Portugal

“Pausa” na vacina da AstraZeneca: o que se sabe até ao momento

epa09077984 A Ukrainian medical worker shows the AstraZeneca (Covishield) vaccine in Kiev, Ukraine, 16 March 2021 during public vaccination of medical workers and religious figures. In total, 53,155 people have received their first doze of the vaccine since the launch of a nationwide COVID-19 vaccination campaign on 24 February 2021. Ukraine has signed a contract for the supply of 12 million doses of COVID-19 vaccines, which were developed by AstraZeneca (UK-Sweden) and NovaVax (USA) and are produced at the Serum Institute facilities (India). EPA/SERGEY DOLZHENKO

Vários países suspenderam a adminstração da vacina da Astrazeneca contra a covid-19, após ter sido detetada a formação de coágulos sanguíneos em pessoas que foram inoculadas com o fármaco. Portugal é um deles. Em território nacional, registaram-se dois casos de reações adversas, mas ambos correspondem a pessoas com “perfil clínico diferente do que foi reportado a nível europeu” e estão em recuperação.

Quantos países suspenderam a administração da vacina?

Até ao momento, a administração da vacina da AstraZeneca está suspensa em vários países. A Dinamarca foi o primeiro país a deixar de utilizar o fármaco. Entre outros países, a decisão foi seguida pela Islândia, Noruega, Áustria (onde morreu uma pessoa alegadamente numa caso relacionado com a vacina), Estónia, Lituânia, Letónia, Espanha e Luxemburgo. Também Portugal, por precaução, tomou a mesma decisão.

O que motivou esta decisão?

Esta decisão foi tomada por vários países após terem sido detetados 30 casos de coágulos sanguíneos nos cinco milhões de pessoas que receberam a vacina. O presidente do InfarmedRui Santos Ivo, confirmou que Portugal registou dois casos de reações adversas. Ainda assim, ambos correspondem a pessoas com “perfil clínico diferente do que foi reportado a nível europeu” e estão em recuperação.

Quantas pessoas já tomaram a vacina?

De acordo a Diretora-Geral de Saúde, em Portugal, já foram administradas cerca de 400 mil vacinas da AstraZeneca e há ainda 200 mil em armazém. Na Europa, foram dadas 17 milhões de doses. Para quem já tomou esta vacina, o conselho das autoridades é esperar e manter-se “tranquilo”. Graça Freitas frisou que as “reações são extremamente raras” e alertou que, em caso de “mal-estar persistente, sobretudo se for acompanhado de nódoas negras ou hemorragias cutâneas”, as pessoas devem consultar um médico.

A suspensão vai atrasar o processo de vacinação em Portugal?

Segundo o vice-almirante Henrique Gouveia e Melo, coordenador do grupo de trabalho para a vacinação, esta suspensão vai atrasar cerca de duas semanas o processo. A vacinação dos professores, que eram um dos grupos previstos para receberem o fármaco este fim de semana, será adiada. Mantém-se apenas a inoculação dos utentes com mais de 50 anos e comorbilidades associadas, com recurso a doses disponíveis das outras vacinas autorizadas.

Qual a posição da Agência Europeia de Medicamentos?

A Agência Europeia de Medicamentos está a investigar os eventuais efeitos adversos da vacina da AstraZeneca e prometeu conclusões para esta quinta-feira. Ainda assim, em conferência de imprensa, a diretora-executiva da Agência Europeia de Medicamentos (EMA, sigla em inglês), reiterou que, até ao momento, os benefícios da vacinação contra a covid-19 são superiores aos riscos e que os problemas verificados. Emer Cooke afirmou que os efeitos secundários atingem “um pequeno número” de vacinados e “não são inesperados”, dada a vacinação de milhões de pessoas.

JN

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER