Local

Ontário em estado de emergência até 30 de junho

O Premier Doug Ford anunciou segunda-feira (1) que o COVID-19 Energy Assistance Program vai destinar $9 milhões para apoiar os consumidores que lutam para pagar as suas contas de energia durante o verão. Em vez de serem cobrados entre 10 e 20 centavos por quilowatt-hora, dependendo da hora do dia em que a eletricidade é usada, os consumidores vão pagar apenas uma taxa de 12,8 centavos de dólar por kWh. Para as pequenas empresas Ford também reservou $8 milhões para ajudar com as despesas de energia elétrica. Ford informou que a unidade de testes móveis da província vai estar esta semana em Scarborough e apelou à população para dirigir-se ao centro de testes entre as 9H e as 17H para realizar o teste à COVID-19. 

Premier Doug Ford

Os trabalhadores de Ontário que não estão em sindicatos e têm o seu horário de trabalho reduzido ou eliminado pelos empregadores devido à desaceleração da COVID-19 ainda vão ser considerados empregados com alterações retroativas até 1 de março. A província disse segunda-feira (1) que está a mudar os regulamentos para considerar esses trabalhadores em “licença de emergência para doenças infecciosas”, o que também significa que o funcionário não terá direito a indemnizações que possam ser aplicadas.

O Rogers Centre vai armazenar temporariamente 4,5 milhões de quilos de alimentos como parceiro do Toronto Blue Jays com o Food Banks Canada para fornecer alimentos para os mais carenciados durante a pandemia da COVID-19. A fundação da equipa de basebol de Toronto, a Jays Care Foundation, anunciou uma parceria com a Food Banks Canada e a Rogers Communications para a iniciativa “Step Up to the Plate”.

Máscara obrigatória no Aeroporto de Pearson

Novas políticas destinadas a conter a propagação da COVID-19 entraram em vigor no Aeroporto de Pearson segunda-feira (1). Agora todos os passageiros e funcionários do aeroporto devem usar máscara enquanto permanecerem nas áreas públicas do aeroporto. Quem não tiver máscara pode utilizar algo que cubra o rosto e a medida é obrigatória dentro e fora do Aeroporto de Pearson.

A tradição de içar a bandeira do Pride na autarquia de Toronto continua e segunda-feira (1) a autarquia assinalou o início do Mês do Orgulho, uma celebração anual que este ano foi diferente devido à pandemia. A Parada do Pride deveria acontecer a 28 de junho, mas a organização já informou que devido à pandemia o evento vai decorrer online.

Ontário estendeu, na terça-feira (2), o seu estado de emergência até 30 de junho. A medida proíbe concentrações com mais de cinco pessoas e jantares e almoços em restaurantes. Ontário declarou estado de emergência a 17 de março quando os casos da COVID-19 começaram a subir na província. No mês passado, Ontário permitiu a abertura de muitas empresas, incluindo lojas de retalho com entradas na rua, mas a ministra da Saúde, Christine Elliott, disse que ainda falta algum tempo até a província poder avançar com a segunda fase da reabertura da economia.

O Premier Doug Ford sublinhou no briefing de terça-feira (2) que o plano de reabertura regional continua em cima da mesa e que a província continua a apoiar empresas locais para produzir equipamento de proteção individual. O Ontario Together Fund está a disponibilizar verbas para as empresas adaptarem as suas de produção para produzir PPE e Ford voltou a apelar à população para comprar made in Canada.

Confusão entre hospital e laboratório deixa escapar 700 casos de COVID-19

700 casos confirmados de COVID-19 na área de Toronto não foram sinalizados pelas autoridades de saúde pública por causa de uma confusão entre hospitais e laboratórios. Os testes positivos foram concluídos em abril e a maior parte dos casos envolve pessoas que vivem em Toronto e nas regiões de Peel e York.  Os testes foram conduzidos pelo William Osler Health System, que possui unidades hospitalares em Etobicoke e Brampton, além de um centro de avaliação de COVID-19. As amostras de testes foram processadas pelo laboratório do Hospital Mount Sinai, no centro de Toronto. Os funcionários de cada hospital pensaram que notificar as unidades de saúde pública sobre os testes positivos era de responsabilidade do outro hospital, mas segundo as autoridades da província a responsabilidade real recai sobre o William Osler Health System. A ministra da Saúde de Ontário confirmou a confusão, mas garantiu que o problema já estava ultrapassado.

A autarquia de Toronto pediu à província para começar a recolher imediatamente dados da COVID-19 com base na raça e na situação socioeconómica porque as informações preliminares são “perturbadoras”. Numa carta enviada às principais autoridades de saúde da província, o conselheiro do Conselho da Saúde de Toronto, Joe Cressy (Spadina-Fort York), destacou que os dados recolhidos pela Toronto Public Health mostram que os maiores números de COVID-19 estão nas áreas da cidade onde residem mais pessoas com poucos rendimentos, novos imigrantes e imigrantes de diferentes raças. 

Tory diz que ajuda federal é “um bom começo”

O presidente da Câmara Municipal de Toronto diz que o apoio anunciado pelo PM Federal para as cidades não atende às “reais” necessidades financeiras da cidade de Toronto que continua a perder receitas com a pandemia. John Tory diz que a verba de 2,2 mil milhões que vai ser distribuída pelos municípios é “um bom começo”, mas defende que Toronto, que contribui 20% para o PIB canadiano, precisa de mais capital para manter serviços municipais em funcionamento.

À medida que a economia de Ontário reabre, Doug Ford vai investir $150 milhões para expandir a rede de banda larga e melhorar o serviço de rede móvel nas áreas mais remotas da província. O Premier informou no seu briefing diário desta quarta-feira (3) que 12% das famílias de Ontário ainda não têm acesso à internet e que este investimento vai ser fundamental para criar prosperidade económica e levar a telescola às zonas rurais de Ontário.  

Extensão da linha de metro de Ontário vai avançar

A província anunciou terça-feira (2) que vai avançar com a expansão da linha de metro de Ontário, mas não divulgou a data de conclusão do projeto. Num comunicado de imprensa, a província explicou que está a emitir os dois primeiros pedidos de parcerias público-privadas para identificar os grupos que vão projetar, construir e manter a linha do metro. A ministra dos Transportes avançou ainda que a linha “vai ser criar dezenas de milhares de empregos à medida que a província se recupera da COVID-19” e que “faz parte das medidas históricas que o Premier Doug Ford está a tomar para expandir o serviço de metro e reduzir o congestionamento do tráfego no GTA”. 2027 era a data prevista para a conclusão da linha de 15,5 km que vai ligar o Exhibiton Place ao Ontario Science Centre e o objetivo é criar conexões com a linha GO Transit, o TTC e o Eglinton Crosstown LRT.

Joana Leal/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

DONATE NOW