Opinião

Romaria das romarias – assim é conhecida a maior romaria de Portugal

Festas da Senhora da Agonia em Viana do Castelo pela primeira vez em formato virtual

Os foguetes assinalam, de forma pontual, a saída para as ruas de todos os desfiles e tradicional cortejo histórico-etnográfico. São milhares de pessoas, em pé e sentadas, que preenchem cada espaço disponível da cidade para assistirem a tudo.

 

Romaria das romarias - assim é conhecida-opiniao-mileniostadium
Foi em 1744 a veneração de Viana do Castelo à Virgem da Agonia, invocada pelos pescadores para que o mar lhes seja benigno. Desde então foi fixado o dia 20 de agosto para as festas em sua honra. Foto: DR

 

É assim e eu como vianense e apaixonado pela minha cidade, onde passei parte da minha adolescência, mais tarde no campo empresarial, não podia deixar de dar um toque do que de bom tem Viana do Castelo em agosto. Quem vai a Portugal em meados de agosto e não vai a Viana do Castelo é porque não conhece Portugal – celebra-se a maior romaria de Portugal, uma semana de festas que deixa saudades a quem gosta da cultura regional e quem aprecia etnografia e folclore. Viana, cidade do amor, QUEM GOSTA VOLTA E QUEM AMA FICA.

Foi em 1744 a veneração de Viana do Castelo à Virgem da Agonia, invocada pelos pescadores para que o mar lhes seja benigno. Desde então foi fixado o dia 20 de agosto para as festas em sua honra. Em 1772 uma portaria régia autorizou a realização de uma feira franca na cidade – nos dias 18, 19 e 20 do mesmo mês, desde então, a romaria da Senhora d´Agonia tornou-se numa das mais belas, coloridas e grandiosas festas populares de Portugal. São vários os cortejos que animam os três principais dias de festa acompanhados de muita música com as gentes de Viana que vestem os mais belos trajes do Minho.

Cedo começam as alvoradas com Zabumbas e Gigantones – cabeçudos e grupos de bombos – a anunciar as festas que pela manhã, bem cedo, têm início na Praça da República. Por outras ruas desfilam as bandas de música que saúdam os visitantes, é o desfile da mordomia. Acompanhados de foguetes, todos estes desfiles passam pelos Paços do Concelho para cumprimentar as autoridades e todos os representantes da cidade, mas as Zabumbas continuam na Praça da República, que fazem vibrar os enormes bombos e à sua frente desfilam os gigantones, enormes figuras que há mais de 100 anos vieram de Santiago de Compostela animar a Romaria d´Agonia. Um cortejo etnográfico com carros alegóricos que recordam os costumes dos trabalhos do Minho, da terra e do mar, verdadeiro museu vivo de etnografia, um cortejo histórico com lenda e realidades históricas que marcaram Viana do Castelo, a Festa do Traje que desfila pela Avenida dos Combatentes até ao rio Lima, onde se mostra do melhor que há na capital do folclore… são coisas que fazem arrepiar qualquer visitante.

O dia que marca as festas é o sábado, dia do cortejo etnográfico – só na década de 60 do século passado é que os carros alegóricos começaram a utilizar os tratores, até então eram puxados por juntas de bois. Na altura da “parada”, que depois deu origem ao atual cortejo, os carros alegóricos eram construídos e decorados nas freguesias – havia uma dedicação e um gosto, uma chieira como as gentes de Viana têm, para mostrar os usos das suas terras e das gentes das freguesias. Era no próprio dia do desfile, pela manhã, que se fazia a decoração. Eram as pessoas da terra que os traziam a pé até à cidade!

Este ano, devido à covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus, a comissão de festas “vai recriar, através dos meios tecnológicos disponíveis, o que não puder ser vivido nas ruas, para que as pessoas, em casa, quer em Viana do Castelo, quer na diáspora, possam também viver a romaria”. Temos que aceitar o novo formato, com esperança que seja só este ano. Tenho a certeza de que nenhum verdadeiro vianense vai deixar de viver, intensamente, a romaria, em casa, e de serem criativos na forma de exteriorizar a festa. Deixo um desafio a todos os vianenses para durante os dias da festa, especialmente os que se encontram por terras canadianas, coloquem traje vianense, vistam-se a rigor, não deixem passar em claro a maior romaria de Portugal.

Este ano a festa é sentida no coração, pena é dos que por cá se encontram não lhe darem mais valor. Que Nossa Senhora d´Agonia nos proteja a todos, seja no mar ou em terra.

Viva Viana do Castelo, capital do folclore.

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

DONATE NOW