Portugal

Surto de legionela já fez cinco mortos e 46 infetados

Grande Porto

Surto de legionela-portugal-mileniostadium
Unidade Local de Saúde de Matosinhos – Hospital Pedro Hispano. (Amin Chaar / Global Imagens)

 

O surto de legionela que está a afetar os concelhos de Vila do Conde, Póvoa de Varzim e Matosinhos já fez cinco mortos.

São cinco vítimas, duas naturais de Matosinhos, duas de Vila do Conde e uma da Póvoa de Varzim. Por outro lado, os casos confirmados subiram para 46.

Antes, fonte do Centro Hospitalar Póvoa de Varzim/Vila do Conde (CHPV/VC) explicou ao JN que, na unidade, tinham sido confirmados 19 casos de doença dos legionários. No Pedro Hispano, no sábado, estavam 12 pessoas internadas (10 delas residentes em Matosinhos) e o número não foi ainda atualizado. Há ainda um caso confirmado no ACES Cávado III – Barcelos/Esposende, cuja relação com o surto está ainda em análise.

A doença dos legionários é uma pneumonia grave, provocada pela “legionella pneumophila“. Esta bactéria vive em água doce e pode desenvolver-se em reservatórios de água, chuveiros, torres de arrefecimento de sistemas de refrigeração, instalações termais, piscinas, jacuzzis e fontes decorativas. Contrai-se por inalação de gotículas de vapor de água contaminada (aerossóis). Não se transmite de pessoa para pessoa, nem através da ingestão de água contaminada.

Há 28 casos de legionela. Origem das infeções por identificar

A Câmara de Vila do Conde garante que há “vários casos” da doença dos legionários em “vários concelhos limítrofes”. A autarquia está a acompanhar a evolução da situação. A origem das infeções não foi ainda identificada.

O surto de legionela já infetou 27 pessoas dos concelhos de Vila do Conde e Matosinhos. Há ainda um caso reportado pelo ACES Cávado III – Barcelos/Esposende.

“A Câmara de Vila do Conde tem, neste momento, condições de afirmar que há vários casos confirmados da doença do legionário, não só no concelho de Vila do Conde, mas também em vários concelhos limítrofes”, afirma a autarquia, num comunicado emitido esta manhã.

O município, presidido por Elisa Ferraz, explica que teve conhecimento do primeiro caso a 2 de novembro (há exatamente uma semana) e, desde então, tem estado a trabalhar em “estreita colaboração” com as autoridades de saúde, no sentido de prestar “todos os contributos que possam ser úteis”.

“Apesar dos esforços desenvolvidos pelas autoridades de saúde, neste momento, ainda não é possível identificar a causa/origem dos casos”, informa ainda.

Já a ARS/Norte confirma apenas os dados revelados, hoje, pelo JN: 28 casos detetados, 17 no concelho de Vila do Conde, 10 em Matosinhos e 1 no ACES Cávado III – Barcelos/Esposende. Um homem, de 85 anos, já faleceu. Há 24 pessoas ainda internadas no Centro Hospitalar Póvoa de Varzim/Vila do Conde e no Hospital Pedro Hispano, duas delas em Cuidados Intensivos.

A doença dos legionários é uma pneumonia grave, provocada pela “legionella pneumophila”. Esta bactéria vive em água doce e pode desenvolver-se em reservatórios de água, chuveiros, torres de arrefecimento de sistemas de refrigeração, instalações termais, piscinas, jacuzzis e fontes decorativas. Contrai-se por inalação de gotículas de vapor de água contaminada (aerossóis). Não se transmite de pessoa para pessoa, nem através da ingestão de água contaminada.

JN/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

DONATE NOW

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER