Temas de Capa

África Minha…

Esta semana o jornal Milénio Stadium embarca numa viagem até ao continente africano, um destino de férias fora do tradicional e, além disso, deslumbrante.

Falo-vos do pequeno país situado na parte sul do continente, cobrindo uma área de 824.115 km², banhado pelo oceano Atlântico a oeste, Angola ao norte, Zâmbia e Botswana a leste e África do Sul ao sul. A Namíbia é um país independente desde 21 de março de 1990, tendo como capital e maior cidade Windhoek. Apesar de ter uma pequena população, estimada em 2,7 milhões de habitantes, é uma nação de uma diversidade de línguas – embora o inglês seja a única língua oficial na constituição do país – e tem como moeda oficial o dólar Namibiano.
A Namíbia é um destino um pouco menos conhecido e que se deve visitar pelo menos uma vez na vida. Um país com paisagens naturais, planícies, safaris, climas diferentes e variados, e que tem um dos mais curiosos desertos do mundo.

This slideshow requires JavaScript.

Eis algumas atrações ou lugares para visitar:

Himba Village: Originalmente da região norte, na fronteira com Angola, o povo Himba tem sobrevivido à crescente globalização e pode ser visto em vários locais do país. Com hábitos e características únicas, seguem todos os costumes e tradições, passadas ao longo de gerações, como o hábito das mulheres de proteger a pele e o cabelo com argila. Visitar os Himbas e conhecer um dos povos mais expressivos da Namíbia é uma experiência única e gratificante.

Twyfelfontein: Para além de ser uma atracão turística, é um importante sítio arqueológico onde se podem encontrar as maiores concentrações de pinturas rupestres. Muitas destas gravuras e desenhos datam de há cerca de 2.000 anos e relatam uma história de comunidades que viviam nessa região. Os registos arqueológicos locais indicam a presença humana desde a idade da pedra, por volta de 6.000 anos atrás e faz deste lugar um cenário deslumbrante, fascinante e inacreditável. Em 2007, foi aprovado pela UNESCO como o primeiro sítio Património Mundial Da Namíbia.

Deserto da Namíbia: Um dos maiores e mais antigos desertos do mundo: a região é cheia de dunas de areia movediça e rígida e as suas paisagens são um dos cenários mais encantadores e diferentes do mundo. Grande parte do deserto é protegido pelo Parque Nacional Namib-Naukluft. Uma das regiões mais visitadas são as dunas alaranjadas e gigantescas de Sossusvlei, que chegam aos 380 metros de altura, e Duna 45, uma das dunas mais famosas do mundo e um dos destinos icónicos da Namíbia.

Etosha National Park: Uma das maiores reservas naturais do continente africano. Aqui, o visitante pode fazer um safari. O Etosha é muito seco, tendo algumas nascentes naturais alimentadas por reservas de água subterrâneas. A escassez de água faz com que a diversidade de animais seja imensa, existindo mais de 340 espécies de aves, 114 espécies de mamíferos e 16 espécies de répteis que habitam no Etosha National Park e que se reúnem na mesma área em algumas fontes de água artificias – tal resulta num espetáculo visual marcante.

Fish River Canyon: O maior Canyon do continente Africano, localizado no sul da Namíbia, com um canal fluvial gigantesco em forma de uma serpente com 160 km de comprimento, com uma profundidade de 550 metros e em alguns pontos a sua largura atinge a marca de mais de 27 km.

Skeleton Coast Park: Situado na parte litoral da Namíbia, também conhecido por “Deus da terra feito em raiva” pelos Bosquímanos e as “Portas do Inferno” pelos exploradores portugueses. O nome foi atribuído devido ao grande número de naufrágios de centenas de navios ou embarcações, com histórias sinistras, umas mais conhecidas do que outras. As carcaças dos mesmos ainda estão pela costa com cerca de 800 km de extensão. Esta está coberta de esqueletos de focas, baleias e outros animais achados no litoral que ali encalharam devido às correntes oceânicas próximas à costa, transformando-as num autêntico “cemitério de esqueletos.”

Cape Cross: É uma pequena península e é reserva natural protegida no Atlântico Sul, no Oeste da Namíbia, onde existe uma das maiores colónias de focas do mundo.

Walvis Bay: O grande momento e a enorme colónia de flamingos e pelicanos que abundam na lagoa de Walvis Bay. Também poderá conduzir numa estrada de sal.

Dead Vlei: É uma planície salgada, abandonada pela água onde toda a vida morreu. É uma espécie de vale morto, estéril, seco e com dunas de areias vermelhas ao fundo.

Kolmanskop: “A cidade fantasma”. É uma antiga mina localizada no sul do país que ficou marcada pela descoberta do primeiro diamante em 1908, quando os diamantes eram encontrados no deserto. Este facto colocou a cidade no mapa como uma cidade próspera. Com o declínio do negócio e o abandono total da mesma em 1954, a areia “invadiu” a antiga mina, transformou-a num lugar especial e deu-lhe a fama de “cidade fantasma” ou “cidade assombrada” bem no meio do deserto.

Plano de viagem:

Bilhete de avião: $2.010 – $2.692
Alojamento: $33.00 – $183.00 por noite
Transporte: $375.00 – $616.00
Alimentação: $ 220.00 – $448.00
Melhor época: maio a outubro, com maior alta nos meses de julho e agosto.

*Os preços variam dependendo da época do ano e da cidade em que se encontra
*Algumas das informações foram retiradas do portal oficial do governo Namibiano “Ministry of Environment & Tourism”, “Ministério do Meio Ambiente e Turismo” e do portal Sem Fronteiras.

Francisco Pegado

Redes Sociais - Comentários

Tags
Mostrar mais

Artigos relacionados

Back to top button

Close
Close