Portugal

Há 160 mortes por Covid-19 em Portugal. Mais de sete mil infetados

O número de casos de Covid-19 em Portugal subiu de 6408 para 7443 esta terça-feira. É o maior aumento até agora (13,9%). Há 160 vítimas mortais, mais 20 do que ontem.

De acordo com o boletim da situação epidemiológica no país divulgado esta terça-feira pela Direção-Geral da Saúde, o número de infetados com o novo ​​​​​​​coronavírus aumentou 1035 face a segunda-feira, para 7443, dos quais 627 estão internados188 deles em cuidados intensivos. O número de doentes recuperados mantém-se 43. A aguardar resultado laboratorial estão ainda 4610 casos suspeitos e 19.260 estão sob vigilância das autoridades de saúde. Desde o início da pandemia em Portugal, houve mais de 52 mil suspeitas.

O número de mortos – que não inclui o rapaz de 14 anos infetado que morreu no Hospital da Feira, devido a uma meningite – registou um aumento de 20 face a segunda-feira. Do total de 160 óbitos, 83 registaram-se no Norte, onde há 4452 casos de infeção, 40 na região Centro (911 infetados), 35 na Grande Lisboa (1799) e dois no Algarve (137).

Do total de casos confirmados (que inclui 1538 idosos com mais de 70 anos), mais de 493 foram importados de 40 territórios estrangeiros – a maior parte de Espanha e França, tendo os restantes sido provocados por contágio dentro do país.

O concelho de Lisboa é o que mais casos apresenta (505), seguindo-se o Porto, cujo número de casos de infeção foi atualizado de 941 (segunda-feira) para 462 (terça). Ontem, a DGS tinha dado conta, no boletim diário, de uma duplicação de casos no concelho do Porto (mais 500), mas o JN avançou, hoje, que se tratava de um erro provocado por uma “metodologia mista”. E hoje o subdiretor-geral da Saúde confirmou: “Houve duplicação de valores no número de ontem”, já corrigidos. Os números até agora divulgados baseavam-se em dados reportados pelas administrações regionais de saúde e pela plataforma Sinave (Sistema Nacional de Vigilância Epidemiológica), onde médicos inserem a informação sobre os doentes. A partir de de hoje, serão utilizados apenas os dados do Sinave, deixando de ser tidos em conta os dados reportados pelas autarquias. A alteração leva a que apenas 78% do total de casos do país sejam reportados.

JN

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

DONATE NOW