Opinião

Já marcava pontos nas redes sociais, foi banido devido a denúncias de racismo

Podiam ter feito uma denúncia de uso da canção e cópia de partes da dança, originalidade tem direitos de autor.

O cidadão já não pode abrir a boca, ou se abre tem que pensar muito bem no que vai dizer. Isto está a chegar a um ponto que tudo aborrece e tudo o que se diz é uma ofensa, parece que já tudo é racismo, entre outras coisas. Aos mais antigos, mais vividos, fica melhor – na altura das festas e romarias saem-se sempre  com brincadeiras uns aos outros… Se formos a ver, hoje podia-se considerar harassment.

 

Já marcava pontos nas redes sociais-opiniao-mileniostadium
“Stand Up”, gravado pela cantora negra Cynthia Erivo. Crédito: DR

 

Esta semana, por exemplo, semana do dia 24 de agosto, que é o Dia de São Bartolomeu, muitas vezes os jovens chegavam perto de uma donzela e diziam, “menina, no dia 24 de agosto é o dia de São Bartolomeu. Foge ao teu pai que eu também fujo ao meu!”. Se fosse hoje a menina donzela podia dizer que tinha sido assediada, chamar-lhe-ia sei lá o quê, e assim vai o mundo com as mudanças incríveis que nada de bom trazem para estas gerações que vêm a caminho. Hoje qualquer coisa já é racismo e outras são harassment, etc. Infelizmente é assim que se vai criando a sociedade.

Na semana das festas da Sr. D’Agonia foram criados uma série de vídeos para dar vida aos forasteiros e viver as festas de uma forma diferente – festas essas que, como sabem, derivado à Covid-19 tiveram que ser canceladas. Infelizmente Portugal tem tratamentos diferentes – festas e romarias, casamentos, batizados, missas, funerais, etc. foram cancelados/as e alguns foram realizados com restrições mas a festa do Avante pode-se fazer. Parece que Portugal, a pouco e pouco, está a virar um país comunista.

Um dos vídeos que já marcava pontos nas redes sociais, segundo veio a publico, teve várias denúncias de racismo, notificação dada pelo Instagram, que tinha sido a razão para a retirada do vídeo. Assim disse a diretora da escola Susana Domingues, tendo sido a informação dada pela plataforma como uma justificação. Eu cada vez percebo menos – se ali havia racismo alguém que explique onde! Ficava-lhes melhor ter dito que a razão tinha que ver com os direitos de autor (o direito de autor é a designação do direito que protege as criações literárias e artísticas, conferindo ao autor um direito de exploração. Os direitos conexos com o direito de autor protegem as prestações dos atores, cantores, músicos, bailarinos, ou dos que representem, cantem, recitem, declamem, interpretem ou executem de qualquer maneira obras literárias ou artísticas, etc.).  Para quem não sabe, a canção escolhida para o vídeo foi o tema “Stand Up”, gravado pela cantora negra Cynthia Erivo para o filme “Harriet” (2019). A música passa uma força incrível de união. Ali houve uma cópia, a canção foi utilizada e criada para um filme que procuraram dar uma força de união entre povos, como Susana Domingues disse e muito bem – mas porque não utilizá-la noutros contextos? Nada de mal.

O vídeo está excelente e com um toque diferente, mostra vários bailarinos em diversos cenários e com roupas tradicionais a dançarem ao som da canção, podiam sim ter alterado a dança no início para não ser igual ao original, porque essa parte é idêntica, só o local é que é diferente, porque o resto está muito bem. A parte das sargaceiras no rio Lima, no escadório de Santa Luzia, ficou tudo excelente! Mas terem retirado por denúncias de racismo não tem cabimento, eu chamaria mais de inveja por quem não conseguiu apresentar algo idêntico ou parecido. A equipa em geral está de parabéns, a começar pela direção artística de Susana Domingues, vídeo de André Cardoso e a coreografia da Cristiana Neto. Fizeram-no com muito gosto. Espero que esteja enganado mas a denúncia foi feita no corredor da inveja – quando não se é capaz, inveja-se o que outros fazem ou então agarra-se nas ideias dos outros para ficar bem na foto… Conheço alguns assim! Temos que ter muito cuidado na forma como olhamos, falamos e até como cumprimentamos – hoje tudo pode ser considerado uma ofensa, racismo, harassment, etc.

Quanto mais conheço certos seres humanos mais gosto dos animais. Para terminar mais uma vez parabéns à Arte em Movimento e continuem com o excelente trabalho que têm habituado os apreciadores da cultura tradicional, sempre com inovação.

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

DONATE NOW