GTA

Toronto ainda não pode passar à segunda fase

Todas as regiões de Ontário, exceto Toronto, Peel e Windsor-Essex, receberam segunda-feira (15) a luz verde para avançar para a segunda fase de reabertura económica esta sexta-feira (19). O Premier Doug Ford anunciou na conferência de imprensa que as regiões de York, Halton, Durham, Hamilton e Niagara reúnem as condições para avançar para a segunda fase de reabertura económica e pediu às outras regiões para serem pacientes.

A rede de bibliotecas públicas de Toronto está a aceitar a devolução de livros, CD’s e DVDs de uma forma diferente. Para diminuir a possibilidade de contágio de COVID-19, os funcionários estão a receber o material com luvas e máscaras junto à entrada do edifício. Os clientes são atendidos com um intervalo de 10 minutos e o material é colocado em sacos de plástico dentro de caixas. O equipamento que é devolvido fica numa sala de quarentena durante 72 horas até voltar a ser colocado novamente em circulação.

Ontário cria “kit COVID-19”

O Premier Doug Ford anunciou terça-feira (15) o novo guia de segurança COVID-19, um “kit de ferramentas” para empresas, funcionários e clientes que vai ser crucial à medida que mais empresas reabrem. Ford incentivou também todos a fazerem compras localmente e a planearem férias em Ontário de forma a apoiarem a economia. Questionado sobre a possibilidade de tornar o uso da máscara obrigatório, o Premier remeteu para a ministra da Saúde que sublinhou que a medida mais importante para já é manter a distância física de dois metros. No entanto, o Premier disse que as pessoas devem usar máscara quando vão às compras porque nem sempre é possível cumprir com as regras de distância física dentro de uma loja.

Unidades de saúde vão recolher dados étnico-raciais

O Governo de Ontário está a propor que todas as unidades de saúde comecem a recolher dados étnico-raciais de casos de COVID-19. A província anunciou a mudança depois de dizer no início deste mês que estava a considerar a hipótese. A ministra da Saúde explicou que o Governo fez a proposta depois de ter recebido solicitações de líderes comunitários e especialistas em saúde pública. A recolha dos dados étnico-raciais vai ajudar o Governo na tomada de decisões.

A Autoridade Reguladora dos Lares de Idosos da província de Ontário emitiu uma ordem para revogar a licença da Rosslyn Retirement Residence, o lar de idosos de Hamilton com o pior surto de COVID-19. A instituição é gerida por membros da família Martino, que também operam outros sete lares de idosos em Hamilton e um em Niagara Falls. 14 utentes do lar Rosslyn morreram devido à COVID-19 e mais de 60 tiveram que ser hospitalizados em meados de maio.

A polícia de Peel confirmou que está a investigar alegações de abuso no Camilla Care Center, um lar de idosos em Mississauga. O Camilla Care tem uma das taxas mais altas de mortes por COVID-19 em lares de idosos de Ontário e, até 15 de junho, 67 utentes morreram vítimas de COVID-19. A província assumiu há algumas semanas o controlo de quatro lares de idosos que foram objeto de um relatório das Forças Armadas canadianas. Os militares não foram destacados para o Camilla Care, mas a província decidiu assumir o seu controlo.

Trabalhadores da saúde ainda não receberam aumento salarial

Centenas de milhares de trabalhadores da área da saúde de Ontário ainda estão à espera do prémio lhes foi prometido há dois meses devido à pandemia de COVID-19. O Governo da província reconheceu o atraso no pagamento dos quase 375.000 trabalhadores e diz que o dinheiro vai ser transferido em breve. O Premier Doug Ford anunciou o prémio no final de abril e disse que era uma forma de reconhecer os sacrifícios que os trabalhadores essenciais fazem durante o combate à COVID-19. O prémio incluiu um aumento de $4 por hora durante quatro meses e um bónus mensal de $250 para quem trabalha mais de 100 horas num mês.
A líder do NDP criticou o Governo por “atrapalhar” o programa de pagamento de pandemia e disse que os pagamentos deveriam ser retroativos para 11 de março, quando a COVID-19 foi declarado uma pandemia global.

Ontário em estado de emergência até 30 de junho

O Premier Doug Ford estendeu quarta-feira (17) as ordens de emergência de Ontário até ao final do mês, embora a economia da província esteja a reabrir gradualmente à medida que os novos casos de COVID-19 começam a diminuir. Ford anunciou que todas as ordens de emergência em vigor sob a Lei de Gestão de Emergências e Proteção Civil vão permanecer ativas até 30 de junho. O Premier diz que é necessária outra extensão para garantir que o Governo possa “reabrir gradualmente e com segurança a província”. Ford recordou também que três meses depois da província ter emitido a primeira ordem de emergência, Ontário criou uma rede de 30 laboratórios que começaram por analisar 3,000 testes diários e que hoje analisam mais de 20,000, o que tornou Ontário no líder nacional de testes de COVID-19.

Ontário proíbe despejos comerciais

Ontário está finalmente a proibir os despejos comerciais para impedir que os proprietários de imóveis coloquem os pequenos empresários na rua durante a pandemia da COVID-19. O Premier Doug Ford, que criticou os “proprietários gananciosos” por não se inscreverem nos subsídios federais e provinciais criados para ajudar os inquilinos comerciais, garantiu que o seu Governo ia criar legislação para proteger os pequenos empresários. A lei que proíbe os despejos comerciais entrou em vigor a 3 de junho e dura até 31 de agosto.

Um novo estudo do CAMH, o Centro de Dependência e Saúde Mental de Toronto, indica que a pandemia teve um impacto significativo na saúde mental dos canadianos. O estudo entrevistou mais de 2.000 pessoas – cerca da metade no início de maio e a outra metade no final – e tentou determinar os efeitos da pandemia na saúde mental. No estudo, 20% dos entrevistados sentiram solidão durante a pandemia e um em cada cinco também revelou sentir níveis moderados a graves de ansiedade, devido a fatores como perda de emprego e medo de contrair o vírus.

O treinador e o lançador do Toronto Blue Jays estão a ser acusados de deixar dois proprietários de Toronto em apuros porque não pagaram milhares de dólares de um contrato de arrendamento de condomínios no centro de Toronto. Ambos dizem que desde que a pandemia da COVID-19 suspendeu a temporada da Major League Baseball não são obrigados a pagar a renda em Toronto. Segundo uma das proprietária, um deles não paga a renda mensal de $ 4.100 desde março.

Joana Leal/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

DONATE NOW