Portugal

DGS alerta para fraca qualidade do ar devido a massa do Norte de África

A diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, durante a conferência de imprensa diária para atualização de informação relativa à infeção pelo novo coronavírus (covid-19), na Direção-Geral da Saúde, em Lisboa, 05 de janeiro de 2021. Portugal contabiliza hoje mais 90 mortes relacionadas com a covid-19 e 4.956 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS). ANDRÉ KOSTERS/POOL/LUSA

Uma massa de ar do Norte de África está a provocar uma “fraca qualidade do ar no continente”, alertou esta segunda-feira a Direção-Geral da Saúde (DGS), que recomendou cuidados redobrados para a população mais sensível, como crianças e idosos.

“Está a ocorrer uma situação de fraca qualidade do ar no continente, prevendo-se que a mesma se mantenha hoje e terça-feira”, um fenómeno que se deve à “intrusão de uma massa de ar proveniente dos desertos do Norte de África“, adiantou a DGS.

Segundo a mesma fonte, o efeito deste fenómeno pode ser enfraquecido com a chuva que está prevista para algumas zonas do país, o que permitirá reduzir a concentração de partículas no ar.

Estas partículas inaláveis têm “efeitos na saúde humana, principalmente na população mais sensível, nomeadamente nas crianças e idosos, cujos cuidados de saúde devem ser redobrados durante a ocorrência destas situações”, adiantou ainda a DGS.

Nesse sentido, é recomendado que a população em geral reduza os esforços prolongados, limite a atividade física ao ar livre e evite a exposição a fatores de risco, como o fumo do tabaco e o contacto com produtos irritantes.

“Os grupos de cidadãos, pela sua maior vulnerabilidade aos efeitos deste fenómeno, para além de cumprirem as recomendações para a população em geral, devem permanecer no interior dos edifícios e, se viável, com as janelas fechadas”, avisou a DGS.

Além das crianças e idosos, a DGS aponta como vulneráveis pessoas com problemas respiratórios crónicos, principalmente asma, e doentes do foro cardiovascular, recomendando que, em caso de agravamento de sintomas, devem contactar a Linha Saúde 24 (808 24 24 24) ou recorrer a um serviço de saúde.

JN

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER