Portugal

Diques do Mondego deverão ser reparados em dois meses

O ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, disse esta segunda-feira que o Estado vai recuperar os dois diques que cederam no rio Mondego este fim de semana, esperando que em dois meses estejam completamente reparados. Afirmando que o risco do elevado caudal atingir Montemor-o-Velho “nunca é nulo”, Matos Fernandes garantiu que, neste momento, “é baixíssimo”.

O caudal do Mondego está, neste momento, na ordem dos 700 metros cúbicos por segundo, garantiu Matos Fernandes esta segunda-feira, diminuindo a altura do rio em cerca de 20 centímetros. O ministro revelou que os pontos mais frágeis já foram reforçados, ainda que tenha admitido não conseguir “fazer chegar as máquinas nos sítios onde houve as duas ruturas”. “Estamos agora a aguardar que, de facto, aquele terreno vá secando e quero acreditar que em dois meses aqueles diques estarão completamente reparados. É uma obrigação nossa”, reafirmou Matos Fernandos.

Recordando um episódio semelhante em 2016, quando a obra cedeu aos 1900 metros cúbicos por segundo, o ministro do Ambiente explicou que, “este ano chegamos aos 2200 metros cúbicos por segundo e só aí é que ela cedeu”, salientado que este valor já não era registado naquele local desde 2001 e que o valor limite do projeto foi “largamente ultrapassado”.

Em conjunto com a EDP, o Ministério do Ambiente acordou interromper as descargas nas barragens para que “a pressão em Montemor seja menor e permita que boa parte da água volte a entrar no leito do rio e permita fazer as obras [de recuperação dos diques]”. “Neste momento, há dois metros de folga”, revelou Matos Fernandes.

Jornal de Notícias

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

DONATE NOW

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER