Temas de Capa

Nossos avós são a personificação do “amor em dobro”

Nossos avós são a personificação-mileniostadium-mundo
Foto: DR

Os dias passam, os problemas vêm e vão, os fatos se sobrepõem, trabalho para fazer, filhos para cuidar, curso para terminar, enfim, muita coisa para resolver ao mesmo tempo. E lá estão eles, geralmente numa vida pacata, com os ombros cansados depois de anos nessa mesma vida frenética que estamos tendo agora, torcendo por nós e revivendo lembranças.

Vejo a importância do tema no jornal Milénio Stadium e fico grata pelo feito. Precisamos prestar homenagens e voltarmos nosso olhar com mais carinho e atenção para aqueles que representam “amor em dobro”! E escrever, relembrando essas pessoas que estão tão longe de mim, me emociona, porque de alguma forma, sinto-me como se estivesse com eles de novo.  Revisito momentos, lugares, infância, cheiros, aprendizado, texturas… é muito bom!

Meus avós cuidaram muito de mim, porque meus pais trabalhavam muito, e às vezes, tinham que me deixar com eles, ou na época em que minha irmã mais velha teve que fazer uma cirurgia de alto risco no coração e meus pais tiveram que contar com a ajuda dos avós nessa empreitada, por isso, passei uma temporada com essas pessoas queridas.

E foi um período muito importante porque eles fizeram de tudo para suprir a falta dos meus pais. Eu era muito pequena e apegada a minha mãe, filha caçula, imagina a dor que foi para ambas, essa separação!

Mas a vida tem dessas coisas e, se não fossem meus avós amorosos, acho que seria um grande trauma para mim e eles conseguiram transformar essa situação difícil em um grande reduto de amor com toda a simplicidade do mundo, isso porque meus avós são pessoas humildes, simples e sem nenhum luxo, mas eles tinham uma riqueza imensa no olhar, nos seus ensinamentos, nas poesias que meu avô fazia e recitava para mim, na banana amassada com açúcar que minha avó preparava para fazer um docinho com o intuito de me deixar feliz, na liberdade de me deixar brincar, inclusive, com o véu delicado que minha avó colocava na cabeça para rezar.

Enfim, tantas coisas boas que eu tenho, aqui, guardadas na meu porta-jóias da alma, para recordar com alegria.  Relembrar tudo isso, me deu a oportunidade de trazer eles comigo de novo.

Essa vida corrida, essa busca incessante pelos nossos objetivos, nos afastam dessas pessoas que construíram parte de quem somos, e ter datas comemorativas como essa nos dá a certeza de que os nossos avós merecem mais a nossa presença, respeito e amor em todos os dias da nossa existência.

Adriana Marques/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

DONATE NOW