Portugal

Desde as vésperas de Natal que não havia tanta gente a circular na rua

O arranque da terceira fase de desconfinamento marca um recorde: desde as vésperas de Natal que não circulavam tantas pessoas nas ruas fazendo regressar os níveis de mobilidade a um contexto pré-pandemia.

De acordo com o relatório da consultora PSE, divulgado esta terça-feira, apesar do teletrabalho e do ensino à distância de Secundário e Superior, na semana passada, apenas 5 a 6% da população permaneceu confinada acima dos valores verificados antes das medidas restritivas.

A mobilidade dos portugueses está a disparar tanto durante a semana como aos fins de semana.

“Neste último fim de semana 60% da população esteve em mobilidade, um valor só comparável, durante a pandemia, com os níveis verificados no verão passado ou no fim de semana de 24 e 25 de outubro. Desde essa data que não tínhamos tanta gente em circulação”, lê-se no relatório da empresa especializada no estudo da mobilidade dos portugueses. O bom tempo terá acelerado o desconfinamento – tanto no sábado como no domingo cerca de 10% da população procurou zonas balneares, o valor mais alto do ano.

Antes da pandemia cerca de 25% da população permanecia em casa (“confinamento natural”), os valores de dia 19 (arranque da terceira fase do desconfinamento) revelam que “os perfis de mobilidade estão praticamente iguais ao que acontecia antes da pandemia”, já que apenas se registou mais 5 a 6% da população confinada apesar do regime de teletrabalho obrigatório e de muitas das instituições de Ensino Superior não terem regressado totalmente ao regime presencial de aulas com muitos alunos a permanecerem à distância (regime misto). A análise da PSE conclui, por isso, que desde os dias 21, 22 e 23 de dezembro “que a quantidade de pessoas a circular não era tão elevada”.

O índice de mobilidade da PSE é um indicador em que a base 100 correspondente à mobilidade na situação pré-covid. Ontem, dia 19, registou-se um índice de 102%, equiparável a níveis antes da pandemia. Comparativamente na semana entre 25 a 29 de janeiro, após o fecho das escolas, esse índice foi de 63% (o mais baixo em 2021 até ao momento) e na semana Santa, já após a primeira fase de desconfinamento e reabertura das escolas de 1.º ciclo e de Pré-Escolar, foi de 81%.

“Se a mobilidade durante os dias úteis já se encontrava elevada, com o levantamento de restrições de fim de semana da 2ª e 3ª fase de desconfinamento, os fins de semana viram claramente a mobilidade a aumentar”, lê-se no relatório. De acordo com o relatório, o índice de mobilidade no fim de semana da Páscoa foi de 52% enquanto no último foi de 83%. O perfil de mobilidade também se alterou. Neste fim de semana foi possível verificar maiores deslocações, uma maior variedade de destinos, e circulação ao longo de diferentes períodos horários durante todo o dia.

A PSE sublinha que os momentos em que o desconfinamento foi mais acelerado: em maio do ano passado, na semana que antecedeu o Natal, no início da segunda fase do desconfinamento e agora com a terceira fase do desconfinamento.

JN

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER