Temas de Capa

Descobrir mistérios e caminhar… muito!

Esta semana visitamos Arouca. O destino ideal para quem quer escapar da azáfama da cidade e trocar os carros, prédios e ruído pelo ar puro, sons da natureza e um sem fim de aventuras que recarregam energias. A vila situa-se no Norte de Portugal, no distrito de Aveiro.

Chegamos a Arouca e deixamos a bagagem numa das muitas habitaçōes de turismo rural que se encontram por toda a região. A casa é toda feita de pedra e da janela deitamos a vista a uma paisagem imensa e verdejante. Assim começa a nossa aventura. De mochila às costas, saímos e pensamos:

This slideshow requires JavaScript.

O que fazer?

Percorrer os Passadiços do Paiva

É um dos pontos de passagem obrigatórios. Feitos de madeira de pinho, os passadiços proporcionam uma caminhada incrível com cerca de 8,7 quilómetros que se estendem ao longo da margem esquerda do rio Paiva. O cenário é digno de um filme, integrando parcelas que sobem e descem em todas as direçōes. Pelo caminho podemos observar várias espécies selvagens e acompanhar os pontos explicativos dos elementos naturais aos quais devemos estar atentos para desfrutar ao máximo da jornada. Em 2016, este foi eleito o projeto mais inovador da Europa, nos World Travel Awards.

Descobrir o Arouca Geopark

Todo o município de Arouca está classificado como Geoparque Mundial da UNESCO. E não é por acaso. No Arouca Geopark é possível viajar no espaço e no tempo, recuando até ao início de uma história com mais de 500 milhões de anos. Existem mais de 40 pontos de interesse geológico, conhecidos como Geossítios. É possível escolher entre 28 percursos pedestres que permitem ter uma visão mais detalhada dos Geossítios. É importante levar um mapa, que poderá obter no Centro Explicativo do Geopark, mesmo no centro histórico da vila.

O mistério das Pedras Parideiras

Sim, leu bem, pedras que dão à luz outras pedras ou “pedras que parem outras pedras”. Este é um fenómeno geológico que acontece numa área de cerca de 1 Km2. Consiste num aglomerado de granito que tem nódulos incrustados, envolvidos por uma capa de biotite, que resulta da erosão destas rochas. Por diferenças de temperatura, estes nódulos libertam-se da rocha mãe e são projetados, deixando no seu lugar pequenas cavidades. Dificilmente encontrará outro local como este e, por isso mesmo, está enquadrado num Centro de Interpretação da Casa das Pedras Parideiras, onde poderá assistir ao vídeo que explica este fenómeno. Se tiver sorte, poderá ser acompanhado pelos bovinos arouquenses que passam mesmo ao seu lado durante o caminho.

Viajar no tempo até ao período Ordovícico

Fósseis incrustados nas rochas e ardósias testemunham que este território já foi submerso num grande oceano há mais de 540 milhões de anos. Estes animais, desaparecidos há 230 milhões de anos, eram parentes dos nosso atuais crustáceos e habitavam o fundo dos oceanos na altura do Paleozóico. Poderá conhecer estas espécies e outras no Centro de Interpretação Geológica de Canelas.

Descer o rio em canoa ou caiaque

Para os viajantes mais ativos, o rio Paiva oferece aventura com a canoagem, caiaque, canoyeing ou ainda percorrer tranches do rio a pé, devidamente acompanhado (river trekking).

Embrenhar pelas Minas do Rio de Frades

Neste lugar há ainda vestígios e memórias associadas à II Guerra Mundial. No ex-complexo mineiro ainda são visíveis algumas das galerias onde se explorava o chamado “ouro negro”. Destaca-se a Galeria do Vale da Cerdeira que terá sido a mais produtiva em volfrâmio. Atualmente é possível entrar nesta galeria e percorrê-la, atravessando a montanha ao encontro de um tributário do rio de Frades e de algumas das suas cascatas e lagoas de águas límpidas.

Praias fluviais, monumentos religiosos, gastronomia e muito mais

Por toda a vila de Arouca existem inúmeras praias fluviais, capelas históricas e monumentos a descobrir. E, na hora de a barriga dar horas, pode fazer uma pausa para saborear as iguarias típicas. Nesta região são tradicionais os pratos de carne e a truta, acompanhados de vinho verde. Nos doces, destaque para as castanhas doces, roscas de amêndoa, barrigas de freira, manjar de língua, pão de S. Bernardo, morcelas doces e melindres.

Quanto vou gastar?

Vôo Canadá: Porto: a partir de $780
Alojamento: a partir de $75 por noite
Restauração: em média $20 por refeição
*valores para 1 pessoa
Telma Pinguelo

Redes Sociais - Comentários

Tags
Mostrar mais

Artigos relacionados

Back to top button

Close
Close