Mundo

ONG humanitárias dizem que situação na Síria está num “ponto crítico”

Dezenas de grupos humanitários internacionais disseram esta sexta-feira que as condições do noroeste da Síria atingiram um “ponto crítico” e pediram o fim imediato dos combates.

Num apelo divulgado esta sexta-feira, os grupos indicaram que a violência causou cerca de 180 mil deslocados nas duas últimas semanas.

Os confrontos entre os rebeldes e as forças governamentais, que eclodiram a 30 de abril, destruíram um cessar-fogo aplicado desde em setembro.

A violência forçou pelo menos 16 organizações humanitárias a suspenderem as suas operações na região, onde vivem três milhões de pessoas, adiantaram.

A organização não-governamental Médicos pelos Direitos Humanos disse que no último mês as forças do governo sírio e os seus aliados russos realizaram nove ataques a hospitais e outras instalações de saúde.

Segundo os grupos, pelo menos quatro postos humanitários claramente identificados foram atingidos.

As tropas sírias e os seus aliados têm vindo a avançar no noroeste da província de Hama e no sul de Idlib para tentar ocupar territórios ainda controlados pelos grupos insurgentes.

A escalada atual na região é a mais grave desde que Moscovo, aliado do regime, e Ancara, que apoia alguns grupos rebeldes, anunciaram em setembro de 2018 um acordo sobre uma “zona desmilitarizada”, que devia separar os territórios controlados pelos insurgentes das zonas governamentais e evitar uma ofensiva governamental na província de Idlib, o último grande bastião ‘jihadista’ no país.

Jornal de Notícias

Redes Sociais - Comentários

Tags
Mostrar mais

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER

Close
Close