Temas de CapaBlog

Compre online em segurança

Todos os anos são gastos mais de 3 triliões de dólares americanos em compras online. Era esperado que esse valor crescesse 17,9% em 2020, mas devido à pandemia da Covid-19 é esperado um crescimento substancialmente superior. Segundo a WorldPay, estima-se que 17% das compras a nível mundial sejam feitas online no final de 2022.

Compre online  em segurança-cadeado-temacapa-mileniostadium

 

Mas nem tudo são notícias boas. Estudos realizados pela empresa LexisNexis indicam que as fraudes relacionadas com compras online têm duplicado anualmente desde 2017, tendo aumentado acima desta média nos meses de pandemia. Apesar de tudo, há todos os motivos no mundo para fazer compras online. As pechinchas estão lá. A variedade é maior. O envio é rápido. Mesmo as devoluções tornaram-se mais fáceis nos últimos anos. Fazer compras nunca foi tão fácil ou mais conveniente para os consumidores. E na era da Covid-19, é, certamente, mais seguro do que sair de casa, mesmo que esteja protegido com máscara e luvas.

Embora as estatísticas relacionadas com a fraude em compras online e o roubo de identidade sejam assustadoras, não são motivo para alarme. Há conselhos simples, que recomendamos que siga para que a sua experiência online seja o mais agradável e segura possível.

  • Use sites que conheça ou tenha ouvido falar

Os resultados das pesquisas online podem ser manipulados para desviá-lo para websites duvidosos, especialmente quando não visita os primeiros links apresentados nos resultados da pesquisa, logo, comece com websites que sabe serem de confiança (Amazon, Walmart, Home Depot, eBay, etc…). Se já conhece o site, é muito pouco provável que algo menos agradável possa acontecer. Se decidir escolher um website menos conhecido ou fazer pesquisas, tenha cuidado com os erros ortográficos. Websites com domínios (links) parecidos são um dos truques mais antigos usados pelos criminosos. Muitas das vezes esses sites são cópias dos websites originais e parecem legítimos.

 

Compre online  em segurança-cadeado-temacapa-mileniostadium
Tenha senhas fortes e verifique o cadeado fechado ao visitar as páginas na web que deseja realizar alguma compra online.

 

  • Verifique se lá está o cadeado

Sabe aquele símbolo verde que aparece, geralmente, do lado esquerdo do link no seu navegador de internet? Está lá por uma razão. Significa que a ligação entre o seu computador e o website que está a visitar é encriptada (HTTPS).

  • Não exagere na informação que partilha

Nenhum website ou comerciante precisa do seu número de segurança social, do número da sua carta de condução ou da sua data de nascimento para concluir a venda. Pelo menos não devia. Se lhe for pedido e fizerem menção da obrigatoriedade de tal informação, haja com muita cautela. Diríamos que é razão para desconfiar.

Quanta mais informação colocar nos websites, mais risco corre de ver a sua identidade partilhada. Recordamos que todos os anos empresas grandes veem as suas bases de dados violadas por hackers, acedendo, preferencialmente, aos dados privados dos utilizadores.

  • Crie senhas fortes e emails diferentes

Estudos indicam que 35% das pessoas nunca mudam as suas passwords. Não precisa de as mudar todos os dias, mas deve, de vez em quando, atualizá-las.

As passwords devem ser diferentes para todos os websites que utiliza. Se um acesso for comprometido, não verá os outros acessos comprometidos também. Chama-se a isto compartimentalização dos danos. Da mesma forma, deve utilizar diferentes endereços de e-mail para as várias vertentes da sua vida profissional, pessoal, redes sociais e compras online. Se um endereço de e-mail for comprometido, o criminoso não acederá automaticamente a todos os websites e serviços que utiliza. Mais uma vez, compartimentalização dos danos.

As passwords devem também ser suficientemente fortes para que, em caso das bases de dados dos websites que usa caírem em mãos alheias, não serem fáceis de serem desencriptadas. Há, inclusivamente, programas que permite a criação e gerenciamento de passwords. Faça uma busca e vai encontrar bastantes.

  • Verifique extratos regularmente

Não fique à espera que o extrato chegue no final do mês. Verifique, se puder, a transação no próprio momento. Se o pagamento foi feito através de um processador de pagamentos ou se tiver acesso à sua conta bancária online, pode verificar a transação mal esteja concluída e contactá-los, caso algo não tenha sido feito de acordo com as suas expectativas.

 

Compre online  em segurança-comp-temacapa-mileniostadium

 

  • Proteja o seu computador

Os criminosos não ficam à espera que os dados lhes sejam entregues e o seu computador é, muito naturalmente, a porta de entrada da maior parte dos criminosos. Se não tem conhecimentos suficientes em computação, é extremamente importante que use antivírus no seu computador e que os seus navegadores de internet estejam munidos com anti-pop-ups.

Esteja atento a e-mails falsos e páginas de internet que parecem ser verdadeiros. Estas cópias, muito similares a e-mails e website verdadeiros são chamados de “phishing”. Muitas soluções de antivírus, oferecem também serviços de antiphishing nos seus pacotes.

  • Não misture trabalho com a vida pessoal e prazer

Voltamos à compartimentalização dos danos. Agora de forma diferente. Não utilize o computador que tem no trabalho para aceder a contas de e-mail pessoais ou websites que utiliza para a sua vida pessoal. Não faça também compras pessoais nos computadores da empresa. A razão é simples… se o computador da sua empresa estiver comprometido, o criminoso não acederá aos seus e-mails e websites.

O mesmo se aplica ao contrário. Se estiver no seu computador pessoal, não aceda a e-mails profissionais ou websites e serviços ligados ao seu emprego, a não ser que não tenha outra opção. A razão é a mesma. Se o seu computador pessoal estiver infetado com malware, não porá em causa o seu e-mail profissional ou os websites ligados ao seu emprego.

  • A sua rede de Wi-Fi deve ser privada e só deve fazer compras online em casa

A sua rede de Wi-Fi em casa deve ser privada e não aceitar qualquer ligação vinda de terceiros. Quanto a isto, acho que não haverá dúvidas. Mas se estiver num “hotspot” público, escolha as redes conhecidas, mesmo que sejam gratuitas, como as que são disponibilizadas nas lojas do Starbucks ou Tim Hortons. Com isto queremos dizer, ligue-se à rede que seja disponibilizada pela Starbucks ou Tim Hortons. Pergunte qual o nome da rede que pertence àquela loja. Ao seu lado pode estar alguém que disponibiliza um hotspot gratuito, com um nome similar, e que vai ver tudo o que estiver a fazer, caso se ligue à sua rede. Acredite, que não é nada difícil para um criminoso fazer isto, por isso, tenha cautela quando utilizar “hotspots” de Wi-Fi. Se puder evitar, não faça compras online quando utilizar “hotspots”. Se estiver a ser “espiado” por um criminoso utilizando um “hotspot”, ele vai ter acesso imediato aos dados que introduzir nos websites. Sejam eles e-mails, passwords, números de cartão de crédito ou código de verificação na parte de trás do seu cartão de crédito.

  • Utilize o seu smartphone

Há uma exceção… se estiver na rua pode utilizar o seu telefone para fazer compras, desde que se ligue diretamente à internet do operador de telefone. De preferência utilize as aplicações fornecidas pelos comerciantes para fazer as suas compras.

Os maiores websites de vendas têm aplicações disponíveis para que possa efetuar as compras, de forma segura, através do seu telefone. O mesmo se aplica a grandes cadeias de lojas e serviços, como por exemplo, o McDonald’s.

  • Esqueça o cartão, use o telefone

Hoje em dia, pagar por itens usando o seu smartphone é bastante comum em lojas físicas e é ainda mais seguro do que usar o seu cartão de crédito. O uso de uma aplicação de pagamento móvel, como o Apple Pay, gera um código de autenticação de uso único para a compra que mais ninguém pode aceder. Mas além das lojas físicas, também aplicações online permitem agora o pagamento através do Apple Pay e o Google Pay. Apenas precisa da sua impressão digital, reconhecimento facial ou código de acesso para que isso aconteça instantaneamente.

  • Verifique o vendedor e os comentários

Se está desconfiado de um website, seja diligente. O Yelp e o Google estão cheios de avaliações de lojas, revendedores e websites.

As análises on-line devem ser usadas. Confira o número de comentários positivos e verifique se são comentários legítimos. Verifique também se têm um negócio criado no Google e se tem uma morada e um número de telefone ativo antes de fazer a sua compra.

  • Compare preços antes de comprar

À semelhança das lojas físicas, o preço de um determinado bem pode diferir consoante a plataforma que está a utilizar. Os sites comparadores de preços são uma ferramenta que se pode tornar valiosa nessa comparação. O site www.kantokusta.pt é um dos sites comparadores mais utilizados em Portugal e o shopbot.ca dos mais utilizados no mundo inteiro. Aí pode comparar os preços de uma grande diversidade de produtos.

Carlos Monteiro/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Não perca também
Close
Back to top button

DONATE NOW