Mundo

Ema Dantas Rumo ao topo!

É uma mulher fisicamente pequena, mas enorme na determinação, chama-se Ema Dantas e é uma portuguesa que nos enche de orgulho. Empresária, fundadora e diretora da empresa Language Marketplace e antiga jornalista, recebeu vários prémios ao longo da carreira, como é o caso” Top 100 Female Entrepreneurs” pela revista “Profit”, tendo levado a sua empresa à lista das 500 que faziam parte da “Canada’s Fastest Growning Companies” em 2013.

Ema Dantas Rumo ao topo-everest-mileniostadium
Ema e o Evereste atrás, dias antes de começar a escalada. Crédito: peaksforchange/instagram

A sua paixão pela aventura associada à filantropia, levou-a a impulsionar a fundação da associação Peaks for Change, que pretende alertar para os problemas de Saúde Mental, desmistificando-os, e chamar a atenção para a necessidade de dotar as instituições que se dedicam ao tratamento de doenças deste foro, de todos os meios para desenvolverem um trabalho competente e que chegue a cada vez mais pessoas. 

Neste contexto, Ema Dantas resolveu superar os seus próprios medos (Ema não se dá bem com as alturas, por exemplo) e subir as sete montanhas mais altas do mundo, tendo como objetivo angariar fundos para o CMAH (The Centre of Addiction and Menthal Health). Já subiu seis e está neste momento a escalar o Evereste. Trata-se de uma dura tarefa. Só acessível a pessoas assim como Ema, que não desistem dos seus objetivos, mesmo que para isso tenham que descobrir forças e vontade onde nem imaginavam que pudessem existir.

Com recurso à comunicação por satélite, Ema Dantas tem dado notícias da sua aventura à MDC. E soubemos que está bem (é sempre o que mais queremos saber), apesar de ter tido problemas gastrointestinais que começaram na caminhada para o Basecamp e lhe provocaram um mal-estar difícil de suportar em qualquer circunstância, mas que se torna ainda mais complicado quando se tem necessidade de ir à casa de banho a cada poucos minutos, ou mesmo a cada duas horas – não é algo prático quando temos vestidas algumas camadas de roupa e se tem um arnês para nos mantermos seguros a uma corda.

Ema contou-nos ainda que teve mini colapsos nervosos, em parte por sentir a falta da sua família, por se sentir sozinha, assustada e insegura e desconectada do resto do mundo, apenas enfrentando a enorme montanha coberta de neve e gelo.

Atualmente, o grupo em que está integrada ainda está no Basecamp. Houve uma avalanche em parte da queda de gelo há alguns dias e um sherpa (guia do Evereste) quebrou uma perna. Mas Ema Dantas sossega-nos um pouco dizendo “Não nosso grupo. Estamos todos bem”.

A rota foi reavaliada, redirecionada e os sherpas fizeram uma viagem até o acampamento 1 transportando os outros suprimentos, incluindo barracas, e estão a planear fazer outra viagem. “Temos uma ótima equipa Sherpa!” – afirma Ema Dantas.

“Também fomos atingidos por algum mau tempo, que incluiu muita neve. Tanto que nossos sherpas tiveram que cavar as nossas tendas! Esta neve fresca apresenta novos riscos. Precisamos de um bom sol para derreter a neve!”.

A mensagem que Ema Dantas nos fez chegar termina com dois pedidos – “lembre-se de aceder a @peaksforchange, selecionar doar e doar para #7summitsformentalhealth, os fundos são para a nova clínica Bridging do CAMH. Doações acima de $ 25,00 receberão um recibo de imposto. Além disso, por favor, mantenha-me a mim e ao resto do grupo @mountaintrip nas suas orações. Ema”

Fica prometido Ema. Coragem. Orações não vão faltar e espero que doações também não.

Madalena Balça/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER