniostadium
Foto: DR

 

O Governo de Ontário está a investir $309 milhões para garantir que o regresso às aulas acontece em setembro de forma segura. Alunos e profissionais da educação vão voltar às escolas a 8 de setembro e o governo garante que consultou os maiores especialistas do país e da província para traçar o plano.  No ano letivo de 2018-2019 em Ontário existiam mais de 128,000 professores, os dados são do Ministério da Educação de Ontário. Na escola, como na maioria dos outros setores, o dia a dia dos alunos e dos professores vai ser diferente devido ao risco de transmissão da COVID-19. A maior fatia do bolo é destinada para contratar auxiliares de educação e para comprar material de limpeza ($75 M), depois segue-se a compra de máscaras e equipamento de proteção individual (PPE) ($60 M) e a contratação de 500 enfermeiros para ajudar as direções escolares a seguir os protocolos de saúde ($50 M). Para limpar autocarros escolares e comprar PPE para os condutores dos autocarros a província destina $40 M; para recrutar mais professores são $30 M e para testar são $23.6 M. Os últimos $30 M do plano vão ser usados para apoios excecionais a alunos com necessidades especiais; para preparar o staff escolar para os novos protocolos de saúde e segurança e para apoio à saúde mental.

Cinco províncias canadianas, para além de Ontário, já revelaram os seus planos para arrancar com o próximo ano letivo em setembro: Colúmbia Britânica, Alberta, Saskatchewan, Manitoba e Quebec. O Premier de Ontário Doug Ford, disse publicamente que algumas províncias elogiaram o plano de Ontário, e gostavam que um plano semelhante fosse adotado pela sua província. Algumas províncias optaram por permitir que o uso da máscara nas escolas fosse opcional, tanto para alunos como para o staff. Em Ontário estas são as principais regras para o novo ano letivo: os horários e a dimensão das turmas vai depender da área onde vivem. Os alunos do ensino primário e de muitas escolas secundárias vão regressar à escola cinco dias por semana em turmas de dimensões normais, mas o ministério da Educação explica que em 24 escolas onde há mais risco de transmissão os alunos vão ter aulas físicas só metade do tempo. As outras horas vão ser compensadas com trabalho independente que vai entrar no currículo. Os pais vão ter sempre o direito de decidir se querem que os filhos frequentem as aulas físicas e as direções escolares ficam obrigadas a dar aos pais a opção de ensino à distância caso assim o entendam. Em relação ao ensino secundário as escolas localizadas em áreas de elevado risco vão ter as suas turmas reduzidas para 15 alunos. Já os alunos do ensino primário não vão ser divididos em turmas mais pequenas, mas a sua exposição a diferentes professores vai ser limitada. O Ministro da Educação, Stephen Lecce, diz que o objetivo é manter os alunos com um metro de distância entre si e o plano refere que as escolas devem promover “a maior distância possível” em vez de ser pura e simplesmente uma imposição. As máscaras vão ser obrigatórias para os alunos do 4.º ao 12.º ano embora o Ministério recomende que as crianças mais jovens também as utilizem. Em alguns agrupamentos os alunos vão ter de fazer um pré-registo antes de ser deslocarem até à escola e algumas das escolas de Ontário vão poder reduzir ou proibir as visitas, inclusive de pais. Os intervalos vão ser por marcação para permitir que todos os alunos lavem as mãos.

Pais e professores estão preocupados sobretudo com a dimensão das turmas e uma petição online que critica o plano do Governo para reabrir as escolas em setembro já recolheu 200,000 assinaturas. Dois dos principais sindicatos da educação ouvidos esta semana pelo Milénio Stadium pedem ao Governo para recuar e ouvir as preocupações dos pais e dos profissionais da área da educação. O setor reclama mais financiamento para criar turmas mais pequenas, contratar mais funcionários e substituir ventilação. Outra das possibilidades que os sindicatos defendem seria adiar o arranque do ano letivo para outubro depois de reformular o plano existente. O ministro da Educação diz perceber os receios dos pais e dos professores, mas sublinha que Ontário é a província que está a investir mais dinheiro por aluno em todo o país. 

O Premier Doug Ford garante que a decisão de manter as turmas do ensino primário iguais não é económica e informa que é fundamentada em conhecimento científico “de algumas as mentes mais brilhantes de todo o país”. Ford tem vindo a dizer nos seus briefings diários que caso surja uma nova vaga de COVID-19 não vai hesitar em fechar as escolas.

Para o próximo ano letivo de 2020-2021 a província está a investir $25.5 mil milhões, um aumento de $736 milhões em relação ao ano anterior.  A verba vem através do Grants for Students Needs (GSN) e é, de acordo com Lecce, o maior investimento da história da província em educação. “O nosso governo está a apoiar todas as escolas da província para garantir que alunos e educadores têm os recursos necessários para um ano de sucesso”, disse o ministro da Educação em junho. Cada aluno vai custar à província cerca de $12,525, mais $250 do que no ano letivo de 2019-2020.

Na quinta-feira (13), o ministro da Educação anunciou mais $500 milhões de dólares para as escolas da província. O dinheiro vai estar disponível na próxima semana e vai ser distribuído pelas escolas de acordo com o número de alunos matriculados. Cada direção escolar vai decidir onde gastar o dinheiro e pode, se assim o entender, contratar mais professores, assistentes e zeladores. Lecce informou que $50 milhões destinam-se a substituição de ventilação nas escolas para melhorar a qualidade do ar e $20 milhões são para apoiar o ensino virtual. Com esta nova tranche, o regresso às aulas na província vai custar quase $900 milhões aos contribuintes, um valor histórico que o Governo espera ser suficiente para garantir que o novo ano letivo decorre sem sobressaltos.

Em Ontário existem 72 direções escolares e o Toronto District School Board é o maior conselho escolar de escolas do Canadá e o quarto maior conselho escolar da América do Norte. Dados da província de Ontário revelam que no ano letivo de 2018-2019 Ontário tinha mais de dois milhões de alunos matriculados em escolas públicas.

Joana Leal/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

DONATE NOW