Temas de Capa

“Cabe à BIA conseguir colocar o festival na rua” – Edgar Aguiar, uma voz portuguesa na BIA da College

Edgar Aguiar é um dos poucos portugueses que faz parte da direção da BIA (Business Improvement Area) da College. Aguiar é um dos proprietários da Aguiar Jewellery, uma ourivesaria familiar que começou em 1980 e que hoje se mantém no 716 da College Street.
Aguiar está na direção da BIA da College há mais de 10 anos e em entrevista ao Milénio Stadium falou-nos sobre o papel destas organizações na organização dos festivais de rua.

Milénio Stadium: Agora os festivais de rua estão um pouco por toda a cidade. Qual é o papel das BIA’s na organização destes eventos?
Edgar Aguiar: A nossa BIA começou em 1985, no mesmo ano em que nasceu o Taste of Little Italy. Hoje temos muitos festivais de rua, mas naquela altura eramos só nós e o Taste of the Danforth, que apareceu no início dos anos 90. O Taste of Little Italy decorre durante dois dias e meio e surgiu com o objetivo de promover o comércio local. Com a publicidade conseguíamos trazer mais clientes e ao mesmo tempo colocávamos esta área no mapa da cidade.
Cabe à BIA conseguir colocar o festival na rua, isto é, somos nós que comunicamos com a Câmara Municipal de Toronto para encerrar as ruas; contratar policiamento para as ruas; negociar a criação de esplanadas; trazer os vendedores até ao festival; organizar o palco principal; contratar cantores, etc.

MS: Porque é que estes festivais são tão importantes para as BIA’s?
EA: Na BIA da College devemos ter mais de 300 empresas, públicas e privadas. O tipo de comércio local é muito variado, vai desde o retalho até à banca. E até temos um Service Canada e uma livraria pública. O Taste of Little Italy ajuda a promover estes pequenos negócios que têm uma grande relação de proximidade com os clientes. A Aguiar Jewellery, por exemplo, começou em 1980 e ainda hoje mantém a porta aberta. Conhecemos os nossos clientes pelo nome, falamos português, já conhecemos o seu gosto, temos uma relação antiga de confiança, é uma espécie de serviço personalizado. Aqui eles têm descontos que dificilmente encontrariam numa grande superfície comercial. Os festivais ajudam a trazer gente mais jovem para esta área e promovem a nossa cultura local.

MS: Os festivais de rua ajudam a aumentar o orçamento das BIA’s?
EA: Somos uma espécie de umbrela para o pequeno comércio, cada um dos proprietários paga uma taxa anual à BIA que é responsável por organizar eventos que promovem o desenvolvimento desta área que vai desde a Shaw até à Bathurst.
As BIA’s trabalham em conjunto com a Câmara Municipal de Toronto e só na nossa cidade existem mais de 80 organizações deste género. É o maior número de BIA’s em qualquer centro urbano do mundo, representamos em conjunto cerca de 45,000 membros e geramos mais de $34 milhões que são utilizados para embelezar e limpar os passeios, fazer campanhas promocionais, organizar festivais de rua e desenvolver estratégias para prevenir o crime.

Joana Leal

Redes Sociais - Comentários

Tags
Mostrar mais

Artigos relacionados

Back to top button

Close
Close