Mundo

Mama Sarah, avó de Barack Obama, morre aos 99 anos

(FILES) In this file photo taken on August 26, 2006 US senator of Kenyan descent Barrack Obama greets his grandmother Sarah Obama at their rural home in Siaya, Kisumu, 365km western of the capital during his first visit in 14 years. – Sarah Obama, whom former US President Barack Obama considered her grandmother, died on March 29, 2021, morning at the age of 99 in a hospital in Kisumu, western Kenya, we learned from her daughter. (Photo by Simon MAINA / AFP)

A queniana que o ex-presidente norte-americano Barack Obama considerava avó, Mama Sarah Onyango Obama, morreu esta segunda-feira, aos 99 anos, em Kisumu, no Quénia, após sofrer um derrame em setembro passado, anunciou a sua filha, Marsat Obama.

“Diagnosticaram-lhe um acidente vascular cerebral em setembro do ano passado e teve problemas relacionados com glicemia”, disse a filha de Mama Obama, que deu entrada no domingo no Hospital Universitário Jaramogi Oginga Odinga, tendo morrido esta segunda-feira às 4.45 horas locais (2.45 horas em Portugal continental).

De acordo com a imprensa queniana, que cita fontes médicas, a idosa foi internada devido a problemas de diabetes, uma doença que a levou ao hospital várias vezes durante os últimos dois anos.

Mama Sarah Obama, que será enterrada no cemitério muçulmano de Kisumu, era a terceira mulher do avô paterno do ex-presidente Obama e tornou-se uma celebridade na vila de Kogelo (no condado de Siaya, também no oeste do país) onde morava, conhecida como “a aldeia de Obama”.

O presidente do Quénia, Uhuru Kenyatta, expressou as suas condolências à família, num comunicado em que afirma que o país perdeu “uma mulher forte e virtuosa” que era “um ícone dos valores familiares”.

Também o principal líder da oposição do país, Raila Odinga, lamentou a morte de Mama Sarah Obama, na rede social Twitter, considerando que era “um símbolo da resiliência e confiança das mulheres africanas“.

Por sua vez, o governador do condado de Kisumu, Anyang Nyong’o, ofereceu condolências aos familiares e ressaltou que a idosa “não era apenas a matriarca da família alargada de Obama, mas também uma figura materna para muitas pessoas e uma filantropa que ajudou a angariar fundos para pagar as propinas escolares de muitos órfãos e crianças vulneráveis e que apoiou muitas viúvas”.

Barack Obama, o primeiro presidente norte-americano de origem africana, sempre despertou grande interesse no Quénia, país onde nasceu o seu pai e onde muitos o consideram um dos seus.

Em julho de 2015, o ex-presidente dos Estados Unidos aproveitou a sua visita a este país da África oriental – a primeira que fez como chefe de Estado – para visitar a sua família paterna, com a qual tinha pouco contacto.

Obama viu o pai apenas uma vez na vida, aos 10 anos, embora tenha sido tão influenciado que, em 1988, foi, pela primeira vez, ao Quénia para conhecer as suas raízes e visitou Kogelo em 2006, quando já era senador do estado de Illinois.

JN

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER