Mundo

Especialistas da OMS não identificaram pangolim ou morcego na origem do vírus

Uma equipa internacional de especialistas chineses e da Organização Mundial da Saúde (OMS) que investigou as origens da covid-19 na China anunciou não ter encontrado o animal que está na origem do novo coronavírus.

A transmissão para o ser humano a partir de um animal é provável, mas “ainda não foi identificada”, disse Liang Wannian, chefe da delegação de cientistas chineses, em conferência de imprensa. Wuhan, cidade localizada no centro da China, diagnosticou os primeiros casos do novo coronavírus no final de 2019, no que as autoridades de saúde designaram então de “pneumonia por causa desconhecida”.

 

Especialistas da OMS não identificaram pangolim ou morcego-china-mileniostadium
Marion Koopmans (center-R) and other members of the World Health Organization (WHO) team investigating the origins of the Covid-19 pandemic, leave the Wuhan Jinyintan Hospital in Wuhan, China’s central Hubei province on January 30, 2021. (Photo by Hector RETAMAL / AFP)

 

Uma das teses sobre o aparecimento do vírus assenta na transmissão a partir de morcegos, conhecidos portadores de vários coronavírus e que se têm disseminado pelo sul da China, para um pangolim, que terá entrado na dieta alimentar de clientes do mercado de Wuhan, onde o surto terá tido origem.

Os investigadores disseram não ter encontrado indícios da presença do vírus em Wuhan antes de os primeiros casos terem sido diagnosticados. “Nos dois meses anteriores a dezembro não há evidências de que o [vírus] estivesse a circular na cidade”, disse Liang, em conferência de imprensa da OMS sobre os resultados da sua investigação.

A missão da OMS sobre as origens da transmissão do vírus é importante para prevenir a ocorrência de futuras epidemias, mas só se concretizou passado mais de um ano depois de os primeiros casos terem sido diagnosticados. A investigação é extremamente sensível para o regime comunista, cujos órgãos oficiais têm promovido teorias que apontam que o vírus teve origem em outros países.

A visita dos especialistas acontece depois de longas negociações com Pequim, que incluíram uma rara reprimenda por parte da OMS, que afirmou que a China estava a demorar muito para fazer os arranjos finais. A OMS já tinha alertado que seria necessário ter paciência antes de encontrar a origem do vírus.

JN/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

DONATE NOW

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER