Temas de Capa

NDP vai pressionar governo a criar imposto sobre grandes fortunas

NDP vai pressionar governo-canada-mileniostadium

Depois de chegar a um acordo para aumentar os benefícios da pandemia para os doentes e desempregados, o NDP vai pressionar o governo liberal minoritário para criar um imposto sobre as grandes fortunas. Na semana passada o NDP deu a hipótese ao governo Liberal de continuar no poder e evitar um cenário de eleições antecipadas durante a pandemia.

Na segunda-feira (26), o governo apresentou legislação para atender ao pedido do NDP de aumentar o número de canadianos que vão poder receber o Canada Recovery Sickness Benefit caso tenham de faltar ao trabalho se ficarem doentes. O NDP também recebeu o crédito por ter pressionado o governo a manter o subsídio de desemprego em $500 semanais depois do CERB ter terminado na semana passada. O novo apoio, o Canada Recovery Benefit paga até $1.000 por cada duas semanas e é válido até 25 de setembro de 2021.

O NDP explica que o novo subsídio de apoio à doença vai ser quase universal no país e garante que vai apoiar o Discurso de Trono do governo, o que significa que o próximo voto de confiança sobre o discurso não vai desencadear uma eleição. No entanto o partido assegura que vai pressionar o primeiro-ministro Justin Trudeau a concordar com algumas das prioridades do NDP, o que poderá acontecer quando o governo Liberal apresentar o próximo orçamento. O NDP vai pressionar para que se criem novos impostos e para que desta forma Otava aumente as receitas e possa gastar nos subsídios sociais criados para apoiar famílias e empresas. Para responder à pandemia, durante os primeiros quatro meses do ano fiscal, o governo federal teve um déficit de $148,6 mil milhões.

Os impostos sobre as grandes fortunas incluem gigantes da web como o Facebook e a Google e o imposto sobre a riqueza que o NDP prometeu durante a campanha política consiste num imposto de 1% sobre riqueza superior a $20 milhões.  Segundo as contas do Parliamentary Budget Officer independente, este último pode render $70 mil milhões aos cofres de Otava durante 10 anos.

Liberais dizem que moção conservadora queria “continuar uma investigação sem fundamento”

O Milénio Stadium procurou ouvir os Liberais, o NDP, os Verdes e o os Conservadores sobre as negociações da semana passada com o NDP, mas até ao fecho desta edição não obtivemos resposta do líder do PC, Erin O’Toole. Embora o Gabinete do primeiro-ministro se tenha recusado a falar abertamente sobre as negociações com os vários órgãos de comunicação, a MP Liberal eleita por Davenport, Julie Dzerowicz, aceitou falar ao nosso jornal.

Dzerowicz acusa os Conservadores e o Bloco Quebecois de quererem continuar com uma investigação “sem fundamento” e diz que agora não é altura para eleições. “A moção que os conservadores, com o apoio do bloco Quebecois, levaram ao Parlamento, exalava falta de confiança no governo. Os partidos de oposição precisam decidir se têm confiança no nosso governo para administrar esta crise ou se querem uma eleição. O Comité de Finanças e o Comité de Ética passaram meses a investigar as questões por trás da moção dos conservadores e não encontraram nenhuma indicação de uso indevido de fundos ou irregularidades. A moção conservadora foi um exagero e uma tentativa falsa de continuar uma investigação sem fundamento e teria atrapalhado o foco na resposta à pandemia. No momento do voto de confiança, tínhamos mais de 2.400 novos casos de COVID-19 no Canadá e 22.000 casos ativos em todo o país, é óbvio que não queríamos uma eleição porque estamos na maior crise económica e de saúde de uma geração”, explicou a MP.

Com o chumbo da moção Conservadora, o governo de Justin Trudeau espera agora concentrar-se nos assuntos que interessam realmente aos canadianos – “recuperar a economia, fazer a transição para uma economia assente num baixo nível de emissões de carbono, eliminar o problema crónico dos sem-abrigo, etc.”, enumerou Julie Dzerowicz.

Sobre o país ir a eleições na primavera, possibilidade que é avançada por alguns especialistas, a MP esclarece que “só depende da oposição”. “Ninguém no Partido Liberal quer uma eleição neste momento, o nosso foco é colocar o país e a economia a funcionar. Temos muito trabalho pela frente e queremos reconstruir um país forte e resiliente”, garantiu.

Sobre o impacto da COVID-19 nas políticas governamentais, a MP justifica que Otava está a tomar decisões que têm impactos a curto e a longo prazo. “A pandemia vai ter impactos estruturais de longo prazo em grandes partes de nossa economia e, ao investirmos agora, não estamos apenas a ajudar os canadianos a administrar esses impactos, mas também a reduzir alguns dos custos a longo prazo que só vão aumentar se as pessoas e as empresas forem não tiverem hoje o apoio de que precisam”, antecipou. 

Numa altura em que todos os holofotes estão sobre as eleições americanas e em que três quartos dos canadianos admitiram, numa sondagem recente, preferir que Biden fosse o próximo Presidente dos EUA, os Liberais não revelam a sua preferência, mas asseguram que vão trabalhar para defender os interesses do Canadá. “Os EUA são o maior parceiro comercial do Canadá, temos sempre que trabalhar em estreita colaboração com o nosso vizinho e por isso não importa quem o lidera. O nosso governo federal liberal está a preparar-se para reagir a qualquer resultado nas eleições presidenciais dos EUA e vai trabalhar com o vencedor para garantir que os interesses do Canadá e dos canadianos são totalmente protegidos e promovidos. O mundo é um lugar complexo e o Canadá continua a construir relações sólidas com países com ideias semelhantes, o que nos ajuda a enfrentar alguns desses desafios contínuos”, informou a MP.

Esta semana o líder do NDP, Jagmeet Singh, disse à Câmara dos Comuns que é “inaceitável” que trabalhadores e pequenas empresas “paguem o preço” pelo processo de recuperação da pandemia e pediu um imposto sobre as grandes fortunas. A vice-primeira-ministra Chrystia Freeland adiantou que o governo tem um plano para tributar os gigantes da web “que vai unir os canadianos”. Na segunda-feira (26) o governo apresentou um plano para substituir o CERB por outros subsídios sociais, um pacote que sem as novas exigências do NDP estava projetado para custar $39 mil milhões aos cofres do Estado. O NDP quer um subsídio de desemprego mais abrangente que possa beneficiar mais pessoas que vai pagar até $500 por semana. Para as pessoas que não se qualificam para este subsídio, os trabalhadores independentes, por exemplo, vão poder ter acesso ao Canada Recovery Benefit que vai também pagar $500 por semana, em vez dos $400 que foram inicialmente propostos por Otava.

NDP diz que “liberais estão focados em si mesmos e nos amigos ricos”

Em declarações ao Milénio Stadium, o líder do NDP, Jagmeet Singh disse que os liberais “estão focados em si mesmos e nos seus amigos ricos” e acusou o PM Justin Trudeau de colocar os seus interesses à frente dos interesses dos canadianos. “O NDP está preparado para eleições se isso realmente vier a acontecer. A nossa prioridade é apresentar uma opção focada na justiça, na equidade e numa ação climática real. Se os canadianos confiarem em nós vamos tornar os medicamentos, as creches e os dentistas universais”, disse Jagmeet Singh.

O líder do NDP foi eleito em 2017 e tornou-se no primeiro líder não-branco a ser eleito para representar um partido no Canadá. Recentemente a líder dos Verdes também se tornou na primeira mulher negra a ser eleita para liderar um partido no Canadá.

Mudanças que o líder do NDP defende serem cruciais na arena política. “Para ter uma democracia mais inclusiva, precisamos de mais minorias canadianas e de indígenas a participar na arena política. É muito encorajador ver os negros a preencher posições no poder, isto vai permitir aos canadianos discutir os problemas da comunidade negra”, referiu.

O NDP concluiu que a COVID-19 expôs problemas que já existiam antes na sociedade canadiana e exemplifica. “Cuidados de saúde subfinanciados ameaçados por privatizações, uma rede de segurança social que não estava ajustada ao gigante mercado de trabalho precário e a dependência do Canadá em bens vitais que podem facilmente ficar fora do nosso alcance. Os canadianos estão a aprender que somos mais fortes quando cuidamos uns dos outros”, rematou.

Jagmeet Singh diz que “cabe ao eleitorado americano escolher o seu líder”, mas promete “continuar a defender os trabalhadores e os agricultores canadianos de novas tarifas aduaneiras, seja no setor do aço, do alumínio ou da produção de leite”.

O governo também está a planear criar o Canada Recovery Caregiving Benefit que vai pagar $500 por semana a cada família onde alguém tenha de faltar ao trabalho para cuidar de uma pessoa dependente ou de uma criança com menos de 12 anos.

Otava também quer criar o Canada Recovery Sickness Benefit, que vai fornecer $1000 por duas semanas quando um trabalhador faltar ao trabalho porque contraiu COVID-19 ou porque precisa de se autoisolar. O governo tinha proposto que este subsídio fosse válido apenas para quem testasse positivo para a COVID-19, mas o NDP fez com que os liberais expandissem o apoio para outras doenças que “na opinião de um médico os tornariam vulneráveis para contrair COVID-19”.

O pacote de benefícios sociais proposto pelo governo federal vai manter-se em vigor até outubro de 2021. Na quinta-feira (29 de outubro) Justin Trudeau reuniu-se, através de videoconferência, com os líderes da UE antes das eleições americanas para reforçar o apoio à ordem mundial.

Joana Leal/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

DONATE NOW

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER