Temas de Capa

Canadianos estão a comprar mais online

VoxPop

Os hábitos dos consumidores canadianos estão a mudar, e segundo o último estudo da FedEx Canada, 56% dos consumidores estão agora mais dispostos a comprar online do que em relação há cinco anos.

Contudo, ainda há quem esteja apreensivo em relação às compras online e 68% das pessoas que foram ouvidas neste estudo mostraram-se preocupadas com a possibilidade da sua encomenda ser roubada antes de ser entregue. Neste grupo, 29% admitiu que a sua encomenda já foi roubada e 22% dos jovens da geração Z, nascidos entre 1990 e 2010, disse evitar comprar online porque tem receio de gastar em excesso.

O estudo “The 2019 FedEx Holiday Shopping Survey” foi conduzido pela Edelman e Logit e entrevistou 1,500 canadianos entre 20 e 25 de setembro. Os consumidores tinham mais de 18 anos e a margem de erro ronda os 2.5%.

Joana Leal/MS

Alexandra Pereira, 54 anos

1. Onde é que fazes compras?

Faço compras online e também vou às lojas físicas. Na internet compro cosméticos, roupa e produtos de informática. Mas antes de comprar online leio sempre as críticas dos outros consumidores e tenho a preocupação de escolher sites seguros.  Sou capaz de ter mais de 10 apps de compras. No meu smartphone utilizo sempre os filtros e antes de procurar um produto já coloco a minha cor preferida e o meu número.

2. Em 2018 os consumidores canadianos encomendaram refeições no valor de $4.3 mil milhões e algumas delas foram encomendadas através de apps.

Eu adoro estas apps e tenho conta no Uber Eats, na Foodora e no SkipTheDishes. Utilizo mais quando sou surpreendida com visitas ou quando não me apetece cozinhar. Acho que são uma boa invenção, mas compreendo a indignação dos proprietários dos restaurantes quando reclamam que a margem deles, de 30%, é demasiado elevada tendo em conta que o proprietário tem de pagar renda, salários e fornecedores.

3. Quais são os teus critérios para fazer compras?

O preço, a marca e o cruelty-free. Só compro cosméticos de marcas que não testam produtos em animais porque acredito que os consumidores também têm a responsabilidade de pressionar as grandes marcas a terem produtos mais amigáveis.

4. Quais são as vantagens de comprar online?

Tempo e comodidade. Quando compro online não perco tempo em estacionamento e em filas nas lojas. Para além disso é muito cómodo porque posso estar no ginásio enquanto eles entregam em casa. Alguns sites têm um atendimento ao cliente péssimo, mas quando são empresas grandes, como por exemplo a Amazon, as trocas são gratuitas e não precisamos de perder muito tempo em reclamações.

5. Quando é que fizeste a primeira compra online?

Em 2016 comprei um par de jeans de uma das minhas marcas preferidas. No início foi estranho, mas agora só compro jeans online.

6. Há algum tipo de produto em que não confias na compra online?

Bens de alimentação, não é que não confie, mas gosto mais de ver com os meus próprios olhos. Diria que em 90% das vezes compro diretamente no supermercado. Mas quando tenho que comprar um produto de última hora acabo por fazer a compra online.

7. O comércio tradicional vai desaparecer?

Venho de uma família grande e ainda sou do tempo em que podíamos comprar fiado. Nem sempre tínhamos dinheiro para o leite ou para o pão e quando ia à loja com a minha mãe a dívida ficava marcada num caderno e pagávamos quando podíamos. Hoje é impossível isto acontecer, sobretudo numa cidade grande como Toronto.  Acho que o comércio tradicional nunca vai desaparecer porque muitas pessoas não confiam no online. Mas acredito que com o aperfeiçoamento deste tipo de comércio os nossos dados pessoais vão estar mais protegidos e as fraudes vão ser cada vez menos frequentes. Mas este processo vai levar algum tempo e na minha opinião os governos têm de intervir, criando legislação e obrigando as empresas e os bancos a se responsabilizarem pelo roubo de dados pessoais.

8. Onde é que vais comprar os presentes de Natal?

Vou comprar online, tenho alguns cupões no meu telemóvel e vou usá-los porque assim gasto menos dinheiro. Vou comprar brinquedos e roupa, sobretudo.

9. Gastas mais dinheiro no Black Friday ou no Boxing Day?

Não tenho paciência para tirar o dia de folga e acordar cedo para ir para a fila de uma loja. Confesso que faço algumas compras online, mas não gasto metade do meu ordenado em compras só porque é Black Friday ou Boxing Day.  Tenho uma família grande e no Natal gosto de cozinhar para todos, por isso no dia a seguir estou demasiado cansada para esperar em filas…

10. A sociedade está preparada para esta revolução digital no comércio?

Acho que as gerações mais novas já fizeram a transição. Talvez os mais velhos sintam mais dificuldades, mas nestas coisas é sempre uma questão de tempo. Os filhos e os netos ajudam os pais e os avós e no final todos acabam por comprar online. Mas a nível de mercado de trabalho é preocupante porque abrimos uma Caixa de Pandora e estamos a destruir muitos postos de trabalho.

Marília Jesus, 68 anos

1. Compra no comércio tradicional ou online?

Não sei usar a internet por isso compro no comércio tradicional. Não percebo nada de tecnologia e vou sempre às mesmas lojas. Normalmente vou ao Walmart com a minha filha e compramos comida e roupa. Como moramos perto do Dufferin Mall faço cá quase tudo, até compro brinquedos para os meus netos. Durante a semana se falta algum ingrediente para cozinhar vou à mercearia, mas também não podemos ir lá muito porque é tudo muito caro.

2. Onde é que vai fazer as compras de Natal?

Eu venho de uma família grande e naquele tempo não havia dinheiro para prendas. Mas hoje está tudo diferente, eu vejo pelos meus netos. Acho que as crianças hoje em dia têm muitas coisas e por isso são muito materialistas. A saúde, o respeito e o amor são as coisas mais importantes da vida e na minha opinião são esses os valores que temos de transmitir às próximas gerações.

3. Tem medo que um dia o comércio tradicional desapareça?

Não consigo prever o futuro, mas vejo pelos meus filhos que eles já compram quase tudo na Internet. Provavelmente já não vou estar viva, mas talvez seja cada vez mais difícil manter um espaço aberto ao público e competir com empresas que não têm de pagar por uma localização física.  Hoje as pessoas têm horários de trabalho diferentes, já não existem muitos empregos com horário das 9 am às 5 pm.  Talvez o comércio tradicional tenha que se tornar mais flexível para ir de encontro ao consumidor.

Catarina Gomes, 37 anos

1. Milénio Stadium: Onde é que fazes compras?

Compro quase tudo online e não perco muito tempo em sites. Normalmente utilizo as apps e devo ter pelo menos umas 20 no meu telemóvel. Consumo sobretudo roupa e na app faço uma lista dos produtos que quero comprar. Durante a semana vejo várias vezes a app para perceber se os preços desceram e quando a promoção é superior a 50% eu compro.  Prefiro comprar roupa online porque é frequente a roupa da loja estar estragada ou suja com maquilhagem porque muitas pessoas experimentam.

2. Porque é que compras online e, depois da roupa, que outro tipo de produtos é que compras?

Compro online sobretudo pelo facto de ser mais económico. Os principais artigos são sobretudo cosméticos e viagens. Mas também sou capaz de encomendar refeições ou artigos de supermercado se a entrega for gratuita. As viagens são muito mais baratas e recebo sempre um alerta quando há uma promoção.

Outra das razões para comprar online é porque sou consumista por natureza. A decoração e a música, sobretudo agora no Natal, levam-nos a consumir muito mais do que queremos. Se vou a uma loja para comprar peças de roupa básicas acabo por comprar mais roupa, se fizer a encomenda online gasto menos dinheiro.

3. Quais são os principais inconvenientes de comprar online?

Às vezes há problemas, ainda no outro dia encomendei maquilhagem e não veio um creme grátis que eles prometiam online. Nas compras do supermercado também há um grande inconveniente porque fazemos uma lista de produtos para fazer uma refeição especial e só enviam alguns porque os outros não estão disponíveis. Ao fim e ao cabo acabamos por ter de perder tempo a lá ir na mesma.  Na maioria das lojas a entrega demora em média cinco dias úteis. Podemos antecipar, mas temos de pagar mais por isso, o que acaba por não ser muito convidativo. Às vezes a empresa que faz a entrega não conhece o meu prédio e por isso não deixa a encomenda. É bastante chato porque trabalho longe da minha casa e às vezes estou a contar com aquela roupa para ir a uma festa. Também já comprei muito gato por lebre porque nem sempre o produto tem a qualidade que é anunciada.

4. Onde é que vais comprar os presentes de Natal?

Online. Agora há muitas promoções, mas vou esperar pela Black Friday porque já sei que as promoções são muito maiores. Mas já comprei a maioria das prendas ao longo do ano porque se fizermos bem as contas nesta época os preços são muito mais elevados. O mercado aproveita-se disso e por isso vou utilizando cupões ao longo do ano.

5. Tens algum cuidado quando compras online?

Quando estou a marcar as férias se as agências têm menos de três estrelas não compro passagem. Quando faço reserva para os hotéis gosto de ler os comentários dos outros clientes. Gosto de comprar produtos que foram feitos com materiais reciclados e felizmente a oferta destes produtos está a aumentar.

6. Há algum produto menos convencional que compres online?

Álcool e canábis. Às vezes quando tenho um jantar com amigos acabo por encomendar vinho ou cerveja online. Eu tenho fibromialgia, uma doença crónica que me dá muitas dores musculares e a canábis ajuda-me a ter menos sofrimento. A entrega de canábis é bastante rápida, às vezes em menos de uma hora está à minha porta.

Francisco Santos, 27 anos

1. Milénio Stadium: Onde é que fazes compras?

Só compro roupa online e 70% das outras compras que faço também são online. Gosto de estar a par das novidades, acho que há muito mais variedade e poupo tempo. Eu gosto muito da marca de roupa do Drake, a OVO, e também compro algumas peças da Drew House, a marca de roupa do Justin Bieber, e é muito mais fácil se comprar online.

Também gosto de comprar tecnologia e peças de carro online porque às vezes é difícil encontrar nas lojas.

2. Há alguma desvantagem em comprar online?

Claro que sim, às vezes temos de pagar para devolver o artigo e também já tive de trocar vários e-mails para reclamar porque uns fones chegaram partidos. A segurança dos sites nem sempre é a melhor e já tive problemas com o Spotify porque a minha conta foi pirateada.

3. Onde é que fazes as compras de Natal?

Online, não tenho paciência para perder tempo a estacionar no Yorkdale. Para isso prefiro ir ao cinema e ver o “Ford vs Ferrari” com o Matt Damon e o Christian Bale. Ontem li as críticas online e no Rotten Tomatos o filme tinha mais de 90% de críticas positivas.

4. E os teus pais também compram online?

Há pouco tempo trocámos as mobílias de casa e a minha mãe comprou tudo online no Ikea. A entrega é rápida e eles já montam tudo. A minha mãe tem um gosto diferente e gosta muito de personalizar tudo, o online acaba por lhe dar mais opções de escolha. Também usamos muito a Amazon porque temos sempre caixas de cartão à porta.

Redes Sociais - Comentários

Tags
Mostrar mais

Artigos relacionados

Back to top button

Close
Close