Opinião

Eventos políticos atuais de interesse

Bastiões conservadores opõem-se aos cortes de Doug Ford na área de educação

Os conservadores de Doug Ford no Ontário não estão apenas a perder a guerra contra os professores, eles parecem estar cada vez mais em risco de perder a maioria dos seus deputados na próxima eleição.

Uma nova pesquisa realizada pela Stratcom, que examina as corridas atualmente realizadas pelos deputados conservadores de Ontário, mostra que mais de metade (53%) acha que o Governo de Ford está a fazer um mau trabalho. E de acordo com a CTV News, “56% dos entrevistados disseram que estavam menos inclinados a apoiar um candidato conservador nas próximas eleições provinciais – um resultado que tem muito a ver com as propostas do Governo na área de educação”.

Entre pais com filhos em escolas públicas, 70% discordam da iniciativa do Governo de aumentar o tamanho das turmas. Outros 68% discordam do plano de Ford de forçar os alunos a concluir cursos de aprendizagem on-line para se formarem. No geral, 59% dos pais em áreas que os conservadores representam acham que o Governo está a fazer um mau trabalho. A pesquisa da Stratcom, solicitada pela Federação de Professores das Escolas Secundárias de Ontário, entrevistou 9.726 residentes do Ontário em 33 distritos eleitorais mantidos por deputados do Partido Conservador, incluindo os distritos do ministro das Finanças, Rod Phillips,e do ministro do Desenvolvimento Económico, Vic Fedeli.

Para tornar as coisas mais interessantes para este Governo, os três principais partidos políticos do Ontário parecem estar num empate quanto ao apoio público, segundo uma nova pesquisa solicitada pelo Toronto Star. A pesquisa da Campaign Research concluiu que o partido Conservador Provincial e os Liberais teriam o apoio de 30% dos eleitores se houvesse uma eleição amanhã, com os Novos Democratas em 26% e os Verdes em 11%. Parece que o problema surgiu quando ele começou a adotar políticas de direita e fiscalmente conservadoras.

O candidato democrata à presidência: Bernie Sanders

Como o leitor deve saber, há décadas que Bernie Sanders lidera a luta por um sistema de saúde universal nos EUA – uma luta que estava no centro da sua campanha para ser o candidato presidencial democrata.

Quer se goste ou não, ele é um social-democrata que inspirou toda uma nova geração de eleitores com esses valores num país onde o hipercapitalismo é rei. O entusiasmo que ele continua a gerar foi transmitido aos jovens aqui no Canadá e em todo o mundo. Ele geralmente refere-se ao sistema de saúde do Canadá como um a imitar, na trilha da sua campanha. Ele sabe que a assistência médica canadiana está sob constante ameaça não apenas das forças de direita, mas também da complacência, ou da crença de que tudo está bem.

A sua proposta de “Medicare for All” estabeleceria um sistema que não apenas inclui pagamentos para médicos e cuidados hospitalares (como o nosso, no Canadá), mas também fornece serviços odontológicos, oftalmológicos, psicológicos e farmacêuticos para todos. O que ele está a propor realmente ultrapassa o Canadian Medicare! Para os canadianos, esses objetivos aspiracionais são muito importantes. A ambição de Bernie por uma melhor qualidade de vida para todos desafia- nos a aproveitar os sucessos do nosso passado e imaginar um futuro melhor.

Com o processo de seleção em pleno andamento, Sanders venceu após uma longa campanha em New Hampshire. Pelo menos desta vez os votos foram realmente relatados. Enquanto as primárias de New Hampshire foram mais tranquilas do que a corrida em Iowa, ele dividiu os votos com vários outros candidatos e não obteve uma vitória incrível, como em 2016 contra Hillary Clinton. O segundo colocado, Pete Buttigieg, terminará com o mesmo número de delegados prometidos no sistema de New Hampshire, tornando a noite efetivamente empatada, apesar da vitória dos votos populares de Sanders.

Enquanto espera para ver qual Democrata irá concorrer contra ele, o presidente Donald J. Trump divulgou o seu orçamento para 2021 (que, como a maioria dos orçamentos presidenciais propostos, pode não ter semelhança com o que realmente é aprovado). Trump foi eleito, em parte, prometendo não cortar programas como a Segurança Social e o Medicare – programas de interesse particular para os eleitores mais velhos. E a proposta atual parece deixá-los em paz, exceto algumas mudanças no Medicare que a CNN diz que “afetariam amplamente médicos e hospitais”. O orçamento é mais difícil para o Medicaid, o programa destinado aos americanos mais pobres, e exige um grande corte nos cupões de alimentos, uma prática não vista no Canadá. Pode ser um orçamento para 2021, mas as prioridades são muito 2020: muitos idosos votam nos republicanos, mas pessoas pobres nem tanto.

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Não perca também
Close
Back to top button

DONATE NOW