Opinião

Jogo da inteligência

Opinião

O atual presidente só em novembro decidirá se vai ou não recandidatar-se. Continua a adiar. Popular já é, agora está com medo dos adversários sem papas na língua.

Marcelo Rebelo de Sousa

Muita notícia tem vindo a público e muitas especulações se têm feito sobre se o atual presidente se vai recandidatar ou não. Foi eleito Presidente da República a 24 de janeiro de 2016. A nova votação para a chefia do Estado só terá lugar em 2021, mas há mais de um ano que uma pergunta persegue Marcelo: “Vai recandidatar-se a um novo mandato?”. O Presidente com a sua capacidade e habilidade tem fugido a uma resposta direta e até já criou um tabu sobre o tema, mesmo metendo os Deuses ao barulho. O que ele tem vindo a dizer aponta mais para um “sim” do que para um “não” – todos sabemos que vai, o que parece é que está a jogar o jogo dos aflitos. Eu gostava muito de ouvir o professor Marcelo como comentador. Era uma pessoa que dizia as coisas com sabedoria e muito direto ao assunto, mas sempre demonstrou receio em estar envolvido em pressões. Ele detesta ser apertado e não se mete em ataques verbais, de certeza que já notaram isso. Estava também como comentador da TVI, era o lugar dele porque adora populismo e nisso ele é excelente – sabe trabalhar e rodear as pessoas. Parece que temos mais um feirante. Para isso é excelente.  Sou social-democrata assumido e quem me conhece sabe que, por vezes, sou muito direto e se calhar acabo por perder por falar as verdades. Esta semana tinha que dar a minha opinião sobre o nosso Presidente e este assunto que paira por aí sobre as próximas presidenciais. Votei nele, mas não volto a votar. Uma pessoa como ele, aquando da sua passagem como comentador, que defendia as verdades e criticava os políticos da atualidade de não serem verdadeiros e esconderem as verdades do cidadão, e agora faz ainda pior. Sabe muito bem dizer a célebre frase “as verdades têm que se apurar, as coisas não podem ficar assim”, nisso ele é excelente, pouco mais diz ou faz. Temos um Presidente que trabalha para a popularidade. Sabemos que vai ganhar novamente, mas não é pelo trabalho que desempenha como Presidente, mas sim porque não vai ter adversário à altura dele. Vai ter adversários que lhe vão fazer a vida negra, porque os prováveis candidatos não têm papas na língua e na campanha vai vir tudo ao de cima. Ele vai ouvir o que não espera. Segundo se fala, o Dr. André Ventura e a Dra. Ana Gomes são dois prováveis candidatos e são dois fortes opositores ao atual, por isso o Presidente está fechado em copas a ver as nuvens a passar antes de decidir. Só vai decidir quando tiver a certeza de uma vitória garantida, e isso já ele tem, o que não tem é a vitória como ele gostava, que era de bater o recorde da maior votação de sempre – isso ele não vai ter. Ele adora populismo e com a inteligência dele está a jogar pelo seguro. No grupo dos aflitos está a maioria do PS, alguns dirigentes estão a ficar com uma animosidade tal que já decidiram apoiar a Dr. Ana Gomes, muito incomodados se António Costa vai ou não apoiar o Presidente Marcelo. O primeiro-ministro António Costa já disse que se Marcelo Rebelo de Sousa não se recandidatar será incompreensível para 80% dos portugueses – com isto eu digo: este gosta de música. A maioria dos dirigentes não estão de acordo segundo se ouve, e lembrem-se que nunca o PS deu apoio a um candidato vindo da direita, não é como os do meu partido, o PSD, que deu apoio a Mário Soares na sua recandidatura em 1991. Para mal ou para bem arranja-se sempre um candidato. Não se limpa a baba aos populistas. Estou a ver uma campanha risonha com ataques para os quais Marcelo não se vê muito bem no meio. Ele gostava de opinar quando era comentador, mas neste momento não gosta de ataques.

Viva Portugal.

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

DONATE NOW