Temas de Capa

Here comes the sun

O verão chegou! A estação mais quente do ano, como em tudo o resto, é amada por muitos e odiada por outros tantos. Sim, acreditem que existem pessoas que adoram chuva! Cada cabeça, sua sentença… Quanto a mim, só a adoro caso eu esteja na minha cama, bem quentinha, a ouvi-la cair lá fora!

Mas deixemos o “mau tempo” de lado – é tempo de calor e de diversão! Muitos são aqueles que, nesta altura, rumam à praia, a lagos, a piscinas, a praias fluviais… Bem, vai depender sempre do gosto e também do local de residência de cada um, não é verdade?

Seja qual for o local escolhido para aproveitar da melhor maneira os raios de sol há algo que não pode falhar – os cuidados básicos que necessitamos de ter para não colocarmos a nossa saúde em risco.

Vamos por partes?

O sol

A exposição solar tem vários benefícios: deixa-nos com um tom de pele invejável, pode funcionar como tratamento de depressões sazonais e atua na síntese da vitamina D, que é essencial à fixação do cálcio nos ossos – e estes são apenas alguns exemplos. É importante, no entanto, lembrar que até para isto existe uma “dose certa”!
Se “abusarmos” do astro rei, as consequências podem ser bastante perigosas. Desidratação, queimaduras solares (um dos efeitos imediatos mais frequentes depois de uma exposição demasiado prolongada ou com deficiência de proteção), fotossensibilização (aumento da sensibilidade da pele aos raios solares, provocando erupções cutâneas), fotodermatoses (grande sensibilidade à luz) ou agravamento de outras dermatoses como são exemplo o acne, vitiligo e o lúpus e também de doenças crónicas.

Poderá ainda dar-se um esgotamento ou um golpe de calor, algo que pode provocar danos irreversíveis na nossa saúde e até mesmo levar à morte. Em casos de exposição solar abusiva, a longo prazo poderão surgir outras patologias como o envelhecimento cutâneo precoce (com manchas, perda de elasticidade e densidade, tez amarelada e rugas profundas na pele) e até cancro de pele, provocado pelos raios UV e UVB.

É importante lembrar que as crianças, idosos, pessoas com doenças crónicas e com problemas de saúde mental, obesos, acamados e indivíduos que se encontrem a tomar medicação (antidepressivos, diuréticos, antiarrítmicos, anti-hipertensivos, etc) são mais vulneráveis ao calor e, por isso, devem ter cuidados redobrados.

Também nunca será demais lembrar que devemos evitar os horários de maior calor (entre as 10 e as 16h) e que devemos sempre utilizar protetor solar! Devem voltar a aplicar de duas em duas horas, se derem um mergulho ou se transpirarem bastante!

Hidratação: a palavra de ordem!

Apesar da hidratação ser importante ao longo de todo o ano devemos prestar-lhe ainda mais atenção durante esta época.

Assim, mesmo que não sintamos sede devemos aumentar a ingestão de líquidos, preferencialmente água – o que não invalida que também possam beber um delicioso sumo de fruta natural (sem adição de açúcar, é claro!).
Entre as bebidas a evitar estão aquelas que têm, na sua composição, uma grande quantidade de açúcar, com cafeína e também as alcoólicas.

Os recém-nascidos, crianças, pessoas idosas e pessoas com alguma doença podem não manifestar sede, sendo particularmente vulneráveis – deve ser oferecida água com frequência e a atenção deve ser permanente.

Cuidados com “a boca”

Aqui juntamos o útil ao agradável: não é por acaso que muita gente nota que consegue emagrecer mais facilmente no verão. Esta estação pede (e bem) refeições mais regulares e mais leves, de forma a que o nosso organismo não produza ainda mais calor. São, assim, de evitar refeições pesadas, com muita gordura e muito condimentadas – prefiram as carnes brancas e os peixes acompanhados de salada e, como sobremesa, uma deliciosa e refrescante fruta da época!

Uma pequena curiosidade: Segundo um estudo da Universidade de Bristol, em Inglaterra, frutas como a meloa e o damasco e vegetais como os pimentos e os espinafres estimulam o bronzeado devido à presença de carotenóides na sua composição.

Pessoas que sofram de doenças crónicas ou que estejam numa dieta com pouco sal e/ou restrição de líquidos devem sempre aconselhar-se junto dos seus médicos nesta altura do ano. Mais vale prevenir do que remediar!

Vestuário

Os conselhos quanto à “farpela” a usar nos dias de calor são muito simples! Usem roupas largas, leves e frescas, preferencialmente feitas de algodão. Tentem evitar roupas que possibilitem uma exposição direta ao sol, em especial nas horas de maior calor e usem boné ou chapéu de abas largas e óculos de sol com proteção contra a radiação UVA e UVB.
Fácil, não?

Malditos mosquitos!

Já sabemos que nada é perfeito: e os mosquitos são a prova disso mesmo, nesta estação. Imaginem-se em casa, com as janelas abertas, para refrescar um pouco… Ótimo, não? Não! É que estes pequenos seres, atraídos pela luz, rapidamente se “juntam à festa” e não resistem a uma picadinha (se não mais) nos nossos corpos. Satisfação para eles, pesadelo para nós.

Para além do incómodo que provocam, estas picadas podem também ser sinónimo de reações alérgicas e de transmissão de doenças perigosas, sobretudo se residirem ou viajarem para países tropicais.
Uma dica para evitar tais situações é a utilização regular de um repelente à base de DEET, ingrediente testado e comprovado, que atua nos recetores olfativos dos insetos, fazendo com que estes tenham dificuldade em nos reconhecer.

Devem aplicá-los na pele exposta e re-aplicar no caso de se molharem. Se utilizarem protetor solar (algo que devem, sem dúvida, fazer) devem aplicá-lo antes do repelente – utilizem um de elevada proteção, já que o DEET reduz a eficácia dos mesmos. Para as crianças existem produtos específicos, destinados a peles mais sensíveis.
Para além do uso destes repelentes é também aconselhado que se evite o uso de perfumes, produtos cosméticos com odores ativos e roupas com cores brilhantes, visto que estes atraem estes nossos “inimigos”.

Se preferem soluções mais naturais, experimentem ter no parapeito da janela um vaso de manjericão ou citronela – o cheiro destas plantas tem a capacidade de afastar os insetos. Podem também esmagar folhas de eucalipto, lúcia-lima, erva-cidreira ou erva príncipe e obterão um eficaz repelente!

Para aplicar na pele tentem o seguinte: num recipiente, misturem óleo de amêndoa com algumas gotas de citronela. Este preparado pode ser utilizado em todos os tipos de pele! Uma ótima solução, não acham?
Sempre ouvi dizer que o melhor ataque é a defesa! Protejam-se, aproveitem esta tão bonita estação da melhor forma e, se for caso disso, tenham umas ótimas férias!

Inês Barbosa


Autor(a):
Fonte:

Redes Sociais - Comentários

Tags
Mostrar mais

Artigos relacionados

Back to top button

Close
Close