Portugal

Marcelo diz que “ninguém lhe perdoaria” se permitisse agora uma crise política

Marcelo diz que "ninguém lhe perdoaria" se permitisse agora uma crise política
epa08705928 Portuguese President Marcelo Rebelo de Sousa (C), with the attendance of European Commission President, Ursula Von Der Leyen, leads the State Council meeting at Palacio Cidadela, in Cascais, near Lisbon, Portugal, 29 September 2020. Ursula von der Leye is in Lisbon for a two-day official visit. EPA/ANTONIO COTRIM / POOL

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, defendeu esta terça-feira que “ninguém lhe perdoaria” se permitisse a criação de condições para uma crise política no atual contexto de crise sanitária e consequente crise económica.

Em declarações aos jornalistas, à saída do Palácio da Cidadela, em Cascais, onde esta terça-feira o Conselho de Estado esteve reunido, Marcelo Rebelo de Sousa referiu que, enquanto Presidente da República, “sabe bem o que está na Constituição”, até “porque a votou”.

“Agora, também sabe que ninguém lhe perdoaria se, com duas grandes crises, o Presidente deixasse criar condições, sem a prevenir, para uma crise que era a terceira crise em cima das outras duas”, considerou.

Em seguida, o chefe de Estado assinalou que “ao longo dos anos” tem feito apelos para evitar crises nos processos de aprovação dos orçamentos do Estado, “as pessoas é que não notaram”.

“Não tem nada de grave nem tem nada de original, não é novo”, relativizou.

JN

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

DONATE NOW

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER