Temas de Capa

Número de médicos per capita no Canadá atinge recorde

O número de médicos no Canadá está a crescer duas vezes mais do que a população. Os dados são de estudo do Canadian Institute of Health Information.

A população canadiana aumentou 4,6% entre 2014 e 2018, enquanto que o número de médicos cresceu 12,5% no mesmo período de tempo. Em 2018 existiam quase 90,000 médicos no país – o número mais elevado per capita desde sempre – e por cada 100,000 habitantes existiam 241 médicos.

Isto é um pouco mais do que o México e um pouco menos do que os EUA- mas bem abaixo dos níveis da Argentina, Alemanha, França, Itália e Espanha, todos com índices próximos de 400 médicos por 100 habitantes.

A nível de províncias, Manitoba e Columbia Britânica registam o maior aumento de médicos, na ordem dos 17%, enquanto que o Quebec está no fundo da lista com um aumento de 5,9%, mesmo atrás da Nova Scotia que apresenta uma média de 6,5%.

O estudo conclui ainda que hoje existem mais mulheres médicas do que homens. Desde 2014 que o número de mulheres que exercem medicina aumentou 21%, ao passo que nos homens aumentou apenas 7%.

Em 2014, segundo a OCDE, Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico, o Canadá gastou em saúde $5,543 por pessoa, bem acima da média da OCDE de $4,463.

O Canadian Institute of Health Information é uma organização independente, sem fins lucrativos, que trabalha com governos e partes interessadas para reunir e fornecer informação sobre políticas e investigação na área da saúde.

Todos os dias os médicos atendem mais de 320,000 ontarianos. Os números são da Ontario Medical Association (OMA), uma associação que representa mais de 42,000 médicos e estudantes de medicina em toda a província.

OHIP com novas regras

Desde o início de outubro que o OHIP, o seguro público de saúde Ontário, tem novas regras. As mudanças surgem depois de o governo ter recebido 11 recomendações de um grupo de profissionais em agosto.

A ministra da saúde, Christine Elliott, e a Ontario Medical Association aceitaram as recomendações e o governo considera que as mudanças vão melhorar a qualidade dos cuidados de saúde e poupar aos contribuintes $83,000,000.

A província vai deixar de financiar alguns testes de fertilidade e remover cera dos ouvidos só é coberto pelo OHIP se for mesmo prioritário para o paciente.

O Premier de Ontário, Doug Ford, prepara-se ainda para reduzir as unidades públicas hospitalares de 35 para 10 unidades, uma medida que vai poupar $200,000,000 ao Estado.

Entrega de vacinas contra a gripe está atrasada

Os atrasos na entrega de vacinas contra a gripe estão a fazer com que alguns ontarianos tenham que esperar um pouco mais para receber a dose. A província já tornou público que o atraso se deve à Organização Mundial da Saúde que está a demorar mais tempo a identificar as estirpes comuns do vírus Influenza que estão a circular este ano.  Ainda assim, a província recebeu no início de setembro as primeiras doses da vacina cuja utilização é indicada para idosos e grupos de risco.

Segundo o Influenza Vaccine Coverage Survey, só 42% dos adultos canadianos recebeu a vacina contra a gripe no último ano.

Dois dos maiores hospitais da GTA superlotados

O Brampton Civic Hospital e o Etobicoke General Hospital operaram no primeiro semestre do ano acima da sua capacidade, de acordo com dados recém-divulgados.

Em abril, ambos os hospitais tiveram uma taxa de ocupação de 106% nas camas hospitalares, enquanto que a urgência registou uma ocupação de 104% e de 106%, respetivamente.

Os dados, obtidos pelo William Osler Health System, através de um pedido de acesso à informação pelo NDP de Ontário, foram divulgados esta semana. Segundo um padrão internacional os hospitais devem operar dentro de 85% da sua capacidade de forma a terem disponibilidade para pacientes de última hora.

O Brampton Civic Hospital tem lidado nos últimos anos com superlotação severa à medida que a população da cidade continua a aumentar. Uma investigação da CBC Toronto revela que em 2016, por exemplo, mais de 4,000 pacientes tiveram que aguardar pela sua vez no corredor do hospital.  Em junho, o presidente da Câmara Municipal de Brampton, Patrick Brown, lançou uma petição para pressionar a província a ajudar a cidade com mais verbas.

Circunstâncias semelhantes também têm atormentado o Etobicoke General Hospital, onde os médicos tornaram público que o número de pacientes que procura atendimento ultrapassa em muito a capacidade do hospital.

A líder do NDP, Andrea Horwath, questionou esta semana a ministra da Saúde Ontário, Christine Elliott, sobre a sobrelotação dos hospitais e referiu que os dados revelam ainda que por cada paciente que o Peel Memorial Centre recebe, cinco aguardam atendimento.

A ministra enfatizou o histórico do atual governo em financiar o serviço de saúde e atribuiu a responsabilidade ao anterior governo liberal. “Sabemos que existem muitos hospitais em Ontário que estão a operar acima da sua capacidade, mas isto não é novo, está a acontecer há muitos anos. Fomos eleitos para mudar esta realidade e estamos a trabalhar nisso”, disse.

Elliott informou que este ano Ontário já disponibilizou $384,000,000 para os hospitais provinciais e comprometeu-se a gastar $27 mil milhões em infraestruturas hospitalares na próxima década.

Joana Leal/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

DONATE NOW

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER