Portugal

Carnaval de Torres Vedras aumenta zona de animação para os 350 mil visitantes

O Carnaval de Torres Vedras, que espera 350 mil visitantes entre 9 e 13 de fevereiro, vai ter uma maior zona de animação noturna para fazer face à afluência de foliões, disse a organização.
César Costa, presidente do conselho de administração da Promotorres, empresa municipal responsável pela organização do evento, afirmou à agência Lusa que a cidade vai ter este ano um quarto recinto de animação noturna na Praça Dr. Alberto Avelino, entre o centro histórico e o jardim do Choupal.
“Este palco vai ter só animação no sábado e na segunda-feira e serve para aliviar a concentração de público no centro histórico da cidade nessas duas noites”, explicou.
Com o aumento do recinto de animação ao ar livre e o aumento do investimento, entre 10 e 15 mil euros, nos carros alegóricos, o orçamento do Carnaval sobe este ano de 650 para 680 mil euros, depois de a edição de 2017 não ter dado prejuízo.
Pelo segundo ano, o Carnaval quer afirmar-se como um evento sustentável.
Para combater a produção de lixo que se acumula nas ruas, assim como reduzir os custos com a limpeza, a organização mais do que duplicou este ano o número de “ecocopos” junto dos bares e nos recintos de animação ao ar livre para sensibilizar os foliões a reutilizar os copos, em vez de consumirem as bebidas em copos de plástico descartáveis.
Os resíduos resultantes da limpeza do recinto do Carnaval são reencaminhados para a reciclagem.
Em 2017, foram enviados para reciclagem 11,6 toneladas de embalagens de plástico e 240 quilogramas de vidro.
Outra das novidades deste ano é uma aplicação para telemóvel, já disponível, um autêntico “guia do folião” com o mapa da cidade e a indicação sobretudo dos locais onde dormir, comer e visitar, mas também com a localização dos postos de emergência e do hospital.
César Costa adiantou que já esgotaram os 10 mil kits de Carnaval (com bilhete para os quatro dias e outros acessórios) colocados à venda em novembro, ao preço de 10 euros.
O bilhete diário sobe este ano de cinco para seis euros, assim como a pulseira para os quatro dias, de 10 para 12 euros, por não serem aumentados nos últimos anos.
O Carnaval começa na manhã de 09 de fevereiro com o corso escolar, em que são esperados oito mil crianças e jovens mascarados.
O evento mantém os habituais corsos diurnos e noturnos, em que desfilam oito carros alegóricos, conhecidos pela sátira político-social, e milhares de foliões mascarados, muitos dos quais disfarçados de matrafonas (homens mascarados de mulheres), como é típico no concelho.
César Costa adiantou que estão inscritos 43 grupos e um total de 2.200 figurantes no concurso de mascarados.
Depois dos corsos, a animação continua madrugada fora nos bares e em vários palcos instalados em recintos ao ar livre na cidade.
Os festejos geram receitas de cerca de 10 milhões de euros na economia local.
A câmara, no distrito de Lisboa, candidatou em 2016 o seu Carnaval a Património Nacional Imaterial, o primeiro passo para vir a ser reconhecido como Património Mundial pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco).

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

DONATE NOW

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER