Opinião

A turbulência política de Ford

Moro no Ontário, Canadá desde quase toda a minha vida e não me lembro de qualquer turbulência política semelhante à que vemos hoje, depois de um ano do governo de Doug Ford.

Já escrevi anteriormente neste espaço, que por causa do nosso sistema eleitoral, semelhante ao britânico, às vezes ficamos com o que é chamado falsas maiorias.

O que quero dizer com essa afirmação? Em termos muito simples, os conservadores, vencedores que receberam cerca de 38% do total de votos, ainda assim, conseguiram um governo com maioria. Sim, o leitor leu bem, 62% votaram noutros partidos que tentam promover os interesses da maioria do eleitorado sem sucesso. Aqueles de nós que se lembram da última eleição portuguesa podem começar a apreciar como isso é possível, mas uma grande diferença é que os socialistas em Portugal formaram uma espécie de coligação com dois partidos de esquerda. No caso do Ontário não havia necessidade de negociar com qualquer partido.

Lamento que a nossa Assembleia em Queen’s Park esteja perdida – todo mundo acha que o eleitorado não se importa o suficiente para demonstrar o seu desagrado. Um velho provérbio diz o seguinte, se uma árvore cai numa floresta e ninguém ouve, aconteceu? Se a nossa Assembleia enfraquecer e a democracia acabar por ficar comprometida e ninguém percebe, isso importa?

Não esquecer que o governo causou a rutura que vivemos dado a política de destruição de Doug Ford que provocou danos em toda a província. Em Toronto o governo provincial está iniciar uma transformação tão rápida quanto o processo legislativo permitir. Só na semana passada abriu o caminho para a província “carregar” o sistema de metro de Toronto, desfez a reforma da Ontario Municipal Board e além de retirar fundos que apoiam mais de 6.000 creches subsidiadas em Toronto.

No outono passado, Doug Ford cortou o número de membros da Câmara de Toronto pela metade, aparentemente por um capricho, em plena campanha eleitoral (cívica) de outubro. Desde então, ele reduziu drasticamente os fundos para a saúde a nível local, ameaçou aumentar os limites de velocidade nas autoestradas e, em geral, o seu comportamento com os partidos da oposição beira o desprezo por eles e a maioria que eles legitimamente representam.

Claramente, este é um homem com bastante à vontade para infligir dor, que alimenta rancor e valoriza a lealdade sobre a competência. Parece que é claro, ele faz o que faz porque acredita que tem que ser feito. Este senhor insiste que a administração de Toronto é ineficiente e que o déficit de Ontário chegou a um ponto em que a redução da dívida é o objetivo principal.

Muitos serão prejudicados pelas suas decisões. Ironicamente, embora Doug Ford defenda um governo de escala menor, o seu governo invadiu diretamente nas vidas dos cidadãos do Ontário, de forma imprudente. Agora é impossível para quem mora e trabalhe nesta província ignorar o Queen’s Park. Com exceção dos ricos, todos os residentes de Ontário são afetados pelos cortes incansáveis de Doug Ford, quer morem em cidades, subúrbios ou áreas rurais.

Redes Sociais - Comentários

Tags
Mostrar mais

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER

Close
Close