Temas de Capa

Dzerowicz prepara re-eleição

A atual MP de Davenport está preparada para mais quatro anos no poder e garante que o Partido Liberal tem o melhor plano para combater as alterações climatéricas.

“Apesar de todas as nossas imperfeições [do Partido Liberal] fizemos muito progresso nos últimos anos. Criámos mais de um milhão de novos postos de trabalho no país: só em agosto foram 81,000, os números saíram agora. Sabemos que se não tivermos bons salários não conseguimos acompanhar o custo de vida. Temos o melhor plano para combater as alterações climatéricas – nas últimas eleições ninguém falou sobre este assunto, mas nestas todos os partidos estão a fazê-lo”, disse Julie Dzerowicz ao Milénio Stadium.

A candidata, que representa a maior comunidade portuguesa do país, diz estar preocupada com o aumento das desigualdades sociais e reitera a sua confiança no sistema de imigração. “Um idoso português disse-me agora que mesmo trabalhando sete dias por semana é difícil conseguir ter dinheiro para pagar a renda e colocar comida na mesa. É por isso que continuamos a lutar, ao nível federal, por habitação acessível. Continuamos também a lutar pela igualdade de rendimentos porque os ricos estão a ficar cada vez mais ricos e os pobres cada vez mais pobres, por isso estamos a tentar aumentar a classe média”, explicou.

Em setembro arranca um novo projeto piloto destinado a 500 trabalhadores não qualificados que trabalhem na construção civil na GTA. Dzerowicz reconhece que o número é pequeno, mas deixa críticas à oposição. “Não se deixem enganar pelo Partido Conservador porque eles iam aos cafés e aos locais de trabalho dos portugueses e levavam agentes da imigração para os deportar. Nós não fazemos isso, dêem-nos uma oportunidade, temos um pequeno projeto piloto e se eu for eleita vou trabalhar para conseguir um projeto maior”, assegurou.

O MP da Spadina-Fort York esteve presente no lançamento da campanha no escritório da Bloor Street West a 7 de setembro e elogiou as políticas de imigração liberais. “O Partido Liberal faz parte do propósito com que esta cidade e este país foram construídos. Nestas eleições a palavra não está a alimentar o populismo: não aos refugiados, não à imigração, não aos cuidados de saúde, não à habitação. É fácil dizer não em política, Doug Ford é um exemplo disso, mas nós dizemos sim”, alertou Adam Vaughan.

Dezenas de apoiantes cumprimentaram a candidata pessoalmente e aceitaram partilhar com o nosso jornal o motivo pelo qual apoiam a sua candidatura. Linda Correia, presidente do Poveiros Community Centre, lamenta que não existam mais mulheres na política. “Ao contrário dos homens, as mulheres conseguem concentrar-se em vários problemas ao mesmo tempo. Ela é muito dinâmica e está sempre presente em todos os eventos do nosso clube, mesmo não sendo portuguesa: Já sabe dizer algumas palavras na nossa língua”, avançou.

Fernando Costa, antigo advogado, recorda-se da altura em que muitos portugueses se legalizaram graças a uma amnistia, no entanto garante que hoje as circunstâncias são muito diferentes. “A Julie fez um excelente trabalho nos últimos anos, sobretudo em matérias como o apoio a idosos e jovens e em geral os programas do primeiro-ministro Justin Trudeau têm favorecido sempre os imigrantes. Os portugueses são apenas um dos muitos grupos étnicos do Canadá e as leis são criadas para todos. Nos anos 70 muitos portugueses beneficiaram de uma amnistia, mas hoje esse ambiente já não existe e por isso temos de encontrar outro tipo de soluções”, justificou.
Dorothy Graham tem três filhos e antes de se dedicar à família exerceu advocacia e trabalhou como editora. “Tenho três diplomas, mas acho que me podem chamar dona de casa (risos). Acho que a Julie é focada, muito trabalhadora e fiel ao partido. Ela tem trabalhado muito pela imigração, pelo meio-ambiente, pelos transportes e pela redução da pobreza. Muitas pessoas perguntam-se sobre o que ela tem feito por Davenport, mas existem outros níveis de governo, municipal e provincial. Ela tem que se concentrar em assuntos federais, que é que ela tem feito”, informou.

Sérgio Ruivo é contabilista e, apesar de não viver nesta área, o seu escritório está localizado em Davenport. “Neste bairro temos muitas pequenas e médias empresas e o governo federal tem tentado reduzir a carga fiscal para estes empresários. No entanto, creio que ainda podem fazer mais para incentivar estágios qualificados, de forma a que estes recursos humanos permaneçam no quadro das empresas. Grande parte dos meus clientes trabalha na construção civil e queixam-se que não há mão-de-obra suficiente para esta área, por isso acredito que este projeto piloto vai ser bom para a nossa comunidade”, adiantou.

Julie Dzerowicz é filha de imigrantes e é formada em Commerce pela Universidade de McGill.

Redes Sociais - Comentários

Tags
Mostrar mais

Artigos relacionados

Back to top button

Close
Close