Temas de Capa

Oh Canada, our home and native land…

Caro leitor,

Gosto de iniciar os meus artigos de opinião, a cada semana sempre com uma saudação cordial a si que, semana após semana, nos “empresta” um pouco do seu valioso tempo para pegar no nosso jornal e ler os nossos artigos, que são de grande qualidade e creio com muito bom conteúdo.

Muito grata.

Esta semana vou-lhe escrever sobre o “Estado do nosso país” como eu o vejo, claro. A minha opinião a mim me pertence e não implica nunca e jamais influencia quem quer que seja. Nunca foi, não é e jamais será essa a intenção.

O nosso Canadá, forte, imponente, acolhedor. País que nunca e jamais volta as costas às mais variadas injustiças e, de certa forma,  acolhe o maior número de etnias a nível mundial ainda como país.

Ainda assim, o nosso país, que me acolheu a mim, a si, aos nossos amigos e familiares, estará  mesmo de braços abertos, neste momento de crise, para nos proteger?

Volvidos mais de três meses e meio desta insanidade mundial, já me passaram muitos pontos de situação pela cabeça.

Porque será que os nossos políticos andam agitados num verdadeiro corrupio de “indecisões“? Muitos são até induzidos em erro ao achar que eles estão a agir conforme.  Será? Ou não será este também um golpe de conspiração política para se autopromoverem?

Já reparou na sintonia pela qual estão unidos, não se notando sequer insinuações políticas contrárias entre eles?

Desde o nosso Mayor, ao Sr. Premier e, claro, o nosso  Primeiro-Ministro “querido” e tão bonito que ele fica  nas fotos e nas assíduas conferências de imprensa que dá desde o seu confortável poleiro em Ottawa.

Que opina você sobre isto?

Onde estamos realmente?

Digo-lhe – estamos meramente a ser vítimas de manipulação política, perdemos a nossa liberdade, perdemos o direito de exercer, na grande parte, as nossas funções como empresários, neste caso, e até mesmo como cidadãos, sendo manipulados e sem direito a muito mais. Completamente aprofundando assim o estado caótico da nossa cidade e província.

Diga-me o que opina sobre os amontoados de gente em parques públicos.  Os amontoados de gente em manifestações que, ao fim e ao cabo, surtem sempre ou quase sempre o mesmo efeito. Ainda que acredite acerrimamente no propósito das mesmas. Mas nesses casos, onde estavam os nossos “queridos políticos “?

Pergunto-me.  Estariam eles com receio das grandes massas e preferiram não opinar?  Depois, e uma vez mais, castigam-nos com prolongamentos de estado de emergência. Com mais restrições… diga-me caro leitor. De que “praga” sofre mesmo a cidade de Toronto? Somos responsáveis (colocando de partes os irresponsáveis, claro está) para pagar os nossos impostos e não somos responsáveis para operar os nossos negócios e acautelar as nossas responsabilidades?

Como é possível que o Sr. Doug Ford não faça mandatório o uso de máscaras em público? E continua com a economia encerrada? Onde está a essência? Manipulação. Creio que já nem sabem mais o que nos fazer, nem como nos controlar. Não contem com o meu voto. Não o merecem.

Nós cidadãos somos meros pagadores de coimas e impostos. Não temos direitos neste Canadá novo. Simplesmente deveres e muitas obrigações. E onde estamos?

Para onde nos leva este rumo “desbaratinado“?

A ver, a ver.  O prenúncio da miséria e da desgovernação está ali por detrás da porta.

Cabe a cada um de nós tentar reivindicar, novamente, os nossos direitos e não acartar somente com as nossas obrigações.

Cristina da Costa/MS

Redes Sociais - Comentários

Tags
Mostrar mais

Artigos relacionados

Back to top button

DONATE NOW

Close
Close