Portugal

Estado contrata meios aéreos a empresa sem helicópteros

A Força Aérea Portuguesa (FAP) deu por concluído o concurso dos 35 meios aéreos que irão combater fogos, entre 2019 e 2022, tendo atribuído a vitória à HeliBravo.

Arganil , 09/10/17 – Reportagem esta tarde na Serra de Arganil onde o incêndio florestal que teve inicio na noite de sexta-feira passada no concelho da Pampilhosa da Serra tendo de expandido para os concelhos vizinhos de Arganil e Oliveira do Hospital
Na Foto : Helicóptero apoia o GRIPS no combate
( Fernando Fontes / Global Imagens )

A HeliBravo havia sido acusada pelos outros concorrentes de ter falseado declarações e esmagar as margens de lucro do setor.

Pela primeira vez, o Estado vai pagar menos 20% pelos lotes de aeronaves que levou a concurso por 80,218 milhões de euros.

Foram desvalorizadas as denúncias contra o vencedor, que apontavam o facto de ter omitido que não possui o número de aeronaves necessárias e que irá recorrer à subcontratação de duas empresas investigadas em Espanha e Itália por cartelização de preços – a Faasa e a Elitellina, respetivamente.

Um ano depois de o Estado ter sido obrigado a fazer ajustes diretos para ter meios aéreos no verão, uma vez que privados pediram o dobro nos dois concursos que foram lançados, o júri apostou agora no preço imbatível que lhe foi apresentado.

Leia mais em JN

Redes Sociais - Comentários

Tags
Mostrar mais

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER

Close
Close