Temas de Capa

Obesidade – Somos todos gordos?

A obesidade é uma condição de excesso de gordura ou peso. No Canadá, esta é uma preocupação crescente na área da saúde, que se espera ultrapasse o tabaco como causa de morbidade e mortalidade e, cada ano, representa cerca de 4 mil milhões de dólares em despesas para a economia. Em 2017, a Public Agency of Canada declarou que 64% dos adultos canadianos, com idade superior a 18 anos têm excesso de peso ou são obesos, e que 60% das crianças com idades entre os 5 e os 17 anos sofrem de condições semelhantes.

Em 1978, cerca de 14% dos canadianos foram classificados como obesos. O número subiu para 28% em 2014, e 64% em 2017. Em 2025, espera-se que 34% dos canadianos em idade adulta sejam considerados obesos.
As pessoas são consideradas obesas se tiverem demasiada gordura no seu corpo, de tal modo que possa provocar efeitos negativos na sua saúde. Normalmente, este indicador é medido através do índice de massa corporal que é calculado dividindo o peso de uma pessoa, em quilogramas, pela sua altura, em metros quadrados. Um adulto, com idade superior a 18 anos, é considerado obeso quando atinge os 30kg/m² ou mais. Lidar com o excesso de peso ou obesidade é uma luta diária para muitas pessoas. Comer demais é um vício que afeta as pessoas de forma idêntica ao vício de fumar ou beber.

A maior parte de nós todos os dias olha-se ao espelho e não gosta do que vê. Aqueles que, por períodos de tempo extensos, têm problemas com o seu peso, sentem-se desesperados num mundo de modelos perfeitos/as e “Kardashionismos”. Precisamos de ter corpos perfeitos? Não, mas temos de ter corpos saudáveis. Na nossa saúde mental e qualidade de vida, o fardo do peso tornou-se epidémico e fora de controlo. Assim como muitos de nós lutam para não ganhar peso, as empresas alimentares continuam a conspirar para que continuemos a comer alimentos pouco saudáveis e ricos em gordura. Muitos sentem-se como os peregrinos, numa estrada solitária, incapazes de gerir as pressões sociais que nos julgam pela nossa aparência. Ser gordo não significa que não estejamos a tentar controlar o que comemos e a fazer os exercícios recomendados. Muitos estão em dietas durante anos e mesmo assim ganham peso. Alguns dirão que é um estado de espírito e que o que conta é a beleza interior, mas ser politicamente correto acerca da realidade não ajuda a resolver o problema. A realidade é que a sociedade nos julga pela nossa aparência, e com a era das redes sociais e publicações de anúncios de dietas e corpos magros, a luta irá continuar. As desigualdades sociais para com pessoas com excesso de peso ou obesidade são evidentes, especialmente entre as mulheres. Mulheres com menores níveis de educação têm duas a três vezes mais probabilidade de terem excesso de peso, em comparação com aquelas que têm níveis de educação superior.

Devemos ponderar se somos viciados em comida, ao perguntar-nos as seguintes questões:
  1. Já quis parar de comer e percebe que simplesmente não consegue?
  2. Pensa regularmente em comida ou no seu peso?
  3. Encontra-se a tentar uma dieta ou plano alimentar, um atrás do outro, sem sucesso duradouro?
  4. Tem uma compulsão alimentar e depois “livra-se dessa compulsão” através do vómito, exercício, laxantes ou outras formas de purificação?
  5. Come de forma diferente quando está em privado do que quando está com outras pessoas?
  6. Já foi abordado/a por um médico ou membro familiar preocupado com os seus hábitos alimentares ou peso?
  7. Come grandes quantidades de comida de uma só vez (compulsão)?
  8. Come para fugir aos seus sentimentos?
  9. O seu problema de peso deve-se ao facto de “petiscar” o dia inteiro?
  10. Come quando não tem fome?
  11. Já descartou comida para a recuperar mais tarde?
  12. Come em segredo?
  13. Fica em jejum ou restringe a quantidade de comida que consome?
  14. Já roubou comida a outra pessoa?
  15. Já escondeu comida para garantir que teria “suficiente”?
  16. Sente necessidade de se exercitar excessivamente de forma a controlar o seu peso?
  17. Calcula, de forma obsessiva, as calorias que gastou em relação às calorias que consumiu?
  18. Sente-se frequentemente culpado ou envergonhado pelo que comeu?
  19. Está à espera que a sua vida comece “quando perder peso”?
  20. Sente-se desesperado na sua relação com comida?

Se respondeu sim a alguma questão acima mencionada, então pode ter um vício relacionado com comida e deverá consultar o seu médico.

Como afirma o ditado “Quando olhas para os meus olhos vês a minha alma ou o meu corpo imperfeito”?
Ame-se ao tomar conta dos dois.


Obesity is a condition for being grossly fat or overweight. In Canada, it’s growing health concern, which is expected to surpass smoking as the leading cause of preventable morbidity and mortality and represents expenditures of about 4 billion dollars for the economy each year. In 2017, the Public Agency of Canada reported that 64% of Canadian adults over the age of 18 are overweight or obese and 60% of children aged 5 to 17 suffer from similar conditions.

In 1978, about 14% of Canadians qualified as obese. The number climbed to 28% in 2014 and 64% in 2017. By 2025, 34% of all Canadian adults will be considered obese.

People are considered obese if they have too much fat on their body that can negatively affect their health. This is usually measured using Body Mass Index calculated by dividing a person’s weight in kilograms by their height in meters squared. 30kg/m² or higher is considered obese for adults aged 18 and over. Dealing with overweight or obesity is a daily struggle for many people. Overeating is an addiction that affects people in similar ways as drinking and smoking.

Most of us will look in the mirror each day and not like what we see. Those who have weight issues for extended periods of time feel hopeless in a world of perfect models and ‘Kardashianism’. Do we need to have perfect bodies? No, but we do need to have healthy bodies. The cost of weight in both mental health and our quality of life is becoming epidemic and out of control. As many of us struggle to keep our weight down, food companies continue to conspire to keep us eating unhealthy foods and fat. Many feel like pilgrims on a lonely road unable to cope with societal pressures that judge us by our appearance. Being fat does not mean that we are not trying to watch what we eat and perform recommended exercises. Many are on diets for years and still gain weight. Some will tell you it’s a state of mind and what counts is the beauty inside, but being politically correct about reality does not help solve the problem. Reality is that society judges us by the way we look and in the age of social media postings advertising diets and skinny bodies, the struggle will continue. Social inequalities in overweight and obesity are strong, especially among women. Less educated women are two to three times more likely to be overweight that those with higher level of education.

So, we have to ask ourselves if we are food addicts by answering these questions:
  1. Have you ever wanted to stop eating and found you just couldn’t?
  2. Do you think about food or your weight constantly?
  3. Do you find yourself attempting one diet or food plan after another, with no lasting success?
  4. Do you binge and then “get rid of the binge” by vomiting, exercise, laxatives, or other forms of purging?
  5. Do you eat differently in private than you do in front of other people?
  6. Has a doctor or family member ever approached you with concern about your eating habits or weight?
  7. Do you eat large quantities of food at one time (binge)?
  8. Is your weight problem due to your “nibbling” all day long?
  9. Do you eat to escape from your feelings?
  10. Do you eat when you’re not hungry?
  11. Have you ever discarded food, only to retrieve and eat it later?
  12. Do you eat in secret?
  13. Do you fast or severely restrict your food intake?
  14. Have you ever stolen other people’s food?
  15. Have you ever hidden food to make sure you have “enough”?
  16. Do you feel driven to exercise excessively to control your weight?
  17. Do you obsessively calculate calories you’ve burned against the calories you’ve eaten?
  18. Do you frequently feel guilty or ashamed about what you’ve eaten?
  19. Are you waiting for your life to begin “when you lose the weight”?
  20. Do you feel hopeless about your relationship with food?

If you answered yes to any of the above questions, then you may be a food addict and should follow up with your doctor.

As the saying goes “when you look at my eyes, do you see my soul or my imperfect body”?
Love yourself by taking care of both.

Manuel DaCosta

Redes Sociais - Comentários

Tags
Mostrar mais

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER

Close
Close