Temas de Capa

Feliz Dia de Portugal

Com as comemorações do dia 10 de junho, nós portugueses celebramos o nosso feriado nacional conhecido como Dia de Portugal, Camões e as Comunidades Portuguesas. Esta data comemora em parte a morte de Luís de Camões em 10 de junho de 1580, coincidentemente o mesmo ano em que fomos atingidos pelo nosso vizinho – a Espanha – por três gerações.

Embora este feriado seja comemorado apenas oficialmente na terra natal, cidadãos portugueses de outros países como o Canadá e outras nações europeias também comemoram o Dia de Portugal. É um tempo em que nós, como povo, honramos os nossos antepassados e a nossa história. Há muito do que nos orgulharmos, pois agora somos desafiados pelas novas realidades económicas e de saúde. Nós, como povo, já enfrentámos desafios anteriores e fomos capazes de superá-los, sejam eles sociais, políticos ou de guerra.

As comemorações deste ano serão sem dúvida impactadas pela pandemia e a devastação por ela provocada de milhares de cidadãos. Temos e continuamos a enfrentar esta crise da melhor maneira possível. Tentar entender porque os resultados portugueses na batalha contra o coronavírus apareceram melhor do que noutras nações europeias e, em particular, a Espanha – pelo menos com base em dados limitados que temos – não é 100% certa. O ponto mais importante a ser levantado é que o primeiro caso em Portugal foi um mês depois do primeiro caso na Espanha, de 2 de março a 31 de janeiro. De facto, Portugal foi o último país da Europa a registar seu primeiro caso de COVID-19.

Nos últimos três ou quatro anos, na Espanha, houve uma crescente fragmentação das regiões espanholas e da política em geral. Em vez de tentar obter consenso, os partidos rivais estão a tentar desgastar-se. Além disso, este é um Governo minoritário com frágil apoio parlamentar e que perdeu votos nas últimas eleições da Espanha – ao contrário de Portugal, onde o partido no poder foi fortalecido na votação mais recente.

Em Portugal, para obter esse tipo de reação de ‘espírito comunitário’, o consenso entre partidos políticos, o Governo e o presidente foi muito importante. Ainda não atingimos a nossa capacidade total e nenhuma expansão da capacidade hospitalar foi necessária. Em parte, o sistema de saúde pública de Portugal funciona bem, em parte devido à demografia do país. As áreas urbanas não são tão densamente povoadas, com pessoas espalhadas de maneira mais uniforme pelo campo, e isso forçou o serviço de saúde a manter uma rede mais ampla.

O maior investimento recente de Portugal em saúde pública e um serviço de saúde muito mais centralizado ajudaram, enquanto níveis mais altos de turismo na Espanha e o alto grau de mobilidade que o acompanha poderiam ter incentivado a disseminação do coronavírus.

Com otimismo cauteloso, estamos a começar a ver a luz no fim do túnel. Viva Portugal!

Peter Ferreira/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

DONATE NOW