Temas de Capa

Chamadas telefónicas para o Abrigo aumentaram 35% na segunda vaga da pandemia

Chamadas telefónicas para o Abrigo-toronto-mileniostadium
Valeria Sales, à direita, com a técnica Cidália Pereira e com uma das utentes dos Abrigo Centre. Créditos: DR. Crédito: Centro Abrigo.

Prestes a completar 31 anos, o Abrigo Centre tem exercido uma função social importante no seio da comunidade portuguesa que reside em Davenport, Toronto. Com a pandemia os problemas agravaram-se e aumentaram as denúncias de violência doméstica. Mas a crise económica trouxe também desemprego, insegurança alimentar, stress, ansiedade e isolamento social. Navegamos num mundo novo e estes assistentes sociais ajudam todos os dias crianças, adultos e jovens a seguirem em frente. Estes técnicos desempenham uma função essencial dentro da nossa sociedade e por isso também fazem parte da lista de heróis que continuaram a trabalhar durante a pandemia.

Ao longo do último ano o Abrigo Centre ajudou cerca de 800 pessoas, muitas delas perderam o emprego na área dos serviços, um dos mais atingidos no país. Em dezembro o Canadá perdeu 62,600 postos de trabalho, a primeira queda desde abril. No final do ano os especialistas antecipavam que as restrições iam manter-se em 2021 e que o desemprego devia continuar elevado em janeiro e na primeira metade do ano. Em dezembro Ontário perdeu 11,900 postos de trabalho e a Colúmbia Britânica foi a única província canadiana onde o emprego aumentou – cerca de 3,800 novos postos de trabalho. 

As previsões dos especialistas confirmaram-se e Ontário entrou num novo confinamento que vai durar um mês. Mas o Quebec foi mais longe e criou uma hora de recolher obrigatório, à semelhança do que foi instituído em Portugal.

O Milénio Stadium queria tentar perceber quais são os grupos etários mais atingidos pela pandemia, mas Valeria Sales, responsável pelo serviço de apoio ao cliente do Abrigo Centre, explica que os pedidos de ajuda existem em todos as idades, inclusive de crianças que com a telescola perderam o contacto físico com os colegas e lidam agora com problemas de saúde mental. 

Uma sondagem realizada em agosto indica que uma em cada cinco associações sem fins lucrativos de Ontário corria o risco de fechar as portas no final do ano. A sondagem foi desenvolvida pela Ontario Non-profit Network (ONN) e revelou que a maioria das associações antecipa que 2021 vai ser um ano com muitas dificuldades económicas.

Ontário tem cerca de 58.000 associações sem fins lucrativos e com os confinamentos e todas as restrições a grande maioria dos eventos que organizavam para angariar fundos para manter a atividade foram cancelados.  Os custos de funcionamento também aumentaram porque os técnicos têm de trabalhar com equipamento de proteção individual, se bem que no caso do Abrigo agora os técnicos estão em teletrabalho. 

No ano passado os canadianos doaram $17 mil milhões para as associações sem fins lucrativos, mas este ano os donativos podem cair 37% devido à pandemia. Os dados são do banco alimentar de Toronto que informa ainda que o número de voluntários caiu cerca de 70%. A Imagine Canada, uma organização nacional de caridade cuja causa é o setor filantrópico e sem fins lucrativos do país, prevê um aumento de pedidos de ajuda na ordem dos 46% quando comparado com o último ano. A United Way, a agência da qual o Abrigo Center faz parte, disse que em novembro os pedidos de ajuda para apoio mental aumentaram 114% no Este de Ontário. 

Milénio Stadium: A pandemia começou em março e desde então que o Abrigo tem continuado a funcionar. Que balanço é que faz destes 10 meses?

Valeria Sales: O Abrigo continua a apoiar mulheres e crianças na nossa comunidade que são vítimas de violência doméstica. O nosso programa de Violência contra a Mulher viu um aumento no número de chamadas telefónicas durante a pandemia. Em março, na altura do nosso aniversário, teremos assistido mais de 800 pessoas. Posso dar-vos dois exemplos de serviços que prestamos: continuamos a tentar encontrar abrigo e segurança para estas mulheres. 

Os nossos assistentes sociais disponibilizam regularmente informações sobre a COVID-19 que incluem sintomas e informações sobre centros de teste. Os técnicos do Abrigo Centre ajudam os nossos clientes a lidarem com a ansiedade provocada pelos confinamentos e pelas quarentenas.

Verificámos que houve um aumento no volume de chamadas telefónicas a pedir esclarecimentos sobre os programas federais criados para apoiar as empresas e as famílias mais afetadas pela pandemia, desde subsídio de desemprego até ao CERB que mais tarde foi substituído pelo Canada Recovery Benefit (CRB). Muitos dos nossos clientes perderam o emprego na primavera e no outono, sobretudo no setor dos serviços. O papel dos nossos assistentes sociais é verificar se os nossos clientes se podem candidatar a estes apoios para receberem ajuda financeira. 

MS: Os pedidos de ajuda dispararam na segunda vaga da pandemia? 

VS: Desde outubro de 2020 que tivemos um aumento geral no volume de chamadas telefónicas. Diria que aumentaram entre 30 e 35 por cento, em média. Identificámos um aumento no número de pessoas que se inscrevem nos novos programas de apoio financeiro à medida que o CERB foi extinto. Muitos pessoas precisavam de orientação para se inscreverem no CRB. Mais uma vez, as chamadas telefónicas relativas à violência familiar, saúde mental e questões de bem-estar físico, como ansiedade e depressão, estão novamente em alta durante esta segunda vaga. 

MS: A nível de grupo etário, quais são as principais vítimas da pandemia? 

VS: Vemos pessoas à procura de ajuda em todas as faixas etárias. Com a maioria das atividades para idosos encerradas devido à pandemia, alguns lutam contra o isolamento social. Os jovens estão a lutar para se envolver na telescola e o seu isolamento afeta o desenvolvimento social e seu bem-estar emocional e mental. Também percebemos que existem jovens adultos que enfrentam situações financeiras terríveis devido à perda de emprego e à falta de poupanças. Adultos entre os 35 e os 60 anos estão a lidar com problemas parentais, problemas financeiros, insegurança alimentar e problemas de saúde física e mental. 

Joana Leal/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

DONATE NOW

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER